Olá, bom dia! Você gosta de mangás shoujo? Gosta das adaptações em Live action que obras dessa demografia costumam receber?

Eu acho que filmes e doramas que vêm de mangás shoujo são ótimos, porque não só aproximam o público infanto-juvenil das telas do cinema e da TV, como também viabilizam atuações mais realistas, mais humanizadas, que condizem com as características que essas obras costumam ter.

Não desmerecendo as adaptações em anime, claro, mas não faz mal deixar elas para o que é mais fantasioso, né? A seguir indicarei quatro filmes de obras que até podem ter um público alvo bem definido, mas são capazes de agradar a qualquer um.

Ler o artigo →

Não se deixe enganar pelas críticas negativas que saíram na internet logo após o lançamento do filme Godzilla 2, pois a obra é sim um ringue para monstros gigantes, mas isso não a impede de entregar os dramas de personagens necessários para tornar sua trama instigante.

Não é nenhuma obra-prima, só entrega o que promete ao fazer um misto de boas cenas de ação com kaijuus e tensão constante que prende a atenção do espectador, fazendo-o torcer para que Gojira salve a humanidade da destruição.

Ler o artigo →

Patlabor originalmente é um mangá “bem antigo”, de 1988, que teve algumas adaptações para anime, seja por meio de filmes, OVAs ou anime de audiência. Porém vamos tratar da adaptação live action da obra que possui 8 filmes, todos lançados entre 2014 e 2015. Obviamente eu não irei escrever sobre todos os filmes pois sinceramente nem assisti metade deles. Iremos “falar” sobre o último deles, o qual eu achava que era o único pouco antes de começar este artigo.

Ler o artigo →

Pokémon: Detetive Pikachu é uma aula de como fazer uma adaptação de franquia dar certo porque o filme tanto se sustenta como história isolada, quanto homenagem aos monstrinhos que há décadas e décadas fazem a cabeça das pessoas no mundo todo.

Detetive Pikachu é um jogo da franquia e como consumidor apenas do anime – que vi na infância –, e do jogo Pokémon Go, não sabia que existia até a notícia do longa bater a minha porta e, claro, tinha que ouvir seu chamado, pois é a primeira película live action da franquia, e uma que faz uma abordagem inusitada em um universo que tem diferenças e semelhanças se compararmos a premissa da série de jogos original.

É hora de Pikachu no Anime21!

Ler o artigo →

Godzilla; ou Gojira, como se fala no Japão; é um clássico personagem da cultura japonesa, o monstro gigante – um kaijuu –, participa de filmes faz décadas e seu sucesso e impacto cultural não passariam despercebidos aos americanos, né? Caso você não conheça o clássico filme Ocidental de 98 saiba que não estou aqui para comentá-lo, mas sim um dos mais recentes, o de 2014.

Eventualmente comento esse mais antigo que escancarou as portas do mundo a um personagem tão icônico, mas por ora eu me atentarei a tentativa recente de criar um universo de monstros que parece estar dando certo não só devido a existência desse longa, mas devido as continuações. Uma desse ano, a outra programada para 2020 – e contando com outro kaijuu icônico, o King Kong. Sem mais delongas, GAWOWOWO!!!!

Ler o artigo →

As Diversas Faces de Ito ou The Many Faces of Ito é um dorama original Netflix disponível no serviço tendo 8 episódios de curta duração (todos os episódios têm 23 minutos) para os padrões de doramas/séries.

Vale ressaltar que o dorama está em seu catálogo desde 2017 e é uma adaptação da novel Ito-Kun A to E, da autora Asako Yuzuki. Uma curiosidade interessante é que a obra original foi indicada ao prêmio Naoki.

Ler o artigo →

Koi wa Ameagari no You ni: Pocket no Naka no Negaigoto é uma minissérie de 4 episódios focada em dois personagens secundários da obra original, Yui e Yoshizawa. Lembrando que Koi wa Ameagari no You ni é originalmente um mangá já finalizado em 10 volumes e que teve uma adaptação para anime na Temporada de Inverno de 2018, sendo inclusive coberto aqui no blog por este que vos fala.

Então, é certeza que indicarei que você, caro(a) leitor(a), assista a qualquer série relacionada a obra? Sim, se houver qualidade. Isso não é problema para esse especial, extra do filme live action de uma belíssima história de amor, mas, até mais que isso, de amizade. É o que Pocket no Naka entrega? Leia e saberá!

Ler o artigo →

Battle Royale é um clássico, a obra é originalmente um livro escrito por Koushun Takami e adaptado para várias mídias como mangá e cinema, sendo o filme de 2000 o alvo de minha resenha dessa vez.

Mas o impacto cultural da obra vai além da literatura ou da grande tela, afinal, todo um gênero fora definido em cima de sua premissa. Pessoas presas a um jogo no qual devem matar umas às outras e no final só uma sobreviverá.

Matança indiscriminada que influencia muitas obras de anime e mangá, temas primários do Anime 21, e, inclusive diversas obras ocidentais. Já ouviu falar de Jogos Vorazes?

Ler o artigo →

Hentai Kamen é um live action que adapta o mangá de mesmo nome (na verdade o nome do original é Kyuukyoku!! Hentai Kamen, que em inglês seria Ultimate!! Perverted Mask). Enfim, o mangá foi publicado durante os anos de 1992-1993 na revista Weekly Shonen Jump, sim, é isso mesmo o que você está lendo, esse mangá foi publicado nas revista antes de algumas das maiores obras da história japonesa como Naruto e Bleach. Já a live action foi lançada em 2013 e teve uma boa recepção do público com boas críticas ao redor do mundo e uma arrecadação de mais de 100 milhões de ienes. Inclusive recebeu uma sequência em 2016. Mas enfim, eu trouxe essas informações por um simples motivo: nada disso faz sentido.

Ler o artigo →

Minna! Esper da yo! (All Esper dayo) é um filme live action muito divertido, bizarro e doido, fazendo jus ao que se espera de uma produção das terras nipônicas. O filme é baseado no mangá de mesmo nome e é apenas uma das versões live action produzidas a partir do mangá, tendo um dorama de 12 episódios (2013) e um especial no mesmo ano em que a versão filme live action que foi produzida (2015). É uma comédia com ficção científica cheia de seus fanservices bizarros e engraçados que compõem boa parte da comédia do longa.

Ler o artigo →