Semana passada eu fiz uma lista com o mesmo tema porém com uma diferença importante: o romance acontecia com professoras. Porém não podia deixar de fazer uma lista com professores, afinal, temos várias obras desse tipo e elas são igualmente interessantes por explorar esse romance que é proibido por um curto tempo. Ah, e se você quiser conferir parte 1 desse artigo, clique aqui.

 

Omaera Zenin Mendokusai!

Omaera Zenin nos traz uma história interessante. Bom, talvez não seja tão interessante se você não gosta de harém pois há a formação de um, ainda que não tenha dado em nada. A obra não traz nada dramático ou complexo, apenas uma história de um professor que após várias broncas dadas numa aluna em específico, acaba virando amigo dela (o único). Sim, com o tempo novas alunas vão entrando na história e a obra fica mais divertida, apesar de nada acontecer o que no fim torna o mangá seja um bom passatempo, apenas. Uma curiosidade interessante que eu descobri enquanto fazia o artigo é que a obra possui uma live action lançada esse ano (2019).

 

Denpa Kyoushi

Denpa Kyoushi é o único mangá dessa lista que possui uma adaptação para anime (24 episódios lançados em 2015). Sendo sincero eu não gostei tanto do anime quanto gostava do mangá (não lembro o motivo, mas sei que esperava mais da adaptação). Enfim, o ponto é que a obra nos traz um professor inútil, otaku e ao mesmo tempo um gênio. A fórmula em que o mangá se baseia é bem simples inclusive: o nosso querido professor se intromete na vida de suas alunas (alunos também) e ajuda da melhor forma possível.

Sim, é uma fórmula de certa forma batida, mas que é bem executada pelo autor. O elenco no geral é bem carismático e o professor, bom, ele consegue te dar boas risadas. É uma pena que o mangá dificilmente virá para o Brasil por conta da quantidade de volumes (26), afinal, não estamos tratando de uma obra popular por aqui. De qualquer forma, é uma leitura bem divertida pois o autor consegue criar ótimas situações para que Kagami Junichirou resolva, nos proporcionando uma bela obra de 247 capítulos.

 

Gal Gohan

Gal Gohan é um mangá que já tem resenha aqui no blog (o único da lista inclusive) então caso você queira saber um pouco mais sobre a obra, clique aqui para acessar. Sobre o mangá, temos uma gostosa história entre um professor e sua aluna gyaru no clube de culinária. A relação deles se estabelece por uma simples, porém não tão comum atitude com ela: o incentivo. Os outros professores já tinham desistido dela por conta de seu péssimo desempenho escolar, algo que não impediu que ele de incentivá-la a obter sucesso.

 

Yasashii Sekai no Tsukurikata

Por fim mas não menos importante temos Yasashii. Sendo um dos dois mangás completos nessa lista (junto de Denpa Kyoushi), a obra conta com 37 capítulos e chama a atenção por sua bela arte apesar da data de publicação (2010-2014). É um mangá que eu gostaria de fazer uma resenha específica pois gosto bastante da história. Nela, temos um gênio que logo aos 13 anos foi aceito numa faculdade nos eua. Após vários anos ele se tornou um pesquisador e certo dia seus patrocínios deixam de existir.

Com essa dura realidade ele volta para o Japão com a intenção de continuar com sua pesquisa por conta própria. Porém as coisas não saem como ele gostaria e no fim, ele acaba aceitando a oferta de um velho amigo para lecionar em um colégio. Lá, ao se tornar professor de física, ele acaba conhecendo e se aproximando de algumas alunas que bom, possuem seus problemas. Enfim, é um romance com bons dramas que desenvolve não só a relação dele com as garotas, como também o protagonista em si. Ah, quase esqueci mas nesse mangá nós temos duas relações entre professor e aluna.

 

Aliás, eu poderia colocar o lendário Great Teacher Onizuka, mas infelizmente eu sou um pecador que não leu o mangá ou viu o anime ainda. Por fim, eu poderia citar o quase hentai Black Gakkou ni Tsutometeshimatta sensei, que sendo sincero é para você que quer ler um mangá meio absurdo com os dois pés no mundo hentai e dar umas risadas.

  1. Avatar

    Gostei de ter citado “Denpa Kyoushi”: vi apenas o anime em si e apesar da animação estranha, acredite, dá uma melhoradinha e como o Kagami é muito engraçado. Vi por mera curiosidade e também, por ter sido lançado na Shounen Sunday, uma revista que gosto e pena que não há muito interesse em adaptar suas obras em anime. Os últimos que sei que foram adaptados foram a 2ª temporada de “Dagashi Kashi” que foi muito melhor que a primeira temporada, “Major 2nd” que mostrou parte do potencial vindo do seu antecessor, “Major” e recentemente, “Karakuri Circus” que é do mesmo autor do “Ushio to Tora”; fora “Detective Conan” que tem estado firme e forte em seus mais de vinte anos de publicação e no anime, filmes e afins.

    Sobre chances de publicação no Brasil, o problema é que mangás de comédia não são muito “bem-vindos” e somado ao fato das poucas publicações de obras da Sunday pra cá, optando mais por obras da Jump e Magazine, fica neste limbo. O problema não é a quantidade de volumes e sim de interesse das editoras. Porque dava pra encaixar, com ou sem anime tais obras.

  2. Avatar

    Pensando bem eu acho que exagerei um pouco nessa questão. Se Denpa Kyoushi tivesse uns 50 volumes eu até acho que essa justificativa colaria, mas são apenas 26. E de fato os mangás de comédia são uma minoria apesar de um crescimento recente (que ainda está longe do que eu como consumidor gostaria).

Comentários