Hyakuren é produzido pelo estúdio EMT² (Reinai Boukun, Kuma Miko, etc), que costuma fazer obras de curta duração e possui uma gama de trabalhos pequena por conta de sua recente criação (2013). A obra tem como fonte original uma light novel que possui atualmente 15 volumes e uma adaptação para mangá.

Foi um primeiro episódio confuso. Enquanto na sinopse a história é sobre um garoto (Yuuto Suou) que é transportado para um mundo de fantasia após tirar uma foto de um espelho, o anime simplesmente pula tudo isso e mostra eventos de dois anos após. É algo prejudicial para o espectador, pois dificilmente ele irá se lembrar da sinopse de uma estreia e a sensação de estar perdido nos acontecimentos é quase instantânea. Ok, temos uma breve explicação do que está acontecendo conforme o episódio vai passando mas mesmo assim não ajudou muita coisa. Algo que vale ressaltar é que apesar de ser mais um isekai (sendo o segundo da temporada até o momento), o protagonista não precisou morrer ou ter uma vida sofrida antes de ser transportado (aparentemente), e o mais importante: ele tem contato com o seu mundo original e conseguiu levar consigo seu celular.

Nesse novo mundo ele acaba se tornando o líder do clã dos lobos. Logo de cara nos deparamos com um combate armado no qual seu clã está participando e apesar da curta duração a batalha consegue ser minimamente interessante. Vale dizer que os personagens possuem uma boa química, algo que foi adquirido durante esses dois anos desde a ida de Yuuto para esse novo mundo. Essa boa relação gerou algumas cenas interessantes de comédia e outras que nos apresentaram diferentes faces de Yuuto. Como mencionado anteriormente, as explicações são pobres e picadas, por isso a relação entre Yuuto, as heroínas, seu clã e seus inimigos é um pouco confusa no início e provavelmente levará alguns episódios para termos um entendimento melhor. Já nos aspectos técnicos não há nada impressionante e o anime consegue se manter num nível razoável na maior parte do tempo.

Nem ele sabe onde está aparentemente. Compare a sinopse com essa frase dele.

No fim, o grande trunfo da obra será não só as aventuras nesta nova realidade como também a questão da conexão com o mundo original. Yuuto aparentemente tem intenções de voltar e, por isso, procura por maneiras enquanto busca a paz para seu clã. Sua amiga de infância que ficou para trás acaba sendo o maior elo que ele possui com sua antiga vida (além do espelho que o transportou), o que pode trazer um desenvolvimento interessante futuramente.

Discussão