Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

No episódio dessa semana não tivemos tanta emoção. Porém, o que não teve de emoção abriu porta para discussão. Em face de um ser com grande inteligência e capacidades inumanas, como a humanidade deve agir se ele escolher uma nação para utilizar de suas boas dádivas? Para piorar um pouco essa discussão, farei outra pergunta: qual seria a melhor forma de lidar com as nações não privilegiadas?  Nesta semana em Seikaisuru Kado, temos uma abordagem focada em problemas mundiais, no caso, relações internacionais. Então vamos lá, que o papo é sério!

Ao assistir o anime, nós claramente esperamos por debates, discussões e problemas nessa obra. Claro, isso é devido à própria história e aos protagonistas. Porém, essa animação nos trouxe um tema complicado essa semana. Em meio a um evento global é comum a ONU se envolver, quanto maior for a magnitude do evento, mais importante é a presença dela, e em Kado não foi diferente. Diante de um evento que poderá mudar a humanidade de formas inimagináveis, a presença da ONU estava em dia, e com essa presença os pequenos e grandes poderes também.

Clima tenso!

A causa para o envolvimento da ONU e das grandes potências mundiais, como bem sabemos, é o Wam, a utópica fonte de energia infinita – ao menos para nós – trazida para a humanidade através de zaShunina. O problema é que essa energia nas mãos de um único país pode destruir todo o poder socioeconômico mundial. E claro, ninguém quer que aquilo que está “funcionando” seja destruído, ainda mais se uma potência se sobressair sobre as outras, mas é exatamente isso que está acontecendo.

Com a escolha de zaShunina, as grandes nações entenderam que apenas o Japão seria beneficiado, logo, elas recorreram a tomar uma providência rápida sobre isso. Seria essa a melhor forma de lidar com a situação? Fico pensando se não é muita audácia tomar decisões tão rápidas por motivos de interesse próprio, já que o problema não é que só o Japão terá essa energia e a humanidade não terá, mas sim que as grandes potências não terão. Acredito que de face a um ser com inteligência elevada e que está nos proporcionando saber, o ideal seria longas conversas e modos de entender uma boa forma de crescimento e evolução para toda a humanidade. Porém, não é isso que está acontecendo e creio que não irá ocorrer.

Conselho de Segurança da ONU fazendo barulho

Sabendo disso, como zaShunina vai lidar com essas nações? Tudo indica que elas não estão preparadas para viver a ideia do pão. Não existe no coração de toda humanidade um desejo de compartilhar, uma visão de bem comum. E isso é o que faz zaShunina não repassar esse conhecimento para algumas nações. Ainda não existe uma certeza sobre a abordagem dele sobre o compartilhamento do Wam com o mundo, mas isso será revelado em breve.

O episódio dessa semana nem de longe foi o mais emocionante ou marcante, mas nos trouxe alguns momentos interessantes e que pode abrir portas para prováveis embates entre a criatura anisotrópica e algumas das grandes potências mundiais. Afinal, ainda existe a questão que tem preocupado a muitos: será que zaShunina conhece o conceito de bem e mal? Particularmente acredito que sim. Ele é muito bem informado. É um ser que está bem à frente da humanidade. Mas caso ele não conheça e passe a entender, será que isso mudaria as coisas?

Esperar por grandes emoções não é algo que acredito estar por vir. Na verdade, o mais próximo de uma emoção nesses episódios pode ser algum caso entre Shindo e Tsukai ou então, algo grande feito pela amada doutora Kanata. Mas, sigo sempre esperando por alguma emoção e feito impactante. Nos vemos no próximo episódio galera!

Eu adoro ela! Parece que tem problemas mentais.

Comentários