Essa semana não houve Assassination Classroom. Por causa do sequestro de dois japoneses pelo Estado Islâmico acharam que seria de mau gosto passar um episódio onde uma pessoa tenta cometer um assassinato à facadas. Infelizmente um dos japoneses foi morto. Felizmente o outro foi negociado em troca de um prisioneiro. O episódio 3 de Assassination Classroom supostamente foi transmitido por alguns serviços de streaming, mas não saiu em português então não procurei. Eu entendo inglês, mas nem todos os meus leitores podem dizer o mesmo então pouquíssimas pessoas devem ter assistido o episódio no Brasil, de forma que não haveria para quem eu escrever sobre ele. Mudei o RSS do site (aquele ícone vermelho horrível no menu que parece sinal de celular) para usar o FeedBurner, dê uma olhada, acho que ficou bem legal. E chegamos aos terceiros episódios, o que significa que o ritmo dos animes na média caiu bastante, e essa semana tive muito mais dificuldade em me manter acordado enquanto assistia animes do que na anterior. Classificação abaixo, veja quais foram os melhores episódios da semana e quais foram os mais entediantes!

20 – Shinmai Maou no Testament, episódio 3

A história é chata, mas não é horrível. Agora, o fanservice está apelando. Então a garota que é herdeira do trono do inferno foi criada como uma humana normal, mas não acha estranho quando uma súcubo diz a ela para esfregar seus peitos nus nas costas do protagonista? Eu acho que até para fanservice é preciso fazer sentido.

19 – Cross Ange, episódio 15

A Ange é insuportável. Ela é uma menina mimada que desde que se descobriu uma norma tudo o que faz é contrariar os outros, é desobedecer, é fazer o contrário do que lhe pedem ou ordenam, e não é por motivos profundos não, mais de uma vez ela disse que pretendia fazer uma coisa, aí alguém lhe pede para fazer aquilo e então ela se nega. No episódio em questão, ela descobre que os humanos-dragões da Terra original estão sendo sequestrados e mortos para sustentar a magia em sua Terra falsa, e ela própria já havia ficado enojada quando descobriu que os dragões que matava eram pessoas de verdade, mas agora ela quer que os humanos-dragões se lasquem porque ela só quer voltar pra casa dela – a casa destruída que odeia ela e onde ela vive matando humanos-dragões, para seu próprio desgosto. E teve um boquete surpresa também.

18 – Binan Koukou Chikyuu Bouei-bu Love!, episódio 3

A cada episódio que passa eu fico com mais sono.

17 – Koufuku Graffiti, episódio 3

Quanto arroz com ovo essas garotas conseguem comer? De resto, dormi.

16 – Rolling?Girls, episódio 3

É uma história bem intencionada em um mundo bem maluco, mas por enquanto não está me tirando da Zona de Tédio. Então a Chi-qualquer-coisa é filha da presidente do país delas, que está coletando dúzias de corações do poder para um objetivo desconhecido? Ok, suponho que tenhamos um antagonista. A menininha capitã da gangue de Tóquio (que virou uma eterna Comik Market) é simplesmente uma pessoa horrível. Ela acusa as heroínas de roubarem sem nenhuma prova, e quando descobre a prova de que elas eram inocentes ela as rouba. E vende os corações do poder dela e da Chi-qualquer-coisa para um homem a serviço da mãe da Chi-qualquer-coisa, então suponho que as pedras vão para o mesmo lugar de qualquer forma.

15 – Akatsuki no Yona, episódio 15

Eu não estou nem um pouco interessado em um general da Tribo da Terra que vive entediado porque não há mais guerras. Nada de dragões novos. Já estou achando que a princesa não vai derrotar o primo, vai apenas se reconciliar com ele em algum momento.

14 – Shigatsu wa Kimi no Uso, episódio 14

O anime está enrolando e traçando paralelos entre a Kaori e a mãe do Kousei. Ele com razão está preocupado que o problema dela possa ser muito mais grave do que ela deixa transparecer (e por que ela esconde tanto, afinal?). Enquanto isso sua amiga de infância parece que talvez admitiu para si mesma que está apaixonada por ele quando ele disse que iria para outra escola e ela fugiu correndo e desabou a chorar. Chorar alto, na rua, isso é muito incomum para japoneses até onde eu sei. Não entendi porque tanto drama, ele vai mudar só de escola, não é? Ou ele vai mudar de casa? Quero dizer, ele não iria para longe ao mesmo tempo em que está preocupado com a saúde da Kaori, ou iria? Bom, não foi um episódio ruim, mas não foi bom também, está melodramático demais. Se um dia o mangá vier para o Brasil, poderiam adaptar o título para “Pré-adolescentes emos e um pouco de música”. Subtítulo: “Como não tratar o trauma severo de um garoto órfão”.

13 – Aldnoah.Zero, episódio 15

O tal combate em escala “nunca antes vista” foi essa coisa mixuruca? Ah vá. O combate no final da primeira metade foi muito melhor. Ponto positivo para a pequena evolução do Inaho, que paradoxalmente está mais humano agora que ele se tornou mais máquina. O Slayne continua sendo só um idiota. Quero dizer, o que ele pretende fazer agora? Quer mesmo conquistar a Terra? Por quê?

12 – Dog Days”, episódio 3

É Dog Days, mas teve combates mais divertidos que Aldnoah.Zero. Mas derrotaram o demônio, acabou o arco, temo que agora voltará a ser o anime entediante com o qual já me acostumei.

11 – JoJo’s Bizarre Adventure – Stardust Crusaders, episódio 27

JoJo estava precisando de um episódio de comédia que não envolvesse excrementos e o Polnareff. Ri do começo até o fim dos irmãos Oingo e Boingo.

10 – Tokyo Ghoul ?A, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Segundo me contaram, sem spoilers, o objetivo do Kaneki por enquanto é realmente algo simples. Então essa narrativa que tira o protagonismo do protagonista e ao invés foca nos coadjuvantes que estão, cada qual a seu modo, segundo suas possibilidades e com suas próprias motivações procurando ele, não só é muito interessante como tem razão de ser e valoriza o que está por vir. Espero que seja mesmo algo bom para justificar todo o suspense, mas mesmo se não for tão bacana assim ver o desenvolvimento de alguns personagens secundários é interessante.

9 – Kiseijuu, episódio 15

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Shinichi decide meio sem querer enfrentar o grupo e parasitas instalado na prefeitura. Ele já queria fazer isso antes mas faltava determinação e oportunidade. Nesse episódio ele encontra uma das zonas seguras de alimentação dos parasitas e não consegue ficar parado ao ver um parasita trazer uma mulher inocente para dentro. Agora ele basicamente declarou guerra contra os demais parasitas e parece que o anime vai assumir um formato narrativo de ação que desperdiça tudo o que Kiseijuu tinha de bom até agora.

8 – Junketsu no Maria, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

A motivação da Igreja do Céu é melhor explicada e a Igreja da Terra não é só um antro de padres podres. A seu modo, ambos se importam com Maria e querem ajudá-la fazendo o que acreditam ser o certo. O problema é que isso implica que Maria deve desistir do que ela própria acredita ser o certo. Em uma análise cuidadosa, nenhum dos dois está errado. Imagino que agora a história vá engrenar e em algum momento deve surgir um inimigo que para ser derrotado precise não da Bruxa Maria nem da Igreja dos Céus, mas de uma posição intermediária a de ambos e que soluciona o aparente conflito entre os pontos de vista.

7 – Kamisama Hajimemashita II, episódio 3

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Nanami se impõe na reunião dos deuses e é imediatamente instada pelo deus anfitrião a executar uma tarefa que só um deus pode executar – e ela, orgulhosa e com vontade de sempre provar que é capaz aceita sem pensar duas vezes. No caminho ela se encontra com um demônio ligado ao passado de Tomoe. Um bom episódio de desenvolvimento do arco.

6 – Durarara!!x2 Shou, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Hollywood é uma idol. Espancada por Shizuo, é resgatada pelo seu irmão e curada pelo Shingen. Ela, que acreditava que não merecia ser amada por ser um monstro, conhece outros “monstros” (e Celty, um monstro de verdade, sem aspas) vivendo vidas normais e sendo felizes e conclui que ela própria também tem esse direito. Mas duvido que ela pare de matar, aparentemente ela tem uma agenda e uma lista bem definida de alvos.

5 – Garo: Honoo no Kokuin, episódio 15

No meio de uma cidade se recuperando, um grupo de pessoas quer ajudar o príncipe Alfonso e Garo, o Cavaleiro da Luz (naturalmente elas não sabem que ambos são a mesma pessoa) e decidem construir elas próprias o seu Cavaleiro da Luz. Com muita engenhosidade eles conseguem, e ao final enfrentam um urso selvagem a pedido de moradores de uma vila rural perto da capital e o derrotam, à custa da própria máquina que construíram e sob o olhar atento de Alfonso e German. É no fundo mais um episódio de desenvolvimento para o Alfonso.

4 – Yoru no Yatterman, episódio 3

Os Doronbo ganham aliados e uniformes novos e bem costurados! Através dos dois personagens novos um pouco sobre o Reino Yatter é descoberto. Eles ajudam Doronbo a fugir dos Yattermen e quando os robôs fascistas voltam para puni-los é a vez dos Doronbo ajudarem eles. No final todos escaparam com vida e estão agora se dirigindo para a capital.

3 – Yurikuma Arashi, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Se ainda restava alguma dúvida, não resta mais: todas as garotas com Yuri no nome são ursas disfarçadas. Isso inclui a diretora do colégio, que foi amiga da mãe da Kureha. De todo modo, Yurizono é morta nesse episódio e a tal Tempestade Invisível parece ser uma metáfora para o preconceito. Nada inesperado vindo de Yurikuma.

2 – Death Parade, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Episódio meio feliz meio triste, um romance entre jovens adultos que só se concretizou após a more, que serve para mostrar que é possível ambos irem para o céu ou para o inferno. Acredito que o “ambos irem para o inferno” esteja guardado para um episódio especial.

1 – Sanzoku no Musume Ronja, episódio 16

Pela primeira vez Ronja se opõe ao pai não apenas nas palavras, mas através de ações também. E Mattis lidou bem mal com isso. Excelente episódio que rendeu pela segunda vez o topo da classificação para Ronja.

Discussão