O meu pai sempre disse: “Se eu parar de trabalhar, não sei o que será de mim. Provavelmente ficarei deprimido”. Yanagihara-san, em seus plenos 66 anos, não planeja se aposentar tão cedo, assim como o meu pai, que continua trabalhando mesmo depois de sua aposentadoria. Porém, se ele perder essa partida, será um “trágico” fim para a sua vida de jogador de shogi. Afinal, quem está acostumado com essa vida e carrega o fardo dos outros tende a seguir em frente, não é mesmo?

Depois que se chega a uma certa idade, não tem jeito mesmo. A tendência é ficar doente, dependendo do estilo de vida que se levava quando era mais novo, claro (não vamos colocar o Nikaidou no mesmo balaio porque ele tem uma doença crônica desde pequeno e se alimenta muito bem). Shimada tem a saúde debilitada devido ao estresse – com gastrite severa -, e Yanagahara envelheceu, então precisa tomar remédio para gastrite, pressão, catarata, etc… além de precisar sempre andar com aquelas fitas que aliviam dor nas costas. O negócio é que, além da tensão da partida em si, tem outro tipo de tensão que toma conta de seu corpo por anos a fio.

Pela quantidade de remédios, sabemos que saúde não é brincadeira. Mas também devemos nos preocupar com a quantidade de cigarros que ele fuma q

O problema é que, à medida que ele avançava, os seus companheiros de shogi ficavam cada vez mais para trás, a ponto de serem rebaixados e não poderem mais jogar shogi, fazendo com que arranjassem outro emprego (sabemos que, quando chegamos aos 24 anos e não progredimos para pelo menos a Classe-B, somos “expulsos” da Associação de Shogi). Já que todos eles ficaram impossibilitados e eram muito amigos de Yanagahara, eles incumbiram a seguinte tarefa: “Já que eu não consegui avançar, avance por mim”. Esse peso fez com que ele ficasse, não apenas com as mãos atadas, mas também todo o seu corpo. Era como se ele estivesse com faixa por todo o seu corpo.

Faixas que cobriram o âmago de seu ser que perduram desde novo.

Além desse “fardo” que carrega por anos, mais uma barra que é gostar de você ele teve que segurar. Um de seus amigos de velha guarda está se aposentando e, pelo fato dele também viver só daquilo um longo tempo, ele estava com medo de saber como seria sua vida depois de sua aposentadoria. Apesar disso, Yanagahara, a esposa dele e sua filha o encorajaram a aproveitar o que restava ao máximo, não importa o que acontecesse, mesmo que estivesse se sentindo no meio de uma lavoura queimando. Yanagahara, por assim dizer, usou as forças finais do amigo para se tornar a própria tocha humana para tentar manter-se vivo até o final da partida, mesmo ganhando ou perdendo.

E mais algo passou a consumir-lhe o ser. Desta vez não são faixas, e sim chamas, que podem definir o que acontecerá daqui em diante.

Enquanto havia uma partida tensa entre Shimada e Yanagahara (a “vida” deles, inclusive, depende disso), Kiriyama e Nikaidou estavam estrelando como “os dois príncipes do shogi comentando a partida de dois alunos formando que não compareceram no dia de tirarem a foto da turma” (eu não sei o que é pior, isso ou aquela foto que pareciam que os dois haviam morrido e ido para o céu, embora a saúde de ambos dê condições para que isso aconteça em breve q).

Enquanto a partida está esquentando, a mente e o corpo de Yanagahara já estão em chamas por múltiplas coisas do passado e do presente. O que será que acontecerá assim que ele colocar aquela última peça do episódio que ele colocou? Muito obrigada por lerem até aqui.

Discussão