Histórias sobre esportes são normalmente associadas a superação dos desafios. Cada jogo/partida é uma batalha para vencer seus adversários e, claro, a si mesmo. Mas há também uma outras vertentes de histórias esportivas mais focadas na diversão ou em algum drama.

Só por esse primeiro episódio não fica muito claro se a pegada será as competições e os treinamentos ou se será algo mais focado em slice of life dando mais atenção nas personagens do que o esporte abordado (beisebol). Acho que pode ser algo misto. Se a obra souber equilibrar o desenvolvimento das personagens com a parte esportiva, é provável que teremos um anime agradável de assistir, e quem sabe, até surpreendente.

Não dá para julgar um anime apenas por um episódio, o que torna a tarefa de fazer uma primeira impressão basado no episódio de estreia um tanto quanto ingrata. Quando vamos assistir qualquer anime, nossa mente já ativa as experiências passadas com o gênero ou estilo da obra que estamos vendo ou com algum outro anime que achamos parecidos. Eu, por exemplo, poderia associar esse anime com outros focados em garotas. As personalidades das personagens dessa série me lembram outras personagens que já vi anteriormente em muitos outros animes. Isso pode soar que as personagens são genéricas, o que não tá errado, mas elas podem quem sabe mostrar suas peculiaridades e histórias de vida que o tornem diferentes e com luz própria.

O modo como a história foi introduzida não tem nada de inovador, mas é funcional. Ao mostrar o futuro cria-se uma atmosfera de expectativa e curiosidade para saber como se chegou a tal ponto. Em abril o clube de beisebol estava sendo formado e em agosto elas já estavam jogando. Muita coisa deve ter acontecido nesse período, e é exatamente isso que iremos acompanhar. A ideia de uma jornada é algo interessante e chama a atenção, quer seja com uma pegada fantasiosa ou interior. Aqui temos um grupo de garotas que optaram por aventurar-se no mundo esportivo.

Além do lado esportivo, também há o lado escolar. Afinal, clubes escolares no Japão são muito comuns. Neles há diversas coisas a serem aprendidas, e como o clube em questão é do tipo esportivo, então, todas as lições que o esporte trás consigo deve ser absorvidas pelos membros do clube. Como o beisebol é um esporte coletivo, coisas como cooperação, respeito aos companheiros e aos adversários são lições importantes a serem aprendidas.

Ainda no âmbito escolar, parece que há divergências entre o clube (que não é bem um clube ainda, mas sim uma associação) e o conselho estudantil. Conflitos é algo sempre bem-vindo porque ajuda criar uma dinâmica para que a história se movimente.

Das personagens que receberam foco, o destaque vai para as duas garotas introvertidas que decidiram entrar no clube. Embora parecidas na questão da falta de autoestima, uma delas consegue encarar o problema de frente (Yuuki Nozaki) e a outra é bem mais insegura (Akane Ukita). Fora a insegurança, Yuuki tem um trauma em relação a esportes coletivo, o que é algo dá um background para a personagem.

Sobre as outras personagens que tiveram um bom tempo de tela,  a Tsubasa é a típica protagonista desse estilo de anime, ou seja, alegre, cheia de energia e de determinação. Já a Tomoe (amiga de infância de Tsubasa) parece ser aquele tipo de amiga prestativa e confidente que pode-se contar a qualquer hora, além disso, ela aparenta ser a voz da razão da Tsubasa.

O elenco é numeroso, então novas garotas vão aparecer e espero que pelo menos a maioria delas tenham um desenvolvimento adequado. Um dos problemas de grandes elencos é a falta de espaço para o desenvolvimento igual para todas as personagens, visto que o padrão de temporada para esse tipo de anime seja normalmente 1 cour.

Visualmente o anime não faz feio, mas a parte dos jogos não acho que teremos algo espetacular. Ainda sobre a parte visual, o character design das garotas é bonito, com destaque para o brilho nos lábios, algo que reforça a beleza das personagens.

Por fim, a mensagem (se é que teve realmente uma) que esse episódio passou, principalmente através da protagonista, é a da diversão. As personagens principais que tiveram foco nesse primeiro episódio se divertiram bastante ao jogarem uma partida de beisebol com algumas crianças desconhecidas (mas que também amam esse esporte) na margem de um rio. Assim como as garotas se divertiram, espero eu que esse anime também possa ser divertido para o público que optar em acompanhar Hachigatsu no Cinderella Nine durante a temporada.

Obrigado a todos que leram este artigo, e até a próxima!

  1. Avatar

    Este anime será bom para passar o tempo, se tivesse uma parte técnica mais reforçada e melhor dublagem, de certeza que que atrairia mais espectadores.
    O que valerá a pena neste anime, é o facto do clube de basebol ser formado por uma equipa feminina (algo que achei bem interessante), geralmente os clubes de basebol só têm equipas masculinas (pelo menos é essa ideia que sempre tive com esse desporto).
    Espero que o anime desenvolva bem as personagens, até agora o factor que me prendeu ao anime (isso e claro o basebol).
    Excelente artigo de primeiras impressões Flávio.

Comentários