Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

No episódio anterior pela primeira vez o grande objetivo dos vilões e a razão para tudo o que está acontecendo foi revelada. Também a mecânica do funcionamento dos super-poderes foi explicada. Nos dois casos, não dá para dizer “nossa, que explicação maravilhosa”, mas é o bastante. Tem anime que estou gostando mais e está explicando bem menos nessa temporada, então tem isso.

Aí este episódio serviu para unir algumas pontas que ainda estavam soltas. E ficou um laço tão bonito e bem feito quanto um cadarço de sapato amarrado por uma criança que ainda está aprendendo – na aparência, tá ali tudo junto, mas não precisa nem puxar uma ponta pra soltar, porque já está solto.

Estou com um pouco de pressa porque preciso estudar para duas provas hoje, então vou escrever esse artigo em forma de tópicos. É capaz de eu demorar mais do que se escrevesse um artigo normal, mas eu sou bom em tomar decisões ruins quando sob pressão.

Curta o anime21 no facebook:

O episódio começa com a história da guilhotina. Ou melhor, da Marguerite que também se chama Maria (ou Marie, não tenho certeza). É o tipo de coisa que só é importante se ela como personagem for importante na história. Se for só a alma da arma do protagonista, para quê? E nem é uma história muito inspirada ou complexa. Ela nasceu na França revolucionária no exato instante em que seu pai fazia às vezes de carrasco improvisado e rolava a cabeça de um padre na guilhotina. Acho que o anime tentou implicar que a garota foi amaldiçoada por seu pai ter matado um clérigo, mas não tenho certeza disso. O fato é que um dia, ainda criança, ela começou a cantar a música que o povo estava cantando quando de seu nascimento e seus pais ficaram muito assustados com isso, o que me pareceu injustificado.

Pobre menina-lâmina

Será que o original explica melhor o horror deles? O fato é que ela é expulsa de casa (ou talvez tenha matado acidentalmente seus pais), e todos que a tocam acabam decapitados, o que leva a sua própria condenação à morte na guilhotina. Depois de morta, Mercúrio entra em contato com ela. E pediu sua ajuda? Ela vai salvá-lo, é isso mesmo? Em troca da salvação, ele promete torná-la uma “deusa”. E eu aqui continuo com a impressão que ela não vai ser tão importante assim – senão por qualquer outra coisa, porque seu poder é controlado pelo protagonista, e independente da vontade dela ele deve fazer prevalecer a sua moral.

E eis que Ren acorda com ela, nua, deitada ao seu lado na cama. Chupando seu dedo, depois o beijando. Essa cena toda foi uma enxurrada de fanservice do pior tipo. O episódio havia acabado de contar a história da criança Marguerite, e até a morte ela não pareceu ter desenvolvido uma mentalidade mais adulta ou sequer adolescente. Pareceu criança até o fim. De fato, seu rosto continuou parecendo o de uma criança inocente mesmo depois dela ganhar um corpo escultural, peitões, e ficar nua na cama do protagonista. A Kasumi ter invadido o quarto e espancado o Ren foi outro clichê cansado, mas em vista disso tudo, acho que ele mereceu – pelo episódio e pelo anime que protagoniza, não tanto por si próprio.

Blá blá blá, a Kasumi arranja roupas pra alma da guilhotina e eles andam à esmo pela cidade para tentar “descobrir algo” sobre ela. Inútil, é óbvio, e constrangedor para o Ren, que sabia quem era a garota e como ela foi parar em sua cama, mas é claro que não podia contar nada para não colocar sua não-namoradinha em risco. Eu acho que dadas as circunstâncias ela já está em grande risco, e não saber só a deixa ainda mais vulnerável. Eu sei, o medo dele é que ela insista em ajudar, mas ainda acho que ela estaria mais segura sabendo o tipo de perigo que os cerca. Assim ele não precisaria pelo menos ter um micro-ataque cardíaco cada vez que elas dão as mãos, assustado que ficou ao ver como o poder de Marguerite se manifesta em seu sonho.

A Marguerite imitando os movimentos da Kasumi foi hilário, pena que não tenha feito sentido nenhum

O grande nazista na cidade dourada dá as caras, ou algo assim. O padre tem uma conversa tensa com ele, garante que vai dar conta de tudo, e eu não sei nem o que o nazista foi fazer lá nem o que o padre diz que vai fazer nem porque ele ficou com medo. Uma cena sem conteúdo só para construir um senso de urgência – o que se provaria desnecessário ao final do episódio.

Não sei o que o nazista dourado disse, mas o padre tá morrendo de medo

O “amigo” do protagonista ressurgiu! Agora ele tem uma namorada durona e vive em uma casa de shows. Eu queria ser esse cara. Ele quer participar do que quer que o Ren esteja participando, sei lá porque, e Ren se recusa – não quer colocar o “amigo” que o deixou internado no hospital em perigo. Pelo menos ele fez bem em provar seu ponto de que eles não sabiam com o que estavam lidando quando fatiou uma pistola apontada para sua cabeça. A mensagem foi “se é só isso que vocês têm, se é esse o tipo de poder que possuem, fiquem longe”.

Meta de relacionamento

No final, a senhorita guilhotina ficou feliz de passar o dia com seu novo portador, que no entanto está exausto com tantos acontecimentos, e ela simplesmente “some”. Ela escolheu retornar para o além (ou para o corpo do protagonista)? Ela sumiu porque a exaustão de Ren fez com que ele não mais conseguisse manter a forma física do corpo dela? Ou terá sido porque ela pressentiu o ataque que estava por vir e ele é mais poderoso se ela não estiver manifesta em carne e osso? Não importa. Os vilões aparecem para levar o Ren para algum lugar. Bom, a Sakurai aparece para pedir que ele vá, mas deixando claro que ele não tem a opção de recusar, enquanto o (pesquisando o nome…) Wilhelm chega dando voadora porque ele é desses. O que poderia ser uma tarefa simples de levá-lo para uma conversa (e eventualmente aprisioná-lo ou atacá-lo em local mais favorável se fosse essa a intenção) se tornou uma batalha porque o Wilhelm é um idiota. Claro, talvez ele queira matar o Ren para absorver seu poder, como viu-se que parece ser o caso no episódio anterior. Talvez ele queira matar o Ren só porque é um psicopata. De um jeito ou de outro, parece que ele quer matar o Ren só para o anime ter uma desculpa para ter uma batalha. E para o Yusa fazer uma entrada cool em sua moto.

Sakurai pretende levar Ren, e lutar se ele resistir. Wilhelm pretende lutar contra Ren, e levá-lo se ele sobreviver.

Tanto para tão pouco episódio. E com tão pouca hierarquia – o que foi realmente importante? O que foi mais e o que foi menos importante? Tudo o que apareceu será relevante para o resto do anime? Ou algumas coisas só valem para esse arco? Ou só para esse episódio mesmo, tendo servido de costura entre os remendos de enredo? O que devo esperar do sexto episódio de Dies irae, e do anime como um todo?

Comentários