Bom, neste episódio temos duas histórias diferentes. A primeira é de como a raposa amaldiçoada se tornou Dakki, e outra é de uma parte da infância de Youzen e Okutenkou. Infelizmente, há coisas que eu não entendo até hoje nesta adaptação, e uma delas é: como conseguiram inserir a irmã mais nova da Dakki, nunca antes mostrada nesta versão? Bem, depois deste episódio, garanto que o pessoal entendeu o parentesco que há entre elas, não é mesmo? Com a Kibi foi da mesma forma: a mesma foi inserida do nada, apenas como um personagem que serviu para tapar uma das lacunas soltas. O que pensar sobre isso?

Devo começar do começo, não é? Sabemos que Dakki, na verdade, é uma raposa cruel que quer dominar os humanos a ponto de fazerem tudo por ela. Ainda mais com o poder da Tentação, que demorou muitos anos para conseguir dominá-la. Por conta de toda essa sua magia, trezentas pessoas de Kishou foram atraídas por ela (mas acredito que os homens foram mais atraídos, porque no universo de Soul Hunter não existem lésbicas). O que a raposa precisava mesmo é de um novo corpo humano para poder colocar a sua técnica em prática mais uma vez, e conseguiu dominar o de uma moça muito importante naquela época: filha do rei de Kishou, Dakki. Eis que adquire o nome que hoje tem, e sua beleza inigualável está deixando toda a dinastia Yin aos seus pés.

Não é à toa que hoje o pessoal está tendo um trabalho do cão para se livrar desse espírito maligno que quer a total dominação dos humanos. Para isso, hoje temos o estrategista Taikoubou para cuidar desses assuntos, querendo criar um novo mundo dos homens e tirar o imperador Chuuou do trono por conta de insatisfação popular e final de mandato.

Outra história que tinha que ser contada foi como Youzen e Okutenkou se conheceram, além disso, descobrimos porque um foi criado de forma diferente do outro. O “transformista” ficou órfão, assim como o homem que hoje se enche de opiáceos para se manter são. Então houve aí uma troca de vida. É como se fosse um daqueles programas onde as pessoas de uma família passam a morar junto com uma mãe ou um pai diferente. No caso, Youzen foi tratado com as melhores condições possíveis, tornando-se o Doushin incrível que ele é hoje, e Okutenkou foi trancafiado em uma cela na ilha Kingou, para que nenhum ser maligno chegasse perto dele.

Hoje um deles é totalmente abençoado por um poder inacreditável de transformação e força de vontade, capaz até mesmo de esconder a sua verdadeira forma, enquanto o outro é um ser extremamente amargurado, cheio de rancor, que mostrou a sua verdadeira forma aos poucos e com ajuda de Dakki, sua “amiga”. Com isso, a raposa obteve um forte aliado que tem humor puramente irônico. Agora eu me peguei pensando: e se fosse o contrário? Youzen provavelmente não conseguiria controlar a sua verdadeira forma, porque não receberia treinamento adequado para realizar o feito, além do que estaria fadado também a uma vida onde ninguém o encontraria, a não ser que fosse solto. Ele é um dos únicos seres do mundo espiritual que não se rende aos encantos de Dakki, então com certeza não teria a “amizade” dela e ficaria lá para sempre.

Acredito que seja isso, gente. Estamos no clímax desse embate, com as duas ilhas se colidindo, e espero que tenha mais cenas claras, pois o que ainda tem de lacuna a ser coberta não é brincadeira.

Até o próximo artigo!

Discussão