Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Bom dia!

Acredita que eu sonhei com esse anime? E não tinha nada a ver com o anime, como todo bom sonho tem de ser. Quero dizer, será que não tinha mesmo? Bom, certamente não tinha nada a ver com o anime até agora, mas depois de Kujira no Kora me despistar completamente com o final do episódio anterior, apenas para me confundir um pouco durante o meio desse e então me surpreender com um BANG, não duvido de mais nada.

Curta o anime21 no facebook:

No meu sonho, o Chakuro (que às vezes era o Chakuro e eu apenas o observava, às vezes era eu próprio) conseguiu de alguma forma fugir de seus perseguidores decolando com a Baleia de Lama e colocando-a em órbita. Sério. Lá estava ele e um grupo indeterminado de sobreviventes, na estratosfera, a pensar sobre o próximo passo que deveriam dar, ou se ficar por lá mesmo seria o mais sensato. De cabeça, o único mangá ou anime fantástico que eu lembro que em um arco tem seus personagens vagando pelo espaço (e é pelo espaço sideral mesmo, não apenas orbitando o planeta) é 3×3 Eyes. É um mangá, uma coisa meio Ushio to Tora mas com criaturas da mitologia indiana, e no lugar de um parceiro tigre é uma deusa de três olhos e duas personalidades (ela muda quando abre o terceiro olho) e interesse romântico do protagonista. É muito bom. Adoraria um anime do mangá inteiro. Mas é muito antigo, então… bom, isso aqui é artigo de Kujira no Kora, não indicação de 3×3 Eyes (mas eu indico!).

Está lembrado como em meu artigo de primeiras impressões eu estava crente que esse anime era uma legítima aventura, em formato clássico mesmo? A aventura acabou bem rápido. E não serviu para muita coisa. Chakuro e Ougi foram presos nos intestinos da baleia (sério, isso não vai mesmo ser uma aventura? Até a expressão “barriga da baleia” é jargão do gênero aventura…), Lycos que não se chama Lycos foi presa em uma torre, e os anciãos estão desesperados procurando por alguma coisa no infinito oceano de areia ao seu redor. Ao final do episódio, essa coisa os encontrou. Pobre Sami.

O Chakuro não entende nada mesmo

Eu até estava achando fofinho o ciúmes que ela estava sentindo e demonstrando em relação ao interesse súbito do Chakuro pela Lycos. Sei que não é legal ficar me divertindo com o sofrimento alheio, mas ei, ela é uma personagema fictícia e não fui eu quem escreveu essa história, ok? O Chakuro nem percebeu nada, e se percebeu algo, não entendeu. Também pudera, ainda no episódio anterior ela havia negado categoricamente (e em uníssono com ele) que pudesse haver qualquer interesse romântico entre os dois. E eu aposto que ela estava sendo sincera. Tanto lá quanto aqui. E sendo sincera com seus próprios sentimentos, reagiu instintivamente e protegeu Chakuro com o próprio corpo no final do episódio.

No final, a pequena “aventura” à ilha da Lycos serviu só para descobrirmos que ela não se chama Lycos, para descobrirmos o que realmente é Lycos, e mais algumas coisas que provavelmente serão importantes para o enredo futuro do anime. Por enquanto, sabe-se que a Lycos (ela não disse seu verdadeiro nome então vou continuar chamando-a de Lycos) acredita que não ter sentimentos é o melhor e acredita que nem ela nem nenhum dos seus realmente têm qualquer sentimento, ainda que ela tenha chorado logo em seu primeiro encontro com Chakuro. A separação do monstro devorador de sentimentos a angustia, e parece que quanto mais tempo afastada de sua ilha, mais seus próprios sentimentos afloram. Ou é nisso que ela acredita.

Lycos em frente ao Lycos

Sentimentos sem dúvida serão um dos temas centrais do anime. Nem dá para dizer que ter ou não ter sentimentos seja o que separe os pecadores da Baleia de Lama de seus algozes, já que o anime começou seu primeiro episódio explicando exatamente como eles não deveriam sentir nada, não deveriam demonstrar emoções, porque isso seria ruim. Ruim por quê? Eles têm lá seu mito folclórico na medida para assustar crianças. Aqueles que o perseguiam, assim como Lycos, renegam sentimentos e emoções por razões práticas: para ser melhores soldados. E parece haver alguma norma de fundo moral sobre isso também. Agora, tecnicamente, é como se o anime fosse recomeçar tudo de novo no terceiro episódio. Estou mais ansioso dessa vez do que estava antes do primeiro.

Comentários