Então, gente, parece que na sexta-feira passada não houve o sétimo episódio de Soul Hunter porque teve algum especial passando em seu horário. Não que eu esteja triste, muito pelo contrário, mas posso dizer claramente que sinto mais falta de Sangatsu no Lion 2 na minha vida que desta nova adaptação de algo que tinha tanto prazer em acompanhar na infância. Não sei porque resolveram pular tantos detalhes importantes para poder chegar rapidamente na parte onde Dakki finalmente consegue a atenção de todos por conta de seus poderes e declara uma guerra definitiva contra Seiki. Claro que isso ia acontecer uma hora ou outra, mas fazer questão de pular até alguns detalhes importantes, como a morte de um humano comum, cuja alma vai direto para o Houshindai, e sem esclarecimentos sobre isso é o fim da picada. Por isso, acho que vou comentar só algumas partes mesmo e ir embora, pois estou bastante revoltada. Beijos.

O descontentamento com o anime não me permite escrever apenas 154 caracteres, então tolerem tudo o que vou falar, por favor. Além de resumirem mal e porcamente o passado do rei Ki Shou, também adiantaram bastante a morte dele. Claro que isso acarretaria uma dança das cadeiras no cenário político, fazendo com que o seu filho mais velho tomasse frente a seu antigo posto. O fato que ele é totalmente mulherengo e sem noção nós podemos deixar para lá, certo, já que ele tentou ser um alívio cômico (embora não tenha funcionado na situação atual).

O que me abalou um pouco foi o fato de o Imperador Chuuou estar tão ensandecido por conta do poder da Dakki que adquiriu uma força sobre-humana, além de fortes confusões mentais e, depois de algum tempo, Bunchuu ficou surpreso pelo comentário dele. Não sei quanto a vocês, mas achei a parte da declaração de guerra entre os sennins um pouco fora do contexto, já que nenhum dos dois lugares (Ilha Kengou, é isso? E o outro não faço questão de lembrar) foi citado antes. Aliás, fora do contexto nem é a frase correta, porque claro que haveria um conchavo de muito tempo por aí, mas acredito que poderiam colocar isso para mais adiante e tentar fazer com que isso tivesse mais sentido.

E, por último, decidi comentar sobre a declaração de guerra entre o povo de Chouka e de Seiki. Por conta da “falsa rebelião” gerada pelo fato de Buseiou ter saído de Chouka com sua família porque Dakki e o Imperador Chuuou fizeram Bunchuu acreditar que o seu amigo do peito o houvesse traído, este resolveu ser aliado da raposa desta vez, já que ela também precisa de poder total sobre os humanos e conseguir controlar todo mundo. Enquanto isso é um problema, o outro é que Taikoubou, que no início do anime foi confundido com um bobo alegre, agora se tornou um excelente estrategista, sendo que ele caminhou por um árduo caminho até finalmente chegar a esse posto. É algo tão sem noção que me faz ter nojo.

Ai, sai daqui.

Além do mais, o filho mais velho decidiu muito rápido que ia ter uma guerra, não? Não sei quanto a vocês, mas muitas lacunas foram adicionadas para deixar todo mundo confuso, principalmente quem está vendo por causa da nostalgia. O final do anime logicamente vai ser diferente, e já já deve chegar na parte onde o anime antigo tinha parado. Espero que seu fim seja digno, pelo menos.

Discussão