Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

A Estrela da Morte do Charioce na verdade é uma Mão da Morte, e seu poder é capaz de romper até mesmo as mais poderosas barreiras protetoras criadas pelos deuses. Uma arma de um tempo antigo, antes da existência dos homens no mundo e que mesmo a maioria dos deuses nunca ouviu falar, embora fosse em um de seus templos saqueados que o projeto para sua construção estivesse guardado. Seu poder é capaz de rivalizar com o Bahamut, e Gabriel não tem a mais pálida noção de como os humanos foram capazes de construí-la. Um único disparo derrubou a nave divina do céu, com muito prejuízo, e custou apenas a visão do olho esquerdo de Charioce.

O título do episódio faz sentido – Adeus às Armas. Com uma arma dessas, todas as outras se tornam inúteis. As guerras acabam porque todos os que tiverem sabedoria, bom senso, medo ou simplesmente vontade de continuar vivos têm que se submeter ao domínio de Charioce.

Curta o anime21 no facebook:

Enquanto a arma estava sendo construída em segredo, Charioce podia ter alguma garantia de que ninguém iria desafiá-lo por sua posse. Os deuses atacaram de frente porque não contavam com o Dromo, se soubesse dele certamente sua tática de batalha teria sido muito diferente. E não apenas os deuses sob comando de Gabriel como quaisquer deuses agindo por contra própria, demônios e mesmo generais e senhores da guerra humanos adorariam obter o Dromo para si. Tê-lo é ter poder suficiente para dominar o mundo, e ainda que a arma em si seja super-poderosa, Charioce nem tanto. Ele sem dúvida já demonstrou ser mais forte que um ser humano normal, mas o que ele pode fazer contra um bem planejado plano de assassinato? César não pôde fazer nada. Não fosse Kaisar tão vocal sobre suas diferenças com o rei, poderia muito bem ter sido seu Brutus, por tudo o que o anime exibiu até agora. Os Cavaleiros de Ônix eu vou apenas assumir que de alguma forma, por alguma razão, estão ligados ao rei de forma que não podem ou não querem traí-lo jamais.

“Me abraça?”

O comportamento de Charioce é contraditório. Ao mesmo tempo em que ele é implacável com seus inimigos, ele evita a todo custo matar outros seres humanos. Os rebeldes anti-guerra foram apenas espancados, e os heróis fugidos da prisão também foram apenas combatidos com a intenção de recaptura. Nas relações pessoais do rei é possível falar em afeto ou piedade. Ele poderia, mas não quis, sentenciar Nina e Kaisar à morte. Também ordenou que Kaisar fosse poupado no final desse episódio. Mas por que esse comportamento piedoso (em partes) se estenderia aos Cavaleiros de Ônix? Foram eles que, sozinhos, decidiram recapturar os fugitivos nesse episódio, sem nenhuma intervenção do rei e ao mesmo tempo em que eram implacáveis com os deuses. Talvez reconheçam a Joana e o Kaisar, mas e a Rita? Foi poupada apenas porque estava junto dos outros dois? Mas isso nem é o mais estranho.

Por que Charioce ajudou Nina? Claro, ele ainda não sabia que ela era o dragão, mas ele sabia muito bem quem ela queria ajudar, o que ela queria fazer, e ele sabia porque ela disse literalmente, e pediu ajuda a ele. E ele ajudou, mesmo sem entender no que sua atitude poderia ajudá-la. Com efeito, desde que Nina caiu em sua cabeça ela não fez nada além de atrapalhá-lo ou desafiá-lo, e ainda que àquela altura ele já tivesse certeza da vitória, simplesmente permitir que Nina continuasse falando e fazendo o que quisesse não parece adequado para quem é uma pessoa autoritária que deseja exatamente o oposto que ela. Mesmo apaixonado que possa estar pela protagonista, a atitude de Charioce para com ela parece auto-sabotagem.

Como rei ele está sempre entediado. Ele só se diverte mesmo disfarçado de plebeu, andando pelas ruas da cidade, sozinho. E ao mesmo tempo ele possui uma determinação inacreditável em sua missão de submeter deuses e demônios, estabelecendo a hegemonia dos seres humanos no mundo. Uma missão grande demais para alguém que só quer dançar e flertar com uma garota bonita e inocente. Seu passado continua sendo um mistério, e acredito que nele jaz o segredo para sua atitude e personalidade aparentemente contraditórias. O desejo de ser feliz? Ou o senso de responsabilidade? Por que ele assumiu essa responsabilidade em primeiro lugar? Se fosse apenas por vontade própria, acredito que ele seria capaz de usar a mesma vontade de ferro para esmagar seus desejos egoístas. Teria há muito parado de passear pela cidade. Jamais teria permitido que Nina fizesse o que quer. Há algo mais forte que a vontade de Charioce aí.

Talvez em seu íntimo ele deseje que alguém o pare? Seus adversários pelo trono foram todos aniquilados. A corte se acovarda diante dele. Os Cavaleiros de Ônix são seus cães fiéis, e dois capitães sucessivos dos Cavaleiros de Órleans foram incapazes de fazer o que era necessário – Joana desistiu e Kaisar foi indeciso até o fim. Azazel e os demônios foram fracos demais. Os deuses também. Será Nina capaz de salvar Charioce de si mesmo?

Nina tem o que é preciso?

  1. Acho que faz por volta de um ano quando li um artigo antigo seu, Fábio, no qual você dizia algo sobre, um dia, todas as pessoas do mundo serem redatoras do Anime21. É incrível ver tantos redatores atualmente no blog, apesar de ainda não ser à mesma quantidade mundial, hehehe.
    Enfim, sobre o episódio, a luta entre às deusas e o ovo, à explosão e a reação (ou talvez falta de reação) da Rita foram legais. Ainda tenho minhas dúvidas quanto ao Charioce também, além de estranhar se há alguém nos bastidores ajudando o rei.

    Fora isto, ótimo post. Até!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Acho que não tem ninguém por trás do rei não. Seria muito barato, muito fácil colocar a culpa em um terceiro puxando as cordas por trás dos panos. O Charioce precisa ser totalmente responsável por ser atos, e é nessa condição que ele irá precisar se redimir eventualmente, sobreviva ao anime ou não.

      E eu também fico muito satisfeito com o crescimento da equipe! Descobri do jeito mais complicado que é um trabalho pesado gerenciar uma equipe, mas acho que estou pegando o jeito e o blog está melhorando como eu gostaria (embora talvez não tanto quanto eu gostaria) =)

      Obrigado pela visita, pelo comentário, e pela paciência em esperar tanto tempo por uma resposta =D

  2. Este episódio de Bahamut foi bom e teve uma animação decente (como eu respeito o estúdio Mappa, por fazer a Nina em forma de Dragão em 2d). Começando pelo ataque cheio de ódio do exército dos deuses à capital real, estava bem na cara que ia haver massacre numa das partes envolvidas no conflito. Eu por incrível que pareça, e conhecendo que os deuses não são flor que se cheire, eu estava a apoiar o ataque dos deuses. Os humanos (não todos) sobre o controle do Charioce estão a fazer muita porcaria naquele mundo, tentar erradicar tanto deuses como demónios, nunca dará bom resultado. Foi bem satisfatório, ver a cara de pavor dos soldados do Charioce, quando o exército dos deuses começou a sobrevoar a cidade, só foi pena os deuses não terem exterminado aqueles soldados (cujas vidas não valem nada para o Charioce). Quando o Charioce, liga o Dromo, e aponta para a fortaleza voadora dos deuses, a batalha já estava decidida. O El foi muito convencido em relação aos seus poderes e a Gabriel errou ao atacar o Charioce de frente. Quando o Charioce dispara o Dromo, a fortaleza voadora dos Deus não teve hipótese, já que tal arma parece ser bastante efectiva contra o poder dos deuses (tal como as armaduras negras dos cavaleiros de Ônix), mesmo com o El a colocar todo o seu poder em prol da defesa daquela fortaleza, o mesmo não foi o suficiente para aguentar o impacto do poder do Dromo. A explosão e queda da fortaleza dos deuses, foi um espectáculo de pirotecnia nota 10, as cores de tal explosão foram lindas.
    Agora a parte mais séria, o que leva o Charioce a arriscar a sua vida, o Dromo tal como as armaduras negras, consome a vitalidade do seu portador, qual será a grande motivação do Charioce exterminar os demónios e dos deuses. Eu achava que o Charioce iria perder bem mais, que a visão de um dos olhos quando usou o poder do Dromo, mas como ainda faltam uns bons episódios para o final do anime, o Charioce não poderia ficar a parecer um morto vivo antes do tempo. Retornando ao Dromo, eu não podia estar mais de acordo com o título deste artigo, o Dromo é a arma de destruição maciça daquele mundo. Como bem referiste, tal arma seria desejada tanto pelos humanos, deuses e demónios, já que esta tem um grande poder de destruição, além que seria uma mais valia para conquistar e controlar o mundo.
    Passando mais uma vez ao Charioce, eu acho que ele é manipulado por alguém, se assim não fosse, como ele consegue alcançar todos os seus objectivos com certa facilidade. Além da sua cegueira, ao querer exterminar outras raças e colocar os humanos no patamar do domínio. Eu sempre desconfiei o facto do Charioce ter duas personalidades,uma quando se veste de plebeu e responde pelo nome Chris e outra quando está sentado no trono como rei de Anatae. Aquele cavaleiro chefe dos cavaleiros negros é muito suspeito, ele quase que manda mais que o rei em certas partes, ele parece que manipula o Charioce, para atingir os objectivos dele.
    A parte da Nina e do Charioce nesre episódio foi boa. A Nina é mais verdadeira com os seus sentimentos do que o próprio Charioce com os dele. A Nina sabe das coisas más que o Charioce fez, tanto como pessoa como rei, mas ainda assim gosta dele e tenta e vai tentar ajudá-lo, a força de vontade dela, é digna de nota. Aquela parte em que o Dromo para depois de abater a fortaleza dos deuses e a Nina repara que o Charioce perdeu a visão de um dos olhos, só demonstra como a Nina se preocupa com o Charioce. O Charioce tem um comportamento contraditório na maioria das vezes, mas quando envolve a Nina, acredito eu que aparece o verdadeiro Charioce. Dúvidas houvesse que o Charioce gosta da Nina, neste episódio elas desapareceram. Aquela troca de olhares entre a Nina e o Charioce dizem tudo. Além que aquela parte em que a Nina lhe pede para ele a abraçar, foi algo meio sem lógica, para um rei tirano, mas o que o amor não faz no coração das pessoas.
    Antes de passar ao verdadeiro duelo de titãs entre a Nina e o gigante de pedra, a parte em que os cavaleiros negros chacinam os deuses remanescentes, foi de doer a alma. E de doer mais a alma, foi ver a ex-santa Joana a implorar que os cavaleiros negros parassem de matar os deuses (afinal aquilo era um crime imperdoável).
    Agora passando à luta entre a Nina e o gigante de pedra, esta luta foi épica. Não bastando ver a Nina transformada em um dragão 2d, o estúdio Mappa não poupou esforço e dinheiro, ao apresentar um gigante de pedra bem parecido com os gigantes de pedra que saiam das muralhas de Anatae na primeira temporada. A luta entre ambos, foi boa em tudo, o gigante de pedra por momentos teve a vantagem (aquela parte da luta onde o gigante asfixia a Nina, foi muito bem feita), mas como a Nina é robusta e determinada, conseguiu vencer o gigante de pedra. Ainda não sei, se os cavaleiros negros são um bando de burros, ou então um bando de desatentos, eles não sabem que a magia de confinação não consegue travar o poder de um dragão.
    Aquela parte em que a Nina, regressa em forma de dragão para junto do Charioce, como se quisesse um carinho da pessoa amada foi muito boa. E o que veio a seguir ainda foi melhor, quando o Charioce apanha a Nina nua e a Rita aparece a dizer, que o Charioce não devia tocar numa garota nua, foi nota 10.
    O Favaro deu mais uma pausa na sua participação no anime, já que com a explosão neste episódio ele foi arremessado para a terra onde o Judas perdeu as botas. Por sorte dele o Kaisar estava lá para fazer as palhaçadas no lugar dele.
    O Kaisar já enfrentou tantas vezes o Favaro que já apanhou as manias dele, aquela parte em que ele enfrenta os soldados de Anatae para conseguir tempo para a Nina e a Joana fugirem foi muito engraçada.
    Antes que me esqueça, a tua referência a Júlio César e ao filho adoptivo dele, Brutus, caiu que nem uma luva neste artigo. O caso do Charioce, é bem parecido com o caso de Júlio César, afinal ninguém gosta de tiranos e ditadores (o Júlio César coitado, teve azar, um dia quando ia a sair do Senado, foi esfaqueado 12 vezes nas costas e uma dessas facadas, foi dada pelo seu filho predilecto Brutus).
    Como sempre, mais um excelente artigo de Bahamut Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu só não conseguia vibrar com a aparente vitória dos deuses porque os que estavam morrendo eram soldados comuns e Cavaleiros de Órleans, não os Cavaleiros de Ônix, que são mais próximos ao rei. Basicamente, morriam inocentes, forçados a lutar por ordens lunáticas de um rei com uma agenda secreta. E a cidade estava sofrendo severos danos também, o que sem dúvida causou muito sofrimento e dificuldades para os habitantes, quando eles voltaram.

      Bom, acho que a tese de que o Charioce é manipulado por alguém não cabe mais, né? Ele pode até ter sido, no passado, convencido por alguém ao que quer que esteja fazendo agora. Mas no presente momento não há ninguém acima dele, nenhum conselheiro secreto, e ele age por volição própria. Mas a dúvida de qual seja esse seu objetivo vai continuar me matando por mais algumas semanas, já que Bahamut só retorna dia 18 agora! Ai que tristeza!

      A luta entre a Nina e o gigante foi muito boa mesmo, eu achei que deveria ter comentado sobre ela, mas bom, acho que não tinha o que falar, foi uma boa luta e mostrou que ela é mais forte que os gigantes, hehe.

      Se o Charioce ainda vai ser traído eu não sei, mas o candidato a Brutus já temos, não é? =)

      Obrigado pela visita e pelo comentário! =D

      • O Brutus do Charioce, está tão perto, agora basta saber, quando este dará uma punhalada no Charioce. A cena da luta da Nina contra o gigante foi muito boa. O Charioce às vezes parece que tem dupla personalidade, mas compreendo os motivos dele (só a Nina para o mudar, já que parece que ele gosta mesmo dela).

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Será que haverá punhalada? Eu acho que seria uma boa reviravolta, mas acho que falta carisma ao Brutus para ele poder se transformar no principal antagonista…

      • Acho que o Brutus do anime, vai dar uma punhalada, mas não pode ser a quem a gente pensa que é. O capitão dos cavaleiros negros está nas últimas, por causa da armadura. Ele quando se sentir acurralado ou em risco de ser traído, ele vai fazer muito mal (principalmente à pessoa que ele julga que enfeitiçou o rei)

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Tenho mantido uma desconfiança sadia daquele cavaleiro de Órleans que vive reclamando de tudo também.

      • O Alessandro, tem a maior cara de vira casaca do anime. Na primeira oportunidade ele não vai trair só a Ordem de Orleans como o Diaz, o Kaisar e a Joana. Ele quer boa vida e status social, sem fazer nada.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Esse mesmo. E já vimos, no episódio com a Joana, que infelizmente não faltam folgados entre os Cavaleiros de Órleans. A coisa pode ficar bem complicada.

      • O Alessandro, não entrou para a Ordem dos Cavaleiros de Orleans, em busca de honra e fama, ele só entrou lá, para paparicar a Cavaleira Santa Joana. Ele nunca esteve a fim, de levar a sua participação naquela Ordem a sério (dai ele passar a vida bêbado que nem um cacho). Só tenho pena do Diaz, um cavaleiro honrado e fiel aos seus dois capitães (Joana e Kaisar), este ainda paga os serviços da Cerberus que o Alessandro usufruiu.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        E como não dá pra imaginar o Kaisar morrendo, se for pra dar merda na Ordem, já sabe quem está com seus Diaz contados, né…

      • Que belo trocadilho que fizeste ai Fábio. Está na cara que o Kaisar nunca vai morrer e a Joana, por isso só sobra o pobre coitado do Diaz (nem estou a contar com o Alessandro, este já deveria ter morrido faz tempo).

Comentários