Bom dia!

Olá, tudo bem, como vai? Se já vinha acompanhando YagaKimi aqui no Anime21 deve estar se perguntando: “cadê o Frisk?”.

Indo direto ao ponto, por motivos pessoais que não cabem aqui no blog, eu irei assumir Yagate Kimi ni Naru a partir desse episódio. Em compensação, o Frisk passou a cobrir Release the Spyce, que eu pretendia cobrir, e já publicou seu primeiro artigo nesse domingo, vá lá ler, eu recomendo!

Pelo menos essa mudança de redator aconteceu em um bom momento, já que o anime acaba de dar uma guinada na história.

Começam os trabalhos do Conselho Estudantil. Personagens novos. E pretendem encenar uma peça teatral? Yuri escolar com teatro, será que estou assistindo Aoi Hana?

Uma coisa que não vai mudar fácil é a atitude da Yuu. Ler muitos mangás e escutar muitas músicas românticas fez mal para a garota. Os padrões da ficção obviamente não são os mesmos da realidade, e ela está com dificuldade de entender como deveriam ser os seus próprios sentimentos. Ou será que não é só isso?

YagaKimi é um mangá ainda em andamento. Eu não o estou lendo, mas pelo que li por aí, por alto (admito não ter pesquisado muito, se souber mais do que eu me corrija nos comentários, por favor), parece que a relação entre Yuu e Nanami evolui muito devagar. A Yuu continua sempre dizendo que suas demonstrações de carinho e afeto são apenas coisas “normais”, e continua duvidando que seja capaz de se apaixonar.

Parte do fandom interpreta que isso indique que ela possa ser assexual (pessoa que não sente atração sexual, embora possa gostar de outras), arromântica (pessoa que não sente atração romântica, embora possa ainda sentir desejo e atração sexual), ou ambos.

Convenhamos que a Yuu de fato ora dá indícios de que possa ser uma coisa, ora dá indícios de que possa ser outra. Principalmente arromântica.

Mas se você me perguntar, eu acho que esse seria um final improvável para o mangá, bem como duvido que seja a intenção da autora. O mais provável é só que ela tenha mesmo as expectativas muito desconectadas da realidade.

De um jeito ou de outro, acho que o anime deve ter mais ou menos um final próprio, no qual a Yuu deve descobrir os próprios sentimentos.

Ainda no tópico das diferenças entre o mangá e o anime, eu resolvi dar uma lida no capítulo correspondente ao beijo desse episódio. A Yuu me pareceu, digamos, excessivamente ansiosa naquela cena, e eu quis saber se o anime estava acelerando as coisas.

A cena no mangá é idêntica. O que não dá para ter certeza é a entonação das personagens, e isso faz uma enorme diferença. A Yuu tem duas pausas dramáticas no anime enquanto fala que a fazem parecer que está, de verdade, ansiosa pelo beijo.

 

A cena do beijo foi praticamente idêntica no mangá e no anime, mas mídias diferentes podem suscitar interpretações diferentes

 

A primeira foi logo depois da Nanami dizer que queria beijá-la. Yuu não respondeu imediatamente, ela ficou em silêncio por um pequeno instante antes de dar uma bronca na presidente.

A segunda foi quando ela estava explicando para a Nanami que ela tinha sim curiosidade de beijar.

São pausas que indicam hesitação, algo que não faria sentido se ela realmente não tivesse vontade nenhuma, se não estivesse sentindo nada. São pausas que não estão no mangá.

Ou melhor, não dá para saber se elas estão lá ou não. No mangá é o leitor quem determina a velocidade de fala, não é? Na ausência de uma indicação explícita de pausa, o normal é entender que é contínuo, sem quebras.

O anime está inventando coisa, então? Bem, não estou dizendo isso.

Há um indício maior de curiosidade da Yuu logo no começo da cena, que é idêntica no mangá e no anime: quando a Yuu decide ficar com a Nanami na sala do Conselho.

Por que ela decidiu ficar? Na falta de qualquer outro motivo, porque não havia mesmo nenhum, só pode ter sido porque ela queria ficar com a Nanami. Ou ela apenas aprecia a presença da sua candidata a parceira, o que já demonstra algum sentimento, ou ela estava ansiosa ou curiosa para que Nanami fizesse algo, o que também diz algo sobre seus sentimentos.

Se a cena é naturalmente ambígua, então ela permite a interpretação do anime – que talvez o andamento da história no futuro ainda venha a justificar mais.

E foi o beijo que catalisou uma grande mudança nos rumos da história. Antes, na prática, apenas Yuu e Nanami eram personagens que importam. Sayaka está lá, mas ela sempre recua em favor da Yuu, apesar do óbvio ciúme, porque pelo menos até agora vem se mostrando incapaz de contrariar Nanami.

Talvez ela ainda mude, mas não agora. E todos os demais personagens estão ali basicamente para dar volume.

 

Maki provocando Yuu

 

Então entra em cena Maki. O primeiro-anista do Conselho Estudantil que pegou Yuu e Nanami se beijando por acidente. E agora? E agora descobrimos que ele gosta de assistir o relacionamento alheio. E já está começou a se intrometer.

Será ele um voyeur-mirim?

Uma metáfora para o próprio leitor/espectador que está acompanhando essa história?

Ele pode ser essas duas coisas. São explicações simples. Um voyeur agiria como ele age porque sim, é de sua natureza, é o que o traz prazer. O monólogo no qual ele explica como ele é parece corroborar isso.

A metáfora para o leitor/espectador inserido na história faz muito sentido também. Ele seria como eu e você, que queremos assistir a história de romance dessas duas garotas. Shoujo Kageki Revue Starlight teve um personagem com essa proposta na temporada passada.

Mas para mim essas duas explicações são entediantes. Não as descarto, e na verdade ele pode sim ser tudo isso e mais um pouco. Só que o que me interessa é o “mais um pouco”.

Tirando os arroubos dramáticos e a forma um pouco assustadora como ele descreveu seu comportamento, Maki me parece só um adolescente normal que gosta de ajudar seus amigos ou colegas a ficarem juntos.

Você já conheceu gente assim, não conheceu? Talvez você já tenha sido assim? Eu admito que eu fui um pouco assim. Em grande parte eu era assim porque dessa forma eu podia sentir a emoção de estar investido na história de um relacionamento sem precisar eu próprio reunir coragem para fazer isso. Sem precisar eu próprio correr os riscos.

Claro que estou só racionalizando agora depois de muitos anos, na época eu não pensava nisso, mas acho que era exatamente assim que eu agia também. Maki é diferente no sentido de que ele demonstrou em seu monólogo não ver graça nele próprio se relacionar, ao invés de, como eu, ter medo.

Como quer que seja, o fato é que ele pode ter conseguido finalmente dar o empurrão que a Yuu precisava. Sempre acostumada a ler histórias alheias (dos mangás), Yuu não acha que o que ela faz e sente seja especial. Daí que seja importante o Maki ter aparecido para “ler” a sua história e dizer que ela é, sim, especial.

Com isso fica praticamente confirmado (se é que ainda era necessário) que a Yuu gosta sim da Nanami. Talvez não seja um gostar romântico, talvez não seja como nas histórias que ela lê, mas ela gosta, sim. E ela pode não concordar ainda, mas não vai conseguir parar de ficar pensando nisso tão cedo.

  1. Avatar

    A Yuu é uma menina empática, um pouco indecisa e, certa vezes, fácil de influenciar. Juntamente com essas características e a vontade que ela tem de se apaixonar por alguém faz com que a mesma aceite as investida da Touko e permaneça ao lado dela, como se fosse uma forma de ajuda para a Touko. Imagino, que pelo menos no começo, para Yuu aceitar os beijos e tudo mais, a mesma deve pensar da seguinte maneira: ” Bom, eu não vou conseguir gostar de ninguém mesmo e ela bonita, gente boa e gosta de mim, não tenho nada a perder e nesse meio tempo vai que eu goste. Então, por que não?”

    Parte de tal pensamente da protagonista, bem como dos demais, se deve, sobretudo, ao fato da autora procura mostrar que as pessoas sentem e reagem a sentimentos comuns( como amor, amizade e rejeição) de formas e em tempos diferentes, e que nem sempre o amor ou paixão é aquela coisa pura e bonita como é mostrado em várias estórias de romance. Às vezes você pode sentir apenas atração e mais tarde a coisa virar amor, quem sabe?!

    Sobre a andamento do romance, devo dizer, que se olharmos do ponto de vista introspectivos dos personagens,andou e evoluiu só que a coisa com a Touko é mais complicada do que parece.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Você diz isso com conhecimento do mangá?

      Mas sim, isso tudo faz sentido. Ela tem curiosidade embora não goste (no sentido romântico) da Nanami. É um comportamento que pode parecer estranho, mas ela ainda é só uma adolescente, adolescentes fazem coisas estranhas.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

  2. Avatar

    Isso mesmo, eu leio o mangá não perco um capítulo (todo mês fico ansiosa pelo lançamento) gosto tanto da obra de forma que sempre acompanho fóruns de debates para entender um pouco mais dos personagens. Para mim ta sendo um prato cheio o lançamento do anime , pois assim eu to conseguindo debater e ler os diversos pontos de vista das pessoas.

    Obrigada resposta e pela análise semanal.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Que isso, obrigado você =) Te aguardo semana que vem então, continue comentando! É sempre divertido comparar a minha impressão, de alguém vendo o anime agora, com a de alguém que já conheceu a história antes pelo mangá.

  3. Avatar

    Eu super gostaria que a Yuu fosse arromântica, mas em outra história. Quero mais que ela fique com a Nanami msm pra eu morrer de amores kkkkk (agora, quantas expectativas ela criou fora da realidade que fez ela ser beijada e não sentir nada? gente, eu teria falecido na hr, msm sem gostar da pessoa) Eu gostei bastante do Maki, confesso que fiquei um pouco receosa de colocarem ele pra gostar da Yuu (até pq meu coração de fujoshi já tava shippando ele com o de óculos) mas aí veio a revelação de q ele apenas gosta de acompanhar romances. Foi bem fácil me identificar com ele, pq tbm amo escutar sobre os relacionamentos de minhas amigas e ajudá-las, mas tbm achei um pouco macabro como ele estava explicando isso e fiquei aliviada quando voltou pro tom mais normal, já tava quase esperando ele aparecer com uma faca e revelar ser o yandere da trama kkkkk Talvez ele seja o assexual arromântico do anime, e vou super amar se for.
    Estou bem ansiosa pra ver como vão desenvolver a amizade dele com a Yuu.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Não é? O problema com uma protagonista arromântica em um romance fica óbvio assim que a gente escreve a frase inteira 😛 Existem expectativas que temos em relação ao gênero que se não foram cumpridas vão deixar uma enorme frustração. Seria como um mangá de ação sem ação.

      Esse tipo de papel pode ser melhor exercido por personagens secundários, e seria realmente muito interessante (e faria sentido com sua apresentação inicial) se o Maki fosse assexual ou arromântico (ou ambos).

      Ele não me “deu medo”, mas quando o anime mostrou que ele tinha pego as duas no flagra eu já pensei “ah pronto”. Ele provocar a Yuu, depois a Sayaka, e por fim a forma como ele se descreveu me preocuparam, e eu estava ainda com esse sentimento depois que o episódio acabou. Depois de pensar por algum tempo que me veio à cabeça que pode ter sido só exagero dramático de YagaKimi para introduzir um personagem de suporte para o casal principal.

      Por enquanto, se qualquer coisa, ele chegou pra sacudir as coisas que estavam andando bem devagar até agora, o que não é exatamente ruim mas pode deixar a história entediante caso fique assim por muito tempo.

      Obrigado pela visita e pelo comentário 😊

  4. Avatar

    eu acho que a yuu é demisexual, por questões que ela mesma fala, nao sente atração sexual e nem sente vontade romantica, mas quanto mais ela se aproxima da nanami, os sentimentos dela, a curiosidade de beija-la, e tudo mais vai aumentando durante a trama, oq da mais indícios de demisexualismo, yuu ela é bem confusa, e eu até entendo ela. pq pqp, é dificil voce ver algo que parece ser tão facil para os outros (se apaixonar no caso) e com você parece ser quase algo impossivel, é frustante alem de tudo… e esta frustração que alimenta ela continuar com curiosidade dela. o melhor que ela é tão acustumada a pensar que é impossivel ela se apaixonar, que nem ela mesma percebe quando esta se apaixonando, que esta começando a desejar ficar ao lado da nanami, a desejar que ela lhe deseje, e assim vai, um pouco mais a frente talvez nao mostre no anime, aparecerá um amigo antigo da yuu falando o quaão bom ver ela lutando por algo que ela goste de vdd… e nao aceitando ir na onda dos outros, e isto mostra muito sobre yuu. o maki é com certeza um voyer-mirim socorro, adorei audshaudhaudhua. Ele da varios indícios de quem ele é e como ele é neste capitulo e é maravilhoso. a autora brinca muito com as sexulidades mais raras… demisexualismo e assexuado. bom voce pediu para ver se estava minha altura, nao sei dizer, mas o outro autor que escrevia sobre yagate fazia mais metaforas, mas gostei tbm de você. bora ver o proximo e to curiosa sobre sua analise do sexto episodio

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu acho esse anime difícil de analisar, de escrever sobre, por isso meus artigos acabam sendo pouco burocráticos, eu acho. Esse artigo em particular demorou bastante porque eu estava travado, não sabia o que escrever, no que focar, daí ele atrasou e atrasou toda a minha vida aqui no blog 😛

      É um anime muito bom, mas o ritmo é de slice of life, os personagens mudam muito devagar, e coisas importantes são bastante sutis.

      O meu primeiro artigo foi mais fácil porque foi justamente sobre um episódio em que ocorreu uma mudança brusca, com apresentação de novos personagens. Aproveitei também para lançar o debate sobre a real sexualidade da Yuu. Nesse episódio eu não tinha nenhum trunfo desses.

      Mas vou perseverar, estou adorando YagaKimi. Sua hipótese sobre a Yuu ser demissexual faz sentido, vou prestar mais atenção, ler um pouco e talvez venha a me ser útil em algum artigo futuros ☺️

      Mais uma vez, obrigado pela visita e pelo comentário!

Comentários