Olá! Nesse artigo de primeiras impressões irei comentar sobre Dragon Ball Heroes. Para o(a) caro(a) leitor(a) que ainda não sabe, essa obra é um anime promocional que tem como intuito divulgar o jogo que vem sendo produzido pela Bandai Namco. Heroes não é canônico, mas em seu primeiro episódio mostrou bastante potencial, e além disso trouxe muitas informações de forma rápida, as quais irei comentar durante esse artigo. Ao final tratarei da questão de exibição da obra para países do ocidente, que vem sendo um dos grandes pontos discutíveis sobre Heroes. Vamos à análise.


Bom, o episódio dessa semana teve a duração de 8 minutos. Não possuo a informação precisa se todos os episódios terão a mesma duração.

O começo do episódio mostra a chegada de Mai, e a apresentação de Fu que é o vilão por trás dos planos. Para convencer Goku e Vegeta a caírem na sua armadilha, Fu se utiliza de Trunks dizendo que ele está preso em um planeta junto de muitos bandidos perigosos. Ou seja, o Mirai Trunks estaria correndo perigo, então Goku, Vegeta e Mai seguiram Fu ao planeta Prisão. O Kaioshin pediu um favor para Mai, e para todos aqueles que já viram o trailer (viram a cena onde o Vegeta aparece), o favor nada mais é que a Mai transporte os brincos potara por segurança, e em caso de necessidade Goku e Vegeta irão fazer a fusão.

Fu.

Na cena seguinte, já com Goku e companhia no planeta prisão vimos a primeira mistura de personagens com a chegada do Goku Xeno. Antes de prosseguir é necessário traçar um elogio ao design desse personagem, ficou bem caprichado o trabalho em cima dele.

Em seguida, Goku lutou contra o Goku Xeno. Blue contra Ssj4, dá para definir o mais forte? Por esse trecho de batalha, não! Foi algo bem curto, e que terminou com ambos empatando em forças no Kamehameha.

Ssj4 x Blue.

É simples entender que o Goku Xeno já está no planeta prisão há um bom tempo. Afinal, ele possui uma esfera do dragão, e também traçou um plano para tentar destruir aquele limite no céu do planeta (através da explosão do Kamehameha duplo). Porém, o seu plano falhou, e o céu continuo intacto e intransponível. O Xeno é outra versão do Goku de outra dimensão.

Em seguida podemos entender qual é o plano de Fu: basicamente ele irá reunir guerreiros de várias dimensões e tempos distintos nesse seu planeta de teste, e fazer com que eles lutem eternamente. Ou seja, tudo isso não passa de um grande experimento realizado pelo Fu. Essa informação acarreta o seguinte: podemos ter muitas batalhas interessantes, com personagens de diversas sagas diferentes. Isso para grandes fãs da obra canônica se torna excepcional.

A única forma de sair do planeta Prisão é com as esferas do dragão. É questionável o porquê de Goku não poder sair de lá com seu tele transporte, mas deixemos essa discussão em stand by, afinal, cobrar muitos detalhes de um episódio de 8 minutos é uma grande picaretagem.

No momento posterior vimos Trunks. Fica claro que ele está bem por fora de todas as informações do plano de Fu. E o primeiro inimigo que ele enxerga em sua frente é Cooler, o irmão mais velho de Freeza.

Na cena em que o Fu está em uma sala de controle, peço que você dê um pause, pois dessa forma perceberá alguns dos personagens que estão presos no planeta. Os 4 personagens que já foram apresentados: Goku, Vegeta, Mirai Trunks e Cooler estão lá. Além deles, o Mestre Bojack, um dos vilões na saga xenoverse, e o outro perceptível é o pai de Freeza, o Rei Cold.

O final do episódio tratou de mostrar Fu, e aquele que ele intitulou de Sayagin maligno. Aqueles que já buscaram informações sobre a obra sabem que o nome desse personagem é Camba.

Fazendo um apanhado final sobre o que consegui nutrir dessa estreia, Dragon Ball Heroes é um anime com um bom potencial de agradar os fãs das demais sagas da obra. Além, é claro, de servir muito bem como divulgação do tal jogo produzido pela Bandai Namco. Existe a possibilidade de alguns problemas com transmissão oficial do anime para países do ocidente –  é claro que plataformas irregulares irão trazer os episódios -, não é impossível que plataformas grandes se responsabilizem por trazer Heroes às telinhas do Ocidente, como Crunchyroll e Netflix, mas a Bandai se manifestou no sentido de não querer que o anime saia do Japão, então é bastante improvável. A respeito da quantidade de episódios e da duração deles, ainda não se tem uma informação precisa, poderei em um artigo posterior trazer tais informações de maneira mais confiável.

Essa foi a análise de Dragon Ball Heroes, obrigado pela atenção leitor(a).

Discussão