Uma boa estreia geralmente se prontifica por conta de conseguir passar ao público emoção, introdução à história de uma forma que desperte interesse, ação (quando é um dos gêneros do anime), tensão e mistério.  A obra que irei comentar conseguiu fazer um pouco de tudo isso, sendo uma das melhores estreias da temporada.

Sirius the Jaeger é um anime que já despertou meu interesse por conta de seu estúdio, P.A works, o qual já produziu Angel Beats e Kuromokuro, obras que tenho um grande apreço. Entrando na história em si, essa obra retrata a Capital Imperial, e existe algumas pessoas intituladas de “Jaegers” que constituem uma organização que combate vampiros. No meio desses Jaegers existe um rapaz chamado Yuliy, possuidor de uma aura pura e um poder gigantesco, o temido “Sirius”.

Agora sim! Com essa introdução o caminho fica aberto para analisar a obra.

Em meio a escuridão latente do seu passado, com sua aura diferente e seus olhos azuis, ele começa a sua vingança banhada em sangue de vampiro… Sirius the Jaeger no Anime21!

O  início retrata uma reunião de um grupo. Os amantes de obras com vampiros devem ter notado o ar dessa espécie no líder. Esse grupo é uma organização anti-governamental formado por vampiros, que comete atos criminosos. Os ideais deles ainda não ficaram muito claros, notoriamente serão apresentados ou pelo menos é o que se espera, afinal, os grandes vilões têm grandes ideais. Mesmo sendo algo doentio ou com uma idealização utópica, um bom vilão precisa disso para tornar o personagem profundo. Em alguns casos, os vilões conquistam mais o público do que os próprios mocinhos.

Passado um tempo da festa, os vampiros finalmente mostraram sua natureza ao atacar todas as damas presentes, fazendo uma grande chacina logo na estreia. Nesse meio tempo, no centro da cidade era apresentado um grupo de músicos, ou melhor, um grupo de matadores de vampiros. Um ótimo disfarce, não é? Quem desconfiaria de meros músicos… Bom, eles já provaram logo de cara o seu poder de atividade ao invadir a reunião e matar boa parte dos vampiros que haviam lá. Apesar de a batalha ter sido unilateral e um tanto quanto curta, a animação ficou muito boa. Com uma fluidez digna do comentário.

A chacina.

Comentando mais especificamente do grupo de Jaegers apresentado, que é formado por 5 integrantes. Ainda não tivemos grandes informações sobre eles, mas pelos discursos pode se inferir que tenham se reunido recentemente. Nem o nome de todos eles possuímos ainda, mas não irei reclamar disso, afinal, o episódio se ateve a coisas mais interessantes do que o nome de personagens. A relação entre eles é bem legal, mas o que se destaca ali é o protagonista: “Yuliy”.

Os Jaegers.

Yuliy é bastante antissocial, porém parece possuir um coração puro e ao mesmo tempo revoltado com algo no seu passado, uma dor que não transparece em suas expressões, mas que provavelmente destroça o seu coração. Aqueles que já leram algo sobre a obra já sabem do que estou comentando. Essa revolta, dor, são causadas pela morte de seus parentes por vampiros. Não considero isso um spoiler, no futuro isso será dito e é o que torna o personagem mais chamativo. Saber que ele não mata vampiros apenas pelo ato em si, mas também por conta de um passado cruel e impiedoso envolvido com a causa. Para os romancistas de plantão, fica aquela pergunta: será que é possível algo acontecer entre Yuliy e a princesa? Ela mostrou interesse, porém nosso protagonista não está muito disposto a nada do gênero.

Yuliy e a princesa.

No prosseguir do episódio os Jaegers são convocados à Capital Imperial Japonesa, que será provavelmente o palco do desenrolar da obra. Uma série de assassinatos vêm assombrado a todos na região, e os Jaegers foram chamados para investigar. Isso parcialmente pode querer dizer que eles são uma entidade que trabalha para o governo, não só em busca de vampiros, mas também de criminosos comuns. A grande mobilização é para entender quem está por trás desses crimes, porém o líder dos Jaegers logo entendeu que a polícia estava seguindo as pistas erradas.

Bom, se o líder entendeu que estavam atrás das pessoas erradas, Yuliy foi logo na pessoa certa. A mulher que ele atacou é uma das representantes do grupo de vampiros mostrado logo no início do episódio. A batalha estava bastante igualada, até que os olhos de Yuliy resplandeceram um brilho azul, e a palavra “Sirius” foi mencionada. Bom, segundo a própria sinopse da obra, esse “Sirius” tem a significação de lobisomem. Então, nosso protagonista é um lobisomem, e por isso possui essa força tão incomum.

Para além disso e fomentando ainda mais essa faceta da obra, todos sabem como existe a divergência entre vampiros e lobisomens. Até mesmo nos cinemas essa divergência já foi retratada. Nesse exato momento você, caro(a) leitor(o) deve ter se lembrado de algum filme que aborda isso.

Retornando à batalha, após o azul dos seus olhos brilharem, Yuliy tornou a batalha unilateral. Destaco os efeitos sonoros do embate, e a grande tensão que a cena gerou que para finalizar o episódio da semana com chave de ouro, Yuliy  foi atingido por um tiro por algum dos comparsas da vampira.

Fazendo a análise final geral, a obra começa muito bem. Introdução à história de forma interessante, mostrando os lados conflitantes, e apresentou o protagonista e seus companheiros, além de expor seus inimigos. Ação, tensão, emoção: esses ficam a cargo das cenas de batalha, que ratifico a qualidade delas, e quão impactante foram. E o mistério: esse fica a par do grupo de vampiros e qual é a sua motivação a fazer o que fazem. Para uma estreia foi magnífico, o público já deve estar de olho no episódio da semana que vem.

Para finalizar, repito que a estreia foi ótima, digna das 5 estrelas da plataforma. É claro que ainda é cedo para definir se será boa, mas se seguir a linha de sua estreia, com certeza sim.

A nível de informação serei o redator dessa obra até o final, e estou ansioso para ver os próximos episódios.

Obrigado por acompanhar, até o próximo artigo.

Em meio a escuridão latente do seu passado, com sua aura diferente e seus olhos azuis, ele começa a sua vingança banhada em sangue de vampiro… Sirius the Jaeger no Anime21!

  1. Avatar

    Este primeiro episódio de Sirius The Jaeger foi mediano, mas interessante.
    Começando pelos aspecto histórico o inicio do episódio já começa bem, com uma pequena representação de Londres de 1930, tanto a cidade como o baile dos vampiros estavam excelentes. A representação da Capital Japão Imperial de 1930, também foi muito boa, o P.A Works pesquisou bem os detalhes históricos.
    Passando às personagens, o que não me faz sentido, é o quão eles dão nas vistas, desde do Irlandês ao restantes membros (que parecem todos saídos dos países pertencentes ao Império Britânico). Tirando isso, fiquei curioso com o passado do Yuliy, ele parece esconder algo que o afecta e isso torna-o meio anti-social (tal como referido no artigo).
    Os restantes personagens, não tenho muito o que falar, à excepção da Dorothea, ela domina melhor as Tommy Gun´s que muitos soldados e mafiosos americanos da época do anime.
    Por fim, a animação poderia estar melhor, certos momentos, o uso de GC fraco era bem visível, mesmo na partes das lutas, já vi o P.A Works fazer melhor, mas tirando isso, a animação é aceitável. Os vampiros estão muito bem feitos, a cena do baile de vampiros, parecia uma cena tirada do livro de Drácula de Abram Stoker.
    Com certeza acompanharei os artigos de Tenrou Sirius The Jaeger.
    Excelente artigo de, primeiras impressões de Sirius The Jaeger TripLl.

Comentários