Opa! Tudo bom com vocês? Como pode-se ver, o artigo de hoje é sobre Aho-Girl!

Aho-Girl é um anime que por conta de seu desenvolvimento e história, ou vai ser muito amado, ou bem odiado. Claro que esses dois extremos já começaram a aparecer por aí (naturalmente). Há também quem ainda não deu uma chance por algum motivo, seja por conta da duração ou por conta da sinopse; gostaria de dizer que pela minha perspectiva vale bastante a pena assistir.


Sendo um anime non-sense, dividido em partes pequenas que geralmente não possuem ligação no enredo, e de curta duração, não há como negar, ou você ama ou odeia.

Fora Aho Girl possuir uma história bem non-sense, o que “interliga” os episódios é que, sendo eles divididos em partes, o episódio seguinte sempre continua com o número sucessor (exemplo: o episódio 1 terminou na parte quatro, então o episódio 2 começa uma nova história, ou parte cinco). Esse “dinamismo”, por assim dizer, faz com que para mim, pelo menos, a impressão de repetição vinda da proposta do anime seja aliviada. 

Como eu já tagarelei sobre o formato dos episódios de Aho-Girl e sobre eles serem sempre divididos em partes, gostaria de comentar sobre o de hoje, em que houve uma dinâmica bem diferente dos demais episódios. Esse episódio, se não me falhe a memória, pareceu possuir mais do que 4 partes (diferente dos outros episódios, que possuem exatas quatro partes cada um e isso é sempre deixado bem claro), o que me fez ficar um tanto perdida, já que, uma das partes do episódio era “interrompida” por outra, e depois voltava no intervalo entre outras partes (não sei se deu para entender muito bem, mas foi o jeito mais simples que encontrei de explicar). Resumindo, uma das partes foi fragmentada e ia acontecendo em momentos separados (bem mais fácil agora, lol).

Essa mudança foi divertida da mesma forma. Tivemos uma “retomada” de dois personagens que me fizeram rir muito, e acredito que nesse episódio também podemos ver o quão contagiosa a idiotice de uma pessoa pode ser. Foi um pensamento vindo de uma idiota, que mesmo sem intenção, se tornou algo questionável até mesmo para uma professora (eu morri de rir nessa parte).

Eu gostei bastante do episódio, do dinamismo de uma das partes, e da retomada de personagens que eu havia me simpatizado. Do meu ponto de vista, foi definitivamente um episódio digno de uma aho-girl. E é isso pessoal!Vejo vocês nos próximos episódios! Bye:3

Discussão