Quero começar este artigo com duas perguntas: você se considera bom ou muito bom em alguma coisa? Se a resposta for afirmativa, vamos para a próxima: já se sentiu frustrado em conhecer alguém com um talento e habilidades superiores aos seus? Se a resposta for “sim”, você teve a mesma sensação do protagonista desse anime.

O jogo pelo qual todos estavam esperando

O Yaichi é um gênio do shogi. Todo mundo que acompanha a série sabe disso, entretanto, apesar dele possuir um título importante dentro desse esporte, ele não é a figura a ser batida. Já o adversário dele (o Meijin) é praticamente uma lenda viva desse tradicional esporte japonês. Ambos são jovens e talentosíssimos, mas existe uma diferença abismal entre eles. Foi o que se percebeu nesse duelo que poderia até ser chamado de “partida do século” do mundo do shogi.

Durante o duelo notou-se o contraste de postura dos jogadores, enquanto o nosso protagonista se mostrava inseguro a cada partida (o título é decidido numa “melhor de 7”), o oponente se mostrava inabalável. Aliás, o Meijin passa muito bem a imagem de uma figura imponente e respeitável. A segurança de cada movimento aliada a concentração apurada desestabilizou o Yaichi, que achou que poderia virar o jogo a qualquer momento apenas com o seu talento e dedicação a horas de estudos de cada jogada e estratégia. Ele vai precisar tirar uma loli um coelho da cartola para poder vencer. Um esportista é considerado genial (acima da média) justamente por conseguir fazer algo que outros não conseguem fazer, quer seja um drible desconcertante (no caso do futebol), um arremesso improvável (no caso do basquete), ou uma jogada magistral, no caso do jogo abordado nesse anime e, consequentemente, no artigo no qual vos escrevo.

A frustração e o desespero do Yaichi são frutos do sentimento de inferioridade perante a um adversário, que segundo o próprio protagonista, pôs em xeque todo o seu conhecimento estratégico sobre shogi, deixando-o perdido e sem capacidade de concentração a cada jogada. A imagem do tabuleiro perdendo a cor e ficando embaçada ilustra muito bem o seu nervosismo e o seu desequilíbrio emocional.

Quem diria que um jogo tipicamente japonês teria uma uma partida histórica acontecendo num lugar paradisíaco como o Havaí

Quando estamos frustrados ou com raiva temos a tendência, às vezes involuntária, de descontarmos os sentimentos em algo ou alguém. No episódio em questão, todo o sentimento de impotência do Yaichi foi descontado na sua discípula. A Ai Hinatsuru, obviamente, não tem culpa pelas derrotas do seu mestre, e a única coisa que ela pode fazer é dar todo o apoio necessário a ele, e assim o fez. Todavia, o desespero e frustração limitaram a visão dele de tal modo que o nosso herói apenas enxerga o muro que ele não quer transpor, e não o que está adiante dele e nem o que está ao ser redor.

Se no episódio passado as duas “Ai” cumpriram seus deveres de discípulas, vencendo a fim de mostrar independência e amadurecimento, evitando que o seu mestre carregasse o fardo delas para que ele se dedicasse exclusivamente no seu duelo contra o Meijin, nesse episódio mais recente ele faz o oposto que elas fizeram, pois ele acabou dando trabalho para uma de suas pupilas, que até passou mal depois de uma partida de shogi.

Por último, mas não menos importante, quero fazer uma observação sobre a execução do episódio. A transição do clima leve e descontraído do inicio do décimo episódio ao drama apresentado do meio até o final foi feita progressivamente e de forma equilibrada. Os momentos leves antes do drama sempre funcionam como “a calmaria que vem antes da tempestade”. Houve até um momento quase romântico que só não foi romântico, de fato, pois o protagonista é um tapado.

Essa foi a menor distância que eles tiveram um do outro

O artigo desta semana fica por aqui. Obrigado a todos que leram, e até a próxima!

  1. Nesse episódio ficou claro que o autor e roteirista mudaram o clima totalmente do anime e assim será até o final pois falta apenas 2 semanas para terminar a 1 temporada. Lamento essa mudança brusca, pois não gosto de dramas e ainda mais com lolizinhas, mais fazer o que: vamos ver como esse problemão vai ser resolvido, quero que o Yaichi perca o título de Ryuuo para o meijin, por causa do que ele fez com a Aí, foi horrível ver o sofrimento da nossa amada heroína por causa da inexperiência de seu jovem mestre e que o remorso corroa toda a mente dele como punição!

  2. Posso até compreender a situação que o Yaichi deve está passando jogando contra um dos melhores ou o melhor jogado de Shogi, a frustação de não conseguir ganhar do jogador e à cada rodada perdendo do Meijin. Esse deve ser o melhor desafio do Yaichi no Shogi.

    Mas descondar as suas frustações na doce Ai isso é triste, ela não tem culpa. Ela tem uma admiração enorme pelo mestre dela e ver ela nessa situaçao de aflita, me dar uma dor no coração.

Discussão