Yama no Susume chega a sua terceira temporada com quatro anos de intervalo para o episódio final da segunda sessão. É fim das férias de verão. Encontramos Aoi Yukimura pensando em como agradecer Hinata Karaue pela pelúcia com a qual foi presenteada pela amiga, após a subida ao Monte Fuji. É claro que um simples “arigatô” não basta. A retribuição tem que enfatizar o valor do presente. E ao saber que Hinata ainda não contemplou a vista noturna de Tóquio, Aoi decide elaborar um programa que combine montanhismo com observação das belezas da noite da capital. Subir o Monte Tsukuba surge como a oportunidade perfeita para proporcionar a Hinata um passeio inesquecível. Há todos os elementos que fazem de Yama no Susume um slice of life que gera boas sensações e deleite.

O primeiro episódio mantém o clima agradável das temporadas anteriores, passando com mérito no que tange ao “ritual” (ou expectativa) associado ao slice of life: sentar-se, relaxar e apreciar os personagens. Em seus aproximadamente 14 minutos, Yama no Susume:Third Season centra-se em suas protagonistas, Aoi e Hinata, e na amizade delas, que, diga-se de passagem, é um ótimo exemplo de um dos subgêneros dos slice of life, o iyashikei. Nas primeiras temporadas, enquanto é divertido assistir à interação entre as garotas e a beleza das montanhas japonesas, acompanhamos uma história de superação, já que Aoi tem medo de altura – adquirida após uma queda de um brinquedo no parque – e precisa vencer seus entraves emocionais para consumar a promessa de subir uma montanha novamente com Hinata.

As parceiras de montanhismo aproveitando os últimos suspiros das férias de verão.

O primeiro episódio aponta qual será o desafio de Aoi na temporada: subir o Monte Fuji, ou melhor, completar o percurso e atingir o seu topo. Na sessão dois de Yama no Susume, a garota sente o desgaste físico e se abala emocionalmente, sendo obrigada a desistir na metade do caminho. O que faz com que apenas Hinata e Kokona Aoba cheguem ao topo da montanha, a mais alta de todo arquipélago japonês.

A difícil vida escolar de Aoi se torna menos penosa com a presença de Hinata.

O episódio, além das memórias da difícil jornada vivida por Aoi no Fuji, e a indicação do grande desafio para as amigas montanhistas – acompanhar Aoi em sua “missão” –, apresenta bons momentos de comédia, principalmente no final quando fica evidente como Hikari Onozuka (colega de trabalho de Aoi em uma confeitaria) conhece tão bem o Monte Tsukuba. Principalmente se considerarmos o shipp em relação a Aoi e Hinata.

Aoi e Hinata em direção a mais uma aventura. Uma amizade bela e encorajadora (uma via de mão dupla).

Algo que chama a atenção no episódio é que, apesar de Aoi ter deixado a sua concha, superado a fobia de altura (e ter feito amigas graças à paixão pelo montanhismo), ela ainda é tímida, sente-se desconfortável diante de estranhos, mesmo com as colegas de classe, que conversam com uma Hinata bastante desenvolta, enquanto Aoi se encolhe na carteira. Trabalhar essa insegurança, o seu sentimento de inadequação social pode ser também um dos desafios da nova temporada. Mas, quanto à relação dela com Hinata: personalidades contrastantes e vínculo inabalável.

O melhor presente: a combinação montanhismo e visão noturna de Tóquio.

Yama no Susume é um anime de “garotas fofas fazendo coisas fofas” que tem os seus clichês, mas é agradável, bonito (design de personagens e cenários) e bem-humorado. E esta sequência, ainda sob a responsabilidade de Yuusuke Yamamoto (direção) e Kazuyuki Fudeyasu (roteiro), promete o mesmo clima de aventura, amizade e encorajamento, com muito montanhismo e paisagens deslumbrantes do Japão.

Discussão