Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá! Aqui quem vos escreve sou eu, Tamao-chan, e venho com mais um artigo sobre Fuuka!

E parece que, depois de algo bem clichê ter acontecido (embora nem tanto, porque tem algo mais simbólico), Fuuka descobre que os amigos de infância Yuu e Koyuki estavam abraçadinhos na praia enquanto chovia muito forte. Mas não para por aí, porque nós descobrimos coisas legais neste episódio. A briga entre Fuuka e o protagonista quietinho é o de menos em vista do que vem por aí, embora fosse meio óbvio o que iria acontecer. Ao menos para mim soou mais estranho do que a viagem do Nachi para a praia só para pedir à Fuuka que fizesse parte do clube de atletismo, ou o trabalho ter sido menos puxado no dia seguinte do desentendimento, o fato deles conseguirem trabalho de meio período tão rapidamente com a ajuda da professora.

Com a descoberta da Fuuka, os dois meninos começaram a se estranhar e não saber como pedir desculpas um ao outro. Coube ao Makoto intermediar. Como ele é um excelente personagem que acaba sempre ajudando em alguma ocasião, achou que seria legal vê-los reatando os laços de amizade. Mas vemos que algo a mais pode crescer entre os dois, por causa do comentário que o Yuu faz. Ele diz que não suporta vê-la, a não ser que seja sorrindo, e era algo que não estava acontecendo. E aí vem algo clichê também, que foi o fato do menino ficar encucado, sem saber o porquê de ter dito ou pensado naquilo.

Depois da parte em que eles voltam a ser amigos, veio a parte onde tudo se explica. Após terem visto os instrumentos musicais no cômodo dos meninos e depois da professora ter conseguido o emprego rapidamente, não é possível que não tenham tido nem pistas de que eles faziam parte de uma banda, mesmo o dono da casa de praia tê-los contado. Mas o que eles não esperavam é que a professora deles e outros dois eram integrantes da banda HEDGEHOGS, a tão prestigiada entre os dois protagonistas. E aqui nós percebemos também de onde vêm os apelidos da Koyuki e do Yuu. Tama e Nico eram dois membros da banda que sumiram, causando o fim da mesma.

Para saberem se a Fuuka estaria apta a fazer parte de uma banda mesmo, os ex-integrantes da HEDGEHOGS se ofereceram para tocar, e até o baixo do Nico foi emprestado para o Yuu. Ela foi tão bem que o menino do clube de atletismo jogou a toalha e desistiu de recrutá-la. Depois de uma noite estrelada e um ecchi desnecessário, o protagonista volta para casa e encontra ninguém mais, ninguém menos, que a Koyuki. O que mais podemos esperar deste anime?

Bom, eu ainda estou cheia de expectativas diante deste anime. Sei que ele tem potencial e pode vir a melhorar daqui a alguns episódios. O fato de eu dar nota alta para ele não quer dizer que não vá fazer críticas com relação ao mesmo. Como é algo cheio de referências, e se você não prestar atenção não vai entendê-las, só esse fato faz deste um anime de qualidade. Acredito que Fuuka tem tudo para ser um dos melhores animes da temporada, sem dúvidas!

E aqui termino o meu artigo. Obrigada para quem leu até aqui e até o próximo!

  1. Eu também tenho uma grande expectativa neste anime, mas neste 4 episódio o anime apelou para uma coisa que eu não gosto nada de ver em um anime, que é a conveniência do roteiro. No episódio 3 foi muito conveniente para os protagonistas que a professora deles tivesse uma casa na praia e que lhes podia ceder os espaço para ficarem, até aqui tudo ok. Até que no episódio 4, se veio a descobrir que essa mesma professora e o patrão do restaurante de praia onde a Fuuka e o Yuu trabalhavam, eram na verdade os antigos membros da banda que eles gostava, coisa mais conveniente que isto não há.
    Começando pelo início do episódio, aquela Tama, não é o que aparenta ser, aquele agarrar forçado dela no Yuu, não foi por mero acaso, ela já se apercebeu que o seu amor de infância está a gostar de outra garota, mas também se ela não se confessar para o Yuu, como este bobo, viciado em redes sociais vai se aperceber que a Tama gosta dele. Depois disto, lá veio o velho clichê entre a protagonista feminina e o protagonista masculino, ficarem chateados um com um outro, por causa da Fuuka ter visto o Yuu com outra garota, já é um cliché tão velho e previsível, mas deu para tolerar. Para mim o Makoto é um dos poucos personagens confiáveis neste anime, foi preciso uma pessoa com juízo como ele, intervir no desentendimento entre a Fuuka e o Yuu, para estes pedirem desculpas um ao outro. Outro dos clichés deste episódio, foi o aparecimento do Nachi garoto chato do clube de atletismo que anda sempre a tentar recrutar a Fuuka para o seu clube. Mas claro, como este anime é quase rei dos clichés, o Nachi também tinha que saber tocar algum instrumento, nada mais conveniente para a banda da Fuuka.
    Neste episódio das poucas coisas que gostei de ver, foi a parte em que a Fuuka canta lá na praia, a voz da seyuu da Fuuka é muito boa. Estou curioso para saber no próximo episódio o que a Tama estava a fazer na casa do Yuu.
    Provavelmente não verei este anime até ao fim, se ele continuar a abusar dos clichés, ai sim não verei mesmo até ao final, mas enquanto o continuar a ver, continuarei a comentar os teus artigos deste anime Tamao-chan.
    Como sempre mais um excelente artigo Tamao-chan.

  2. Confesso que só vejo o anime por gostar das musicas(e espero ouvir mais) e a direção(A cena das asas foi criativa), mas nenhum personagem me interessa, fora que detesto a protagonista, justo no final quando eu finalmente começo a simpatizar eles jogam aquele ecchi do nada.
    Pra mim é um dos animes mais esqueciveis da temporada.

Deixe uma resposta para alex Cancelar resposta