O fim está próximo. Talvez seja o fim dos VIRM que poderão ser derrotados como também seja o fim de tudo. Da união do esquadrão 13, os problemas de memória de Kokoro e Mitsuru, o dilema em que Nana estava e os problemas que os Nines enfrentavam. Tudo isso teve o seu fim e agora, é chegada a hora do recomeço.

Enquanto uma enorme batalha acontecia, Hiro e seus amigos estavam procurando formas de sobreviver nessa nova realidade. A descoberta sobre a verdade que envolvia 02 e a decisão de encontrá-la mudaram muitas coisas no rumo de todos. Kokoro não podia lutar, Mitsuru decidiu enfrentar uma luta similar a dela, os Nines escolheram sua batalha final e com todos determinados, o fim de uma jornada estava começando. Vamos começar pelos Nines que nunca foram queridos (por diversos fatores), mas no fim simplesmente eram fantoches que nunca tiveram a chance de entender algo fora a vida no campo de batalha. Após a debandada dos VIRM eles ficaram sem rumo, sem objetivos e sem vida, apenas esperando apaticamente a morte como destino. Tiveram sua chama acessa com a nova missão e agora tendo um contato verdadeiro com os “humanos”, haviam começado a entender um pouco mais aqueles que até então eram seres desinteressantes que assim como eles, haviam sido feitos para morrer num campo de batalha. E no fim, eles se sacrificaram por um bem maior com a enorme satisfação do dever cumprido e de terem sido algo que talvez fosse um desejo oculto de cada um, ser mais humano.

Enquanto a batalha no espaço acontecia, a batalha de Kokoro e Mitsuru continuava. Desde a perda de suas memórias havia dúvidas angustiantes e sensações sem respostas que incomodavam ambos. Foi um processo difícil onde Kokoro não se consolava com o fato de ter perdido sua utilidade como parasita e com isso, agisse como se fosse o fim do mundo (o que é completamente compreensível). O problema dessa forma de encarar a situação foi que ela havia esquecido que os sentimentos do Mitsuru estavam interligados com a situação também. Ela não era a única incomodada e confusa com a situação (apesar de estar com um fardo muito maior) e por escolha própria deixou de ouvir o que seu parceiro pensava sobre a situação. Tudo foi resolvido numa boa resolução, apesar de sabermos que no fim, eles irão recomeçar do zero com a expectativa de reaver os sentimentos que um dia tiveram e que causaram essa situação por inteiro. E a dúvida que não quer calar: é menino ou menina?

Mas vamos voltar para nossa querida 02 que mesmo após inúmeros momentos de confissões de seu amado, ainda vem com a velha história dele ainda ser um humano e ela não. O cara já tem chifres de urrossauro faz um tempo sabia? Ele não é mais humano faz um bom tempo e ela ainda vem com um papo desses? Sinceramente foi meio chata essa questão, afinal, ela poderia usar a justificativa da batalha final contra o resto do exército dos VIRM para afastar seu amado (ainda que fosse inútil de qualquer forma). Não foi a primeira vez que algo assim aconteceu por parte dela e de certa forma é entendível quando você considera a situação onde ela se encontrava. No fim, obviamente ela não poderia contrariar o desejo dele de estar com ela afim de lutar ao seu lado novamente. Com a conexão feita, vimos a versão final do Strelitzia Apus dirigir-se rumo a uma batalha muito mais difícil e de vitória incerta (gostaria de deixar registrado que eu fiquei apaixonado pela beleza da forma final do Strelitzia Apus. Inclusive a “forma final” dos outros ficou bem legal pela beleza e contexto).

No fim das contas, Nana mostrou que entendeu seu propósito e Hachi esboçou uma mudança em sua forma de pensar que será muito importante para todos (principalmente para os dois). Infelizmente o próximo episódio é o último e eu não sei se estou preparado para assisti-lo. Muita coisa pode acontecer e no fim, eu só desejo que tenhamos um final satisfatório. E de tudo que eu gostaria de saber o mais importante é: tivemos um adeus ou um até logo da Zero Two e do Hiro?

Apreciem, apenas.

  1. Este episódio só pode ser resumido, como o cúmulo da vergonha alheia. Que droga a staff tomou antes de fazer este episódio, que ideia foi esta de transformar a Zero Two em Megazord em escala colossal e ainda vestida de noiva, tudo para vender figures só pode. Se queriam copiar a Rei de Evangelion tinha outras formas de fazer, e já nem falo da bomba, aquilo é uma cópia descarada do último episódio de Gunbuster de 1988 (e o warp gate a mesma coisa). A falta de originalidade do director e da sua staff já não me surpreende mais, eu consigo tolerar os furos do tamanho do buraco da camada do Ozono que este anime tem, mas agora transformar a Zero Two em um Megazord é demais para o meu raciocínio.
    Outra coisa que me incomodou neste episódio, foi o drama barato entre a Messalina Kokoro e pau para toda a obra do Mitsuru, a esta altura do anime, esse dois bem que podiam ficar no esquecimento. Os nines a mesma coisa, sempre foram uns vilões de meia tigela e agora como ferramenta de roteiro, vão todos morrer, enquanto o esquadrão 13 ficará intacto (a coerência neste anime sempre foi pouca, mas depois deste episódio, ficou nula). E por último, o Hachi, que draminha mais chato, se queria morrer, teve muitas oportunidades para isso.
    Mesmo eu não tendo gostado do episódio, tenho que admitir que o teu artigo é muito optimista e a tua nota ao episódio também.
    Como sempre, mais um excelente artigo Kiraht.

    • Sinceramente eu ri no momento que o Hachi disse que era seu fim (apesar de entender as circunstâncias).
      Sobre a 02, eu achei que fez sentido por ela estar interligada ao Strelitzia Apus mas confesso que é algo no mínimo estranho.
      O drama da Kokoro e do Mitsuru de fato foi barato mas no fim não tinha muito o que fazer ao meu ver.

      • O facto da 02 estar interligada com o Strelitizia Apus faz sentido, o que não faz sentido é aquela transformação bizarra.

      • Sim, mas eu acho que aquilo vai muito mais por causa de todo o simbolismo presente do que qualquer outra coisa

Discussão