Bom dia!

Sem nenhuma surpresa, o anime era mesmo da Sakura. Ela era especial, não apenas qualquer zumbi, como as demais, que parecem ter sido escolhidas por habilidades e talentos especiais.

As demais exceto a Tae, quero dizer. Ela sem dúvida melhorou bastante ao longo do anime e suponho que mesmo sem falar, mesmo com dificuldade para se comunicar, mesmo dando sinais de que seu raciocínio ainda é limitado, ela já despertou, sim. Mas ficou por isso mesmo.

A lendária Yamada Tae era só um despiste, no final das contas. Como outras coisas em Zombieland Saga, aliás.

Porque Zombieland Saga é na verdade Sakura Saga. Os três episódios finais foram seu arco de personagem, sendo o décimo um episódio que a colocou em evidência e revelou o pior de sua personalidade, e os dois últimos praticamente um único longo episódio sobre como ela perdeu as memórias de zumbi, recuperou as de quando viva, e sobre quão azarada ela era.

Azarada, porém, não é o termo correto. É como ela se descreve, e é o motivo pelo qual ela entre em depressão e quase desiste do show, retornando aos ensaios apenas dois dias antes.

Ela sempre foi como a vimos no episódio dez: quando se empolga com algo, exagera, e esse exagero a cega para todo o resto e ela acaba fracassando. Só sendo cega para sair de casa sem olhar para a rua e morrer atropelada, não é?

Quero dizer, ok, morrer atropelada por um caminhão na porta de casa não é normal não importa o quanto se esteja desatento, mas vamos colocar isso na conta da liberdade poética, ok?

Foi também por sua cegueira que ela nunca conseguiu olhar para trás, avaliar os momentos em que fracassou e entender o que exatamente aconteceu. Ela se lembrou da Ai dizendo, quando ainda era viva e estava no Babado de Ferro, como erros e fracassos são oportunidades para crescer. E são mesmo, mas só se você souber aprender com eles.

A Sakura nunca soube aprender com seus erros e fracassos.

 

Koutarou promete nunca abandonar Sakura

 

Felizmente ela agora está cercada de gente que quer vê-la fazer sucesso. No episódio final é revelado que o Koutarou a conheceu na escola, e parece ficar subentendido que gostava dela.

Bom, devia gostar muito mesmo, para roubar o cadáver e reanimá-lo.

Mas isso não importa porque não tem consequência também, fica por isso mesmo, só nesse curto flashback.

Em todo caso, ajuda a explicar porque ele se esforça tanto pela Sakura. No artigo dez eu escrevi sobre como o tratamento que ele dispensou à Sakura quando ela entrou em crise foi diferente do que ele dispensou às demais, e faz sentido que tenha sido assim, considerando esse histórico deles.

E é lógico que mesmo depois da Sakura perder a memória Koutarou continua tentando ajudá-la. Mas no começo é inútil. Ela está cega, afinal.

 

Acredite ou não, Tae está atacando Sakura como um predador selvagem para ajudá-la

 

As demais garotas igualmente se esforçam para apoiar a Sakura e fracassam. Elas se lembram, corretamente, de como a Sakura é importante para a unidade do Franchouchou e para que ele exista em primeiro lugar, bem como de como a Sakura sempre foi a primeira a tentar ajudar todas elas quando precisaram.

Mas nenhuma delas consegue atravessar o muro que a protagonista ergueu em torno de si. Até mesmo a Tae se esforça, no que provavelmente foi a primeira vez que a garota agiu ativamente para avançar o enredo principal de Zombieland Saga.

E foi só com esse esforço incansável que conseguiram, finalmente, convencer a Sakura a participar.

 

Um tapa na cara também é para ajudar a Sakura

 

Mentira, não foi só com o esforço. Foi com um tapa na cara bem dado pela Yuugiri, que finalmente teve o condão de forçar a Sakura a abrir os olhos. Nas palavras da ex-cortesã, elas preferem fracassar juntas a ter sucesso separadas.

Como que a lembrar mais uma vez da excepcionalidade do Franchouchou, mesmo com a maior nevasca já medida em Saga, os fãs comparecem ao show em peso.

 

As fãs da Sakura

 

Muitos deles estavam lá pela Sakura. Ela pode não se lembrar, mas dessa vez conseguiu ter sucesso. Não foi sorte, porque ela se esforçou para tanto, então não é justo chamar apenas de sorte ou azar, mas certamente ela ainda considera que tenha sido azar ter se esquecido disso depois de tudo.

No intervalo antes do bis, porém, Sakura finalmente se lembra. Agora ela tem tanto as memórias da Sakura que viveu quanto da Sakura que morreu, sendo uma legítima idol morta-viva.

O show das zumbis mais uma vez invocou o desastre, porque se não bastava a nevasca, parte do local do show desabou. A parte que fica acima e atrás do palco, naturalmente.

Esse tipo de coisa quase dá credibilidade à crença da Sakura de que ela atrai azar. Talvez em algum nível isso seja verdade. Ou talvez o anime queira dizer algo com isso. Se eu descobrir um dia prometo contar.

 

Acabou?

Acabou?

 

Em todo caso, conquanto divertido, não sei se Zombieland Saga tem uma moral no final das contas. O anime nem acabou propriamente falando, deixou várias pontas soltas.

Arcos de personagem? Teve alguns pra encher o tempo do anime. Foram os melhores episódios, se me perguntar, mas acabaram sendo mais ou menos inconsequentes para o final. Como foram vários em sequência, achei erradamente que haveria um para cada garota. Que nada.

O repórter que estava de olho nelas? Não deu em nada. Na cena final do anime descobrimos que ele fez a conexão entre a Ai, a Junko e a Lily no Franchouchou e quando vivas. Mas acaba assim.

Zombieland também não revela mais nada sobre Koutarou, suas reais intenções e sua relação com a Sakura. E a Tae então? É só uma zumbi meio tapada e incapaz de falar mesmo.

Em dada altura, alguns episódios atrás, achei que estivesse assistindo nascer algo especial. Até o episódio final mantive essa esperança, que não se concretizou, mas não saio insatisfeito.

E você, o que achou de Zombieland Saga? Até o próximo anime!

  1. Avatar

    E assim termina um anime que tinha tudo para dar errado mas que no final foi uma experiência divertida. Zombieland Saga desde do começo que teve uma premissa meio fumada, mas à medida que os episódios foram passando não é que tudo no anime parece ter funcionado (pena que terminou sem responder a tudo, mas não posso reclamar, o anime foi divertido e gostei bastante das personagens).
    O Kotarou (posso estar a viajar) devia ser um garoto solitário e a Sakura foi a única pessoa que conversou com ele, talvez tenha sido a partir dai que ele teve a ideia de formar um grupo de Idol de zombies (não sei se o Kotarou é estrábico, mas nunca percebi o porquê de ele não mostrar os olhos).
    Aquele jornalista lá nos segundos finais do episódio 12 bem que poderia ter deixado um bom gancho para uma segunda temporada, mas acredito que tais segundos foram só para encher linguiça.
    Agora a Sakura, esta ficou uma chata de primeira quando perdeu a memória, se ela era assim em vida, talvez o atropelamento dela tenha sido um castigo divino (aquela história do azar já me estava a incomodar um pouco, toda a gente tem azares na vida e não é por isso que ficam depressivas e pessimistas). Por sorte a Sakura amnésica estava rodeada de amigas que se importavam com ela, até a Tae fez questão de ajudar a recuperar a motivação da Sakura (através do medo, ainda assim esforços de louvar por parte da lendária Tae). O tapa que a ex-cortesã deu na Sakura foi mais do que merecido, aquela atitude parva da Sakura já estava chata (ai a cortesã ganhou pontos para mim).
    Por fim, a apresentação final foi boa, eu queria que a dança fosse em 2D, mas isso seria esperar muito de um anime que nem teve um trailer antes da estreia (se o estúdio Mappa quisesse tinha feito as coreografias em 2D, mas não deve ter tido tempo, ou não quis gastar mais verba).
    Como sempre mais um excelente artigo Fábio.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Kondou, tudo bonzinho?

      Nunca achei que Zombieland fosse fracassar. E veja que estamos falando do mesmo Mappa de Idol Jihen, tentou assistir aquela coisa? Ainda bem que dessa vez fizeram melhor e tivemos um anime memorável. Não é bom o suficiente para entrar para algum panteão de animes clássicos, mas é bom o bastante para deixar uma marca em seu gênero e talvez até se tornar um cult.

      Como eu disse para a Escritora, não acho que a Sakura fosse particularmente azarada. Ela apenas se tornou pessimista depois de estragar suas próprias oportunidades por excesso de ansiedade.

      O anime deixa um bocado de pontas abertas, mas realmente não sinto que seja o suficiente para justificar uma segunda temporada. Terminar com tantas incógnitas não deixa de ser um charme.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! Até o próximo anime!

  2. Avatar

    Realmente não estava esperando gostar de “Zombieland Saga”, meu primeiro anime de idols, no caso, idols zumbis de estilos e personalidades variadas; arranjando bicos e tramas que fazem sentido, desde que mantenha longe o nível da descrença narrativa; uma comédia que funciona na maioria do tempo e sim, vamos nos lembrar da Lendária YAMATE TAE, que no fim, mostrou se importar com todas do Franchouchou, ao seu jeito, é claro!
    Este arco da Sakura chama a atenção por ver alguém tão azarada em vida, mais por ver que foi com o contato com o trabalho da Ai em seu antigo grupo, a querer ser alguém e o apoio das garotas e do Koutarou a colocaram de volta à atual realidade. No fim, o anime cumpriu ser inusitado e comum, ao seu modo e considero uma das gratas surpresas desta temporada de Outono 2018.

    Valeu pelas análises. Até a próxima!!!

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá, Escritora, tá boazinha?

      O gênero idol também não é dos meus preferidos. Eu gosto de Wake up, Girls!, e é só isso mesmo. E é basicamente porque gostei do filme original. O primeiro anime pra TV foi legal, todos os filmes intermediários eu não assisti, e o segundo anime pra TV é … ok, se muito? Já tentei assistir outras coisas que fogem do padrão do gênero, como Idol Jihen, do mesmo Mappa de Zombieland e cruz credo não consegui terminar aquilo (mas Idol Jihen é ruim mesmo, não é porque é idol não).

      Por outro lado adoro zumbis!

      Escrevi um artigo só de zumbis!
      (https://anime21.blog.br/2017/08/14/zumbis-os-animes-e-os-mortos-vivos/)

      O clássico Highschool of the Dead? Muito bom, pena que não deu adaptou o arco do shopping.

      Sankarea? Amo!

      Gakkou Gurashi? Cadê segunda temporada???

      Então não podia deixar passar Zombieland Saga. E no final das contas acho que ele é muito mais um anime de zumbi do que de idol – e é curioso que ambos gêneros usem metáforas para situações cotidianas. As de idols normalmente dizem respeito ao esforço e crescimento pessoal, enquanto as de zumbis costumam ser críticas sociais. Não à toa que, em vários momentos, pode-se interpretar Zombieland como uma crítica à indústria idol – mesmo que no final suas garotas tenham sucesso, então não é uma crítica com muita consequência.

      Sobre a Sakura ser azarada, será que ela é mesmo? Me pareceu que ela vai com muita sede ao pote e acaba ferrando tudo no final sempre – ou quase sempre, pelo menos. E tende a fazer as interpretações mais pessimistas possíveis de tudo o que lhe acontece. No dia do vestibulinho, por exemplo, não lhe faltou tempo, mas ela ficou estressada e perdeu a concentração. Faltou força mental pra essa garota enquanto estava viva. Como a Ai a lembrou (e ela é provavelmente a mais legitimamente azarada ali, tendo morrido atingida por um raio em pleno palco quando sua carreira estava no auge), todas elas ali morreram jovens. Dá para ter mais azar do que isso? A Sakura não é especial, pro bem ou pro mal. Não nisso, pelo menos.

      Enfim, foi um anime muito bom, esse, não foi? Até o próximo! 😊

  3. Avatar

    Graças a Deus que Zombieland Saga vendeu bem, só me aumenta a esperança de mais uma temporada. Idol Jihen ainda não vi, só para não perder o meu interesse pelo estúdio Mappa. Não coloco de lado que daqui a uns bons anos Zombieland se torne um anime cult, ele tem méritos para isso.

    A Sakura caiu naquele fosso do pessimismo e com ele a sensação de azar (estas duas coisas sempre estão de mãos dadas, infelizmente).

    Eu gostei das pontas abertas que Zombieland deixou, me deixou com a sensação que as mesmas foram só um atiçar a vontade de uma segunda temporada.

    Se um dia Zombieland Saga tiver uma segunda temporada, que coloquem a staff que fez a dança da Amira com o Favaro para as coreografias, é doloroso ver uma coreografia em CG estranho (se fosse um CG nível Love Live até era aceitável).

    Agora que venha a próxima enchente de novas impressões da temporada de Janeiro.

Comentários