Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

Bem-vindo ao primeiro Café com Anime de Animegataris. O Café com Anime é um bate-papo descontraído sobre animes da temporada entre mim e meus colegas Vinícius, do Finisgeekis, Diego, do É Só Um Desenho, e Gato de Ulthar (juro que esse é seu nome verdadeiro!), do Dissidência Pop. Confira como foi!


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Fábio "Mexicano":
Vamos começar a falar sobre o primeiro episódio de O QUE FOI ISSO???
Animegataris tem mais referências em seus primeiros 40 segundos do que eu jamais vi em qualquer outro anime. E não para aí, o episódio chega a ser opressivo de tantas referências a animes específicos ou a clichês típicos sendo disparadas o tempo inteiro. E a narrativa não é menos opressiva. Parece insano – resta saber se vai manter o ritmo, o que eu temo que não há de ser o caso. Adorei ❤️
Vinícius Marino:
Não sei o que foi isso. Mas sei que Cinnamon Roll Z é meu novo anime favorito. 😝
Diego:
Minha reação ao primeiro episódio: “ugh, um anime genérico de meninas fofinhas em clube de ani- O GATO TÁ FALANDO?!”
Vou dizer que essa estreia foi uma agradável surpresa. A primeira metade do episódio realmente me entediou, sendo bem sincero, mas do ponto em que temos a conversa entre a protagonista e a “princesinha” da vez o episódio só foi melhorando. A adição de elementos mágicos foi interessante, e eu quero muito ver como vão trabalhar isso. E eu queria também só chamar a atenção para a cena mais perto do final onde temos um excelente foreshadow dos personagens que integrarão o clube.
Vinícius Marino:
É um anime sem grandes pretensões, mas que parece muitíssimo bem executado.
E crédito onde é devido: acho que é o primeiro anime da nossa seleção a REALMENTE ter um clipe de ending. Pode ser perfumaria, mas é uma perfumaria que me faz diferença.
Fábio "Mexicano":
A direção do episódio foi incrível. Para mim os destaques são a cena hilariamente pretensiosa mostrando os futuros membros do clube como se mostrasse os mugiwaras chegando um a um no topo do edifício em Enies Lobby, em One Piece, ou os companheiros do Frodo oferecendo suas armas em Valfenda, em O Senhor dos Anéis. É só um bando de adolescente viciado em anime, LOL! E a cena da protagonista encontrando a boina do Tezuka como quem encontra um tesouro escondido em uma dungeon foi sensacional também.
Gato de Ulthar:
Finalmente eu vi o primeiro episódio deste e anime. E o que foi isso que eu acabei de ver? Uma enxurrada de referências a animes e esterótipos de personagens típicos, uma metade inicial entediante (a segunda metade melhora um pouco) e personagens completamente insanos. O que não simpatizei logo de cara foi com a protagonista, não ela em si, mas com o seu cabelo (sei que é um motivo besta, mas…), parece uma boneca de pano estilo Emília do Sítio do Pica-pau Amarelo ou meramente um esfregão.
E bem, é uma comédia pastelão sobre animes, vamos ver se conseguirá manter o ritmo sem ficar entediante. O elenco parece interessante e bem variado, além de possuir um elemento mágico. Agora resta ver o que isso tudo irá virar.
Fábio "Mexicano":
EU ACHEI ELA A CARA DA EMÍLIA TAMBÉM, basta pintar as mechas de cores diferentes. E achei isso legal, não negativo, hahaha!
Diego:
Vou dizer que a coisa que mais me incomodou o episódio inteiro foi os dentes das personagens.
Fábio "Mexicano":
Já deu de impressões, né? E em relação às suas expectativas, o que acharam? Eu estou MAIS DO QUE SATISFEITO. Esperava referências e tive referências². E de qualidade ainda por cima. E clichês já cansados de velhos mas muito bem usados, como no final do episódio quando a rica se vira pra agradecer a protagonista por ter conversado com ela. A hora que a sequência começou eu já sabia o que viria, pensei “não pode ser”, e foi exatamente aquilo, e foi muito efetivo.
Gato de Ulthar:
Eu achei Ok, pode vir a ser uma comédia boa. Hoje mesmo eu assisti o ótimo primeiro episódio da segunda temporada de Himouto-Umaru-chan, que também é sobre uma otaku, e havia algumas referências também, como ao anime de futebol Super Onze. A diferença foi que em Anime Gataris recebemos uma enxurrada de referências jogadas de qualquer jeito. Não sei ao certo como esse anime irá se desenvolver, mas analisarei com cautela.
Vinícius Marino:
Eu não esperava absolutamente nada e me surpreendi. Parece um anime despretensioso, simpático, daqueles que botam um sorriso no nosso rosto. E foi exatamente o que ele fez.
Tenho muita vontade de ter uma figure da protagonista. Vai ver porque ela parece a Emília, que já é uma boneca.
Diego:
Eu não sei bem o que esperar, ainda. Mesmo tendo tido um bom começo, acho que ainda estou um pouco com o pé atrás para com esse anime. Mas nada impede que eu termine gostando: Gamers!, na temporada passada, precisou de uns 3 episódios pra me agradar de fato, e ainda assim acabou me divertindo bastante até o seu final.
Fábio "Mexicano":
Sejamos mais divertidos então: quais referências vocês notaram e se lembram? Não precisam falar tudo, hehe, só o que tiver marcado mais.
Gato de Ulthar:
Vou tentar lembrar sem olhar no anime, vejamos… Time Travel Shoujo, Bakuon, Sítio do Picapau-Amarelo, Pokémon, Dragon Ball Z, Summer Wars…
Diego:
Re:Zero, Toki wo Kakeru Shoujo, Paprika, também notei Time Travel Shoujo (acho que foi a referência que mais me pegou de surpresa, tanto que quando eu vi eu fui pesquisar pra ver se esse anime e Animegataris são do mesmo estúdio. E são mesmo!).
Aliás, para quem estiver lendo, assistam Time Travel Shoujo. É Legal 😛
Vinícius Marino:
Dragonball Z e Evangelion me fizeram sorrir. Toki wo Kakeru Shoujo e Paprika me fizeram gargalhar. Tenho a lembrança de ter ouvido algo que me lembrou Gatchaman, mas pode ser só impressão minha.
Fábio "Mexicano":
Durante o curso do anime teve alguns bastante óbvios, com representação de cenas icônicas (e devem ter tido inclusive vários que a gente não reconheceu de imediato por não ser anime famoso para nós, do outro lado do mundo), e vários outros foram só citados. Mas meu destaque vai para o anime dos sonhos da Emília Minoa:
Nos 40 segundos iniciais do episódio, o sonho dela começou em Gundam, mudou para Nadia, e terminou com Macross.
Me pergunto se esse anime existe mesmo (dentro do mundo de Animegataris, claro), ou se é só um amálgama que a memória dela criou de vários animes de sua infância.
Vinícius Marino:
Pode ser ambos. Uma coisa é certa: é um anime que parece que acompanhará o anime
Ok, isso soou melhor na minha cabeça
Fábio "Mexicano":
Até que alguém nos diga o contrário, sendo a motivação da protagonista deve ser senão o tema principal de Animegataris, um dos mais importantes
Diego:
Com a adição de elementos mágicos, talvez nem seja um anime, mas sim algo real que a protagonista viveu ou coisa do tipo XD. Sei lá, uma vez que temos um gato falante e uma boina mágica acho que qualquer coisa é possível rsrs. Aliás, eu espero que o anime saiba combinar o seu lado mágico e o seu lado slice of life escolar, sem acabar dando a impressão de estar contando duas histórias em paralelo.
Gato de Ulthar:
Me preocupa um pouco esse anime. Claro que referências são legais e nos fazem vibrar, mas vai ficar só nisto mesmo? O primeiro episódio foi uma enxurrada de referências uma atrás da outra com um mínimo aceitável de história. Mas bem, é cedo para analisar este anime a fundo, pode ser que o aspecto mágico tenha desdobramentos interessantes.
Fábio "Mexicano":
E pra encerrar, como blogueiros de anime e mangá, como vocês relacionam a forma como vocês abordam seu hobby com aquela apresentada (não muito, até agora, mas dá para ter noção) no anime? Acha que gostariam de entrar em um clube desses, se tivessem a oportunidade?
Vinícius Marino:
Acho que o anime sintetiza bem o que significa ser otaku.
A menina riquinha? Essa fui eu durante a adolescência. Sempre fui um otaku solitário, sem ninguém para compartilhar meu hobby. Lembro-me das alegrias que tive ao encontrar, aqui e ali, alguém que PODIA curtir animes como eu.
Eu entendo o entusiasmo desmesurado dela. E acho que será uma força poderosa na forma como ela se abrirá perante as demais – e evoluirá como personagem.
Diego:
Meu contato com animes é bem mais recente do que a maioria – só voltei a dar alguma atenção real para a mídia quando já estava entrando na faculdade. Adicione a isso que sempre fui uma pessoa mais reservada e meio que minha identificação com a loirinha é praticamente zero rs. Dito isso, não é como se eu tivesse algum problema com esse tipo de personagem: é legal ver alguém tão apaixonado pelo seu hobby. Se entraria em um clube do tipo? Provavelmente kkkk
Gato de Ulthar:
Eu seria como a Emília, digo, Minoa. Eu assistia animes na infância e dei uma parada na adolescência, só voltei a assistir pra valer quando estava entrando na faculdade, assim como o Diego.
Fábio "Mexicano":
Eu, em minha juventude, nunca tive problemas para encontrar pessoas com os mesmos gostos que eu. Suponho que ajude o fato de que eu primeiro formei um grupo de amigos, e depois construímos nossos gostos juntos, hehe. Me pergunto se algum dos personagens que entrará para o clube será alguém com quem meu eu adolescente se identificaria. Mas muitos anos depois eu sem dúvida me identifico com Arisu, a garota rica: adoro meu hobby, mas com quem irei compartilhá-lo? Minha solução foi criar um blog. Através dele passei a conhecer muitas outras pessoas que gostam de animes, e veja só, hoje estou aqui, tomando um café virtual com outros blogueiros de anime ☺️
Enfim, essa conversa toda sobre o primeiro episódio de Animegataris mostrou que ainda não sabemos quase nada sobre Animegataris, eis que estou ansioso pelos próximos episódios e pelas próximas sessões desse Café com Anime!

Comentários