As coisas continuam correndo demais neste anime, mas deu para entender umas coisas.

Agora posso dizer que eu me fiz de desentendida no último episódio. A ilha Kunlun e a ilha Kingou são dois lugares essenciais para podermos entender sobre uma das lápides do anime. Nos primeiros artigos, lembro de ter falado todos os detalhes possíveis sobre coisas que muita gente perdeu. Inclusive, até agora, não sei se os filhos do imperador Chuuou aparecerão e, se sim, não sei como vão enfiá-los na história. O mesmo posso dizer sobre a outra irmã de Dakki e de Raishinshi, um dos aliados de Taikoubou, tanto no mangá, quanto no anime antigo.

Mas agora que os conflitos “ilhásticos” estão para começar, é importante nos atermos a alguns detalhes. Primeiramente, esta parte surgiu cedo demais neste anime, já que 3840384032 personagens novos foram aparecendo, inclusive as 3 irmãs do início, que mais se parecem Power Rangers às avessas. Acredito que elas não farão mal algum, mas decidiram colocá-las ali, no início do episódio; a troco de quê, meu Deus? Eles acham que vão mesmo deixar o anime melhor metendo gente assim, além dos 12 sennins mais fortes? Não faz sentido, não concordam? Eu cansei mesmo de entender a não-lógica mais extraviada que de Pokémon.

VEJAM SÓ, COMO ESSE BUNCHUU É ASTUTO!

Mas voltemos aqui, né, gente! Foco é importante! O que eu quero dizer mesmo é que as ilhas são importantes para separarem os sennins. Mas como assim? Há um conchavo entre povos, pelo que entendi. Os que estão ao lado de Bunchuu, ao mesmo tempo estão ao lado da dinastia Yin, mesmo que indiretamente, corroborando assim com o plano de Dakki, e os que não estão, e que boa parte morreu nessa rixa entre Taikoubou e o preceptor, são da ilha Kunlun, ou seja, estão do lado do protagonista.

Sinceramente, entre todos os episódios que se passou, nunca vi tantas almas indo para o Houshindai. Em sete episódios, era para ter tido a explicação sobre o porquê até almas humanas vão para lá (em um dos artigos eu coloquei essa explicação), já que a alma do filho de Kishou foi para lá depois de sua execução por ter “dado em cima da ATUAL ESPOSA do imperador Chuuou” e ele nem é Sennin, muito menos mostrou Taikoubou tendo sucesso em mandar uns carinhas para lá (só o cara do sabre de luz quem mandou). Afinal, o que querem que eu pense desse novo protagonista que criaram? Que eu aplauda de pé as estratégias dele, que mais parecem os “Planos Infalíveis” do Cebolinha? Que os planos que deram certo agora deram errado porque sim?

Metade das almas que Taikoubou sequer conseguiu mandar para o Houshindai, o inimigo enviou. MUITO BOM MESMO, TAIKOUBOU! QUE LIDERZÃO TU É!

Mas, para mim, o melhor líder da equipe dos aliados de Taikoubou não é o protagonista, e sim o Youzen. Mas que gênio… E ao mesmo tempo, que cara estúpido. Entendo que ele tenha se infiltrado com sucesso no covil do inimigo, mas o que acontece aqui foi ter se transformado de volta antes da hora. O que aconteceu, Youzen? Mas acredito que, mesmo assim, Bunchuu ia ver através de seu plano. Ele é esperto, afinal… Eu acho. E o encontro do “transformista” com o cara que estava guardando a verdadeira fortaleza da ilha Kingou se tornou mais emocionante ao final, por causa da verdadeira forma de Youzen. O que é aquilo? Eu, hein!

Kunlun é falado várias vezes e eu esqueci. Que boa memória eu tenho.

Como a minha imaginação de escrever acabou por aqui, já vou indo. Tchau.

Discussão