Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

O segundo episódio de Eromanga-sensei se mostrou bem diferente do que foi apresentado no primeiro. Enquanto sua estreia focava no drama que será abordado e a relação entre os irmãos, dessa vez tivemos a apresentação de novos personagens que serão responsáveis por gerar um certo conflito na série. Felizmente, também ganhamos mais ritmo e movimentação na trama.

O episódio pode ser dividido em duas histórias. Na primeira fomos apresentados à Megumi, a representante de classe de Sagiri. A personagem em si foi uma grande surpresa pra mim já que sua personalidade é totalmente o oposto do que podemos esperar de uma representante de classe. Enquanto na maioria dos animes essa figura é marcada por uma pessoa responsável, Megumi é a personificação do demônio.

Aparentemente, o único objetivo dela é fazer com que Sagiri volte para a escola e se torne sua amiga, mas o problema é que a personagem é capaz de tudo para conseguir o que quer. Megumi passou a maior parte do tempo usando seu charme para dar em cima de Masamune, mas ao mesmo tempo se mostrou madura e decidida. Esse perfil já era esperado pela proposta que o anime apresenta, focando em lolis que são chaves de cadeia (no sentido literal).

Deixando de lado o carisma de Megumi, esperava que fosse trabalhado de forma diferente a ideia do celular, onde Sagiri ouve a conversa do irmão. Seria mais interessante se ela desse ordens para Masamune, sugerindo o que ele deveria dizer, e isso resultasse em algum problema. Ao invés disso, o plano foi usado para causar ciúmes em Sagiri e aproximar os irmãos, revelando o que um realmente sentia pelo outro.

Quanto a segunda história, percebemos que o anime tem uma preocupação em mostrar como funciona a indústria de light novels, além da relação com os jovens que entram nesse mercado. É interessante como foi apresentado os dois lados da moeda, com um escritor que não vende nada e outro que é sucesso de vendas. A relação entre Masamune e Yamada tem muito a ser explorada, não só pela diferença de vendas ou popularidade, mas o fato de que os dois querem ter o Eromanga-sensei como seu ilustrador.

É assim que os escritores de light novel fazem ameaça

Yamada tem uma ótima personalidade, com um tom de arrogância e superioridade que a torna praticamente o oposto de Masamune. Eu acredito que ela possa ser uma das principais antagonistas do anime, principalmente pela forma como os dois pensam diferente e pelo objetivo que têm em comum.

Isso me lembrou: “Eu vou xingar muito no Twitter”

A idade de Yamada chama ainda mais atenção que a do protagonista, por ser praticamente uma criança mimada. Isso é algo esperado do anime, que parece ser recheado de lolis. Por curiosidade, ainda não foi apresentado nenhum personagem masculino relevante para a história, além de Masamune, e acredito que isso continuará assim. Será que teremos uma espécie de harém ou vocês ainda votam em uma relação incestuosa?

No fim do episódio, Sagiri diz para o irmão que passaria a lavar suas próprias calcinhas, e proposital ou não, no encerramento tivemos a cena dela lavando as próprias roupas. Pelo que parece, esse será o encerramento fixo, mas ainda acho válido a forma como os dois se conectam, como se fosse a continuação da cena, e não um encerramento à parte.

O anime decidiu homenagear uma das light novels mais famosas que existe: Sword Art Online

Comentários