Vocês já tiveram um amor impossível? Um amor que por um motivo muito forte era praticamente impensável de se realizar? Você já viu um anime com o qual conseguiu se identificar ao menos um pouco por isso? Eu já, e criei esta lista justamente com a intenção de falar um pouco sobre animes que narram amores impossíveis sob diferentes aspectos. Obras que ora te farão sorrir, ora te farão chorar, e têm em comum um amor que enfrentará barreiras muito difíceis de serem superadas.

E aí, preparados para os animes? Se sim, então lá vamos nós!

Shigatsu wa Kimi no Uso

Kousei é um ex-pianista prodígio que desistiu dos palcos depois que sua mãe morreu. Kaori o viu tocar quando era mais nova e isso a inspirou para que se tornasse uma violinista. De repente, eles estão no mesmo colégio e, em um dia ensolarado que parecia ser igual a todos os outros, ele a vê tocando para crianças em um parque. Foi paixão à primeira vista! Mas parece que ela gosta é de um amigo dele. Ele vai ter que superar a morte da mãe, seus medo e traumas, e voltar a tocar piano – tudo isso para acompanhar a sua musa nos palcos. Kaori mudou a vida de Kousei para sempre – e para melhor. E Kousei, o que pode fazer por Kaori? Quais são os segredos que ela guarda bem no fundo de seu coração e não pode, não quer ou não consegue revelar? Qual é a sua mentira em Abril?

 

Kuzu no Honkai

[Primeiras impressões]

Hanabi ama Narumi – seu ex-vizinho, amigo de infância e agora professor de sua escola. Mugi ama Akane – sua professora que é muito diferente do que aparenta ser. Só que os dois, Narumi e Akane, acabam se envolvendo, o que frustra os planos que os jovens tinham de se confessarem. E é na angústia de não terem seus amores correspondidos que eles acabam por “fingir” um namoro – tentando substituir a pessoa amada. Para aumentar o número de amores não correspondidos, a amiga de Hanabi, Sanae, se envolve com ela enquanto Noriko, amiga de infância de Mugi, tenta desesperadamente ficar com ele. É com esse emaranhado de paixões cruzadas e amores não correspondidos que o drama expõe as piores facetas – e a beleza sutil – do que seria o amor.

 

Fruits Basket

Os membros da família Souma não podem ser tocados por pessoas de fora. Mas por quê? Porque treze membros foram acometidos por uma maldição que os transforma em cada um dos animais do zodíaco chinês. Mas espera, treze membros? Isso mesmo, o décimo terceiro é o gato, que carrega um fardo ainda maior que os outros. Mas o que está por trás desse dramalhão todo é que uma menina chamada Tooru descobriu um fato interessante: ao tocar nos homens dessa família, eles se transformam no animal que lhes foi concedida a maldição. Então eles não podem se relacionar com ninguém de fora, até que esse fenômeno deixe de existir. O tabu criado neste anime é o fato de que o amor na família Souma não pode existir por conta de tal infelicidade, e ninguém pode descobri-la.

 

Koi to Uso

[Primeiras impressões]

O que você faria se não pudesse escolher com quem quer namorar porque o governo é que diz com quem você vai se casar? É nessa sociedade distópica que Yukari e Misaki se apaixonam, mas ela não é a noiva designada para ele, o que os coloca em um impasse, já que não podem viver abertamente esse amor e Ririna, aquela escolhida pelo governo para se casar com Yukari, cai de paraquedas no meio desse romance e se torna grande amiga dos dois – tornando a situação mais delicada do que já é. Se aproveitando do recorrente problema da baixa natalidade e da cultura do omiai – casamentos arranjados –, essa história tenta apresentar uma solução ideal para incentivar os relacionamentos na sociedade japonesa, mas será que a liberdade individual é um preço justo a se pagar por isso?

 

Plastic Memories

Tsukasa falhou nos exames para a faculdade, mas arranjou um emprego na SAI, uma corporação que cria Giftias – androides muito semelhantes a humanos, mas que possuem um tempo de vida pré-determinado. É lá que ele conhece Isla, uma Giftia veterana na divisão responsável por recuperar os androides que chegaram ao limite de sua vida útil, e formam uma dupla. Enquanto vão conhecendo as histórias de várias pessoas que terão que dar adeus aos seus Giftias, os sentimentos que desenvolvem um pelo outro se acentuam, e eis que eles se veem apaixonados e com cada vez menos tempo antes de serem eles aqueles que terão que dar adeus um para o outro. Uma história que nos mostra como devemos valorizar cada momento ao lado de quem amamos como se fosse o último.

 

Koi wa Ameagari no You ni

[Introdução] [Primeiras impressões]

A jovem Akira se machuca em uma corrida e acaba por se afastar do clube do qual fazia parte. Para preencher o tempo livre ela arruma um emprego em um café que é gerenciado por um simpático senhor de meia-idade, Masami, pelo qual se apaixona. E é entre as tentativas de aproximação da garota e as reflexões melancólicas do Gerente, que se desenvolve uma bela e edificante amizade através da qual há muito mais a se explorar do que o simples viés romântico. Uma história em que o amor tem como grande barreira a diferença de idade, mas se aprofunda muito além desse aspecto.

 

Hoshi no Koe

Mikako e Noboru são amigos que têm sentimentos um pelo outro, mas nunca reuniram coragem o suficiente para se declarar e, com a descoberta das ruínas de uma civilização alienígena em Marte, Mikako foi selecionada para se juntar a uma expedição especial que não tem data para acabar. O sci-fi aqui age apenas como pano de fundo para uma história que se passa em 2046, mas fala de algo que aflige casais de qualquer época: uma distância física que eles não conseguem superar. Um OVA simples e belíssimo que apresenta uma história de cortar o coração, do prestigiado Makoto Shinkai.

 

Koi Kaze

Koi Kaze é um anime de drama que expõe todos os sentimentos mais amargos que alguém pode ter. De um lado temos Koshiro, um consultor de casais de 27 anos, e do outro Nanoka, uma colegial de 15 anos; dois irmãos que foram separados enquanto ainda eram pequenos. Motivo: o divórcio dos pais. Assim que se reencontram, Koshiro – que estava à procura do amor depois de perder a namorada – passa a nutrir sentimentos avassaladores por sua irmã mais nova. Quanto mais tempo eles passam juntos, mais esses sentimentos se tornam claros – o que chega a deixar Koshiro com raiva e muitas vezes o faz maltratar a própria irmã. Este anime é muito profundo psicologicamente falando, e enquanto eles vão passando por esse tabu, também tentam viver suas vidas normalmente.

 

Chrno Crusade

Os protagonistas dessa história de ação sobrenatural, ambientada em um mundo dieselpunk, são Rosette – uma “freira de ação” – e Chrno – um demônio. Os dois pertencem a filial de Nova York da Ordem de Madalena – criada pela Igreja para caçar demônios. O relacionamento entre eles não é explícito na maior parte do tempo, mas fica claro logo no começo que, embora ela seja uma freira e ele um demônio, há algo de especial entre os dois. Para piorar, ele não consegue mais absorver sua própria energia demoníaca e está ligado à Rosette – de quem extrai a energia vital da própria alma sempre que usa seus poderes. Tudo conspira contra eles, que têm seus próprios objetivos a alcançar em suas missões pela Ordem de Madalena e um tempo cada vez mais curto. Será que esses dois, que formam um casal tão improvável quanto belo, conseguirão ficar juntos até que a morte os separe?

 

ReLIFE

[Resenha] [Resenha Kanketsu-hen]

Arata é um adulto de 27 anos que sofreu uma experiência traumática em seu último emprego de tempo integral e passou a ter dificuldades para arranjar trabalho. Ele é convidado por Ryou para participar de um experimento chamado ReLIFE, no qual ele tomará uma pílula e voltará a ter a aparência de seu eu de 17 anos, frequentando mais uma vez o ensino médio a fim de ser plenamente reintegrado à sociedade. É ao vivenciar o experimento, fazer novas amizades e se apaixonar; que ele aprende coisas novas, ajuda outras pessoas e supera seu trauma – tornando-se uma pessoa melhor. O romance entre ele e Hishiro se desenvolve de forma gradativa e, por conta de certas circunstâncias que envolvem o experimento, ao final do ReLIFE eles terão que se esquecer um do outro. Esse amor será capaz de superar a barreira da memória e voltar à tona quando eles forem novamente adultos?

 


 

E aí, gostaram da lista? Se quiserem comentar sobre algum outro título que se encaixe na temática e acham que é uma boa indicação é só compartilharem o que pensam na sessão de comentários, porque o amor pode acabar não dado certo, mas duvido que conseguiremos deixar de falar dele.

  1. Boa lista, se não fosse por um único detalhe: cadê “RomeoXJuliet”?! Achei que ia botar na lista, pois a print de entrada da matéria é deste anime, merecia ter citado, pelo menos por encaixar no perfil apresentado.

    De resto, tá bacana os animes apresentados. Destes, apenas tive contato com “Chrno Crusade” e “ReLIFE”: o primeiro tá mais pra insinuação, pois no anime em si fica mais evidente, até por esta cena posta na matéria, no mangá, nem tanto assim ou se achar que tem, é mais por interpretação; o segundo assino embaixo e foi uma graça que tenham finalizado a trama nos OVA’s, ver como ficou o protagonista depois do Relife foi gratificante.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Foi só provocação minha, a culpa nem é do autor, o Kakeru =D

      Bom, Romeo x Juliet é uma versão japonesa em anime do que provavelmente entrou para a história ocidental como exemplo de amor impossível. É uma imagem que fala por si só, e mesmo sem ser sequer citado dá para ter uma boa ideia do que se trata o anime só por saber isso.

    • Eu tinha colocado outra capa, mas essa ficou tão bonita que até fiquei feliz pelo Fábio ter trocado. Nada impede que esse anime seja citado em uma segunda parte da lista, a qual devo me animar para escrever no futuro, afinal, o tema “amor impossível nunca sai de moda, né. Que bom que gostou de Chrono Crusade e ReLIFE, e indico também que dê uma olhada nas outras obras, pois são todas bem interessantes.

  2. Esta lista está muito boa. Já vi a maioria dos animes citados e os que não vi, se forem tão interessantes como as descrições dizem, com certeza os verei. Desta lista, os meus animes preferidos são Shigatsu Wa Kimi no uso e ReLife.
    Nesta lista senti falta, do clássico Versailles no Bara ou até mesmo o Romeo x Juliet.
    Excelente artigo Kakeru17.

    • Indico que veja sim, pois todos eles abordam o amor impossível sob aspectos diferentes e bastante interessantes. Como disse em um comentário anterior, quem sabe esses animes entrem em uma segunda parte da lista, né? Inclusive, Versailles no Bara deve ser lançado esse ano no Brasil e devo comprar o mangá para conhecer a obra e quem sabe ver o anime em seguida.

      • Recomendo muito que veja o mangá e o anime de Versailles no Bara, essa obra é talvez a melhor explicar os acontecimentos que levaram à Revolução Francesa (não se iluda, pelo facto de ser um shoujo).
        Se Versailles no Nara for mesmo lançado no Brasil, também comprarei para reler (eu já tenho o mangá em francês, agora só me falta a versão em português).
        Se sair uma segunda lista, com certeza tirarei os nomes dos animes lá citados.

    • Sim, ouvi falar que ele aborda bem o contexto da Revolução Francesa e o fato de ser um shoujo me interessa ainda mais, pois gosto de muitas obras da demografia e essa é considerada um shoujo clássico, né. A editora jbc vai lançar ela no Brasil em formato BIG (2 volumes em 1) e vou dar meu jeito de pegar – mesmo já comprando muitos mangás atualmente.

  3. Grande artigo…Koi Kaze foi impressionante, a possibilidade de incesto elevado a forma de arte…De todos o que mais “torci o nariz” foi adivinhem…Claro, Koi to Uso, um “time waster” de primeira linha, apesar de ser no quesito comédico até legal, os furos no enredo e a negligência com certos personagens que “ficaram no ar”, o deixou ralinho como sopa de hospital…

    • Que bom que gostou do artigo! Confesso que gostei de Koi to Uso, mas achei o primeiro episódio muito bom e promissor e todo o resto bem aquém. Por outro lado, o fato do governo interferir diretamente nos relacionamentos dos adolescentes, o que naquele universo deve criar vários e vários casos de amores impossíveis que em uma sociedade como a nossa assim não o seriam, é um fator interessante e que dá personalidade a proposta, mesmo que ela não tenha sido tão bem executada quanto gostaríamos.

Discussão