Terceira lista de animes shoujo! Para acompanhar as outras, clique aqui e aqui.

Desta vez, trouxe uma coletânea de animes de romance que viraram notícia ao longo dos anos por cair no gosto do povo. Tenho muito a agradecer a alguns membros da equipe do Anime21 por terem me ajudado nas três listas criadas (e também por gente de fora). Sem eles, nada disto seria possível.

 

Hana Yori Dango

Hana Yori Dango

Hana Yori Dando – Hanadan para os íntimos – é um shoujo bem interessante que retrata de forma crua, pesada e ao mesmo tempo divertidamente romântica, a linha que divide “a elite” “da ralé”. Tsukushi Makino vive na pobreza e cresceu com valores sólidos, responsabilidade e acima de tudo, uma imensa força interna.

Buscando galgar voos maiores e vencer na vida por si mesma, ela entra numa escola de ricos e ali por sua postura firme e resoluta, ela passa a ser perseguida pelo famoso G4 (Tsukasa, Rui, Nishikado e Mimasaka), a elite da elite da escola. Ao longo da história há muito sofrimento e pressão sobre a garota, mas é gratificante ver como Makino sempre acha um meio de sair por cima, “matando os leões com as próprias mãos”.

Nisso, por ser essa força da natureza, ela acaba arrancando a admiração de Tsukasa – e gradualmente a dos demais -, protagonizando ao seu lado uma verdadeira guerra para ser feliz, passando por cima de tudo e de todos – incuindo eles mesmos -, enquanto se apaixonam e crescem com isso.

 

Karekano

Karekano

Kareshi Kanojou no Jijou, abreviado para Karekano, conta a história de dois alunos modelo: Miyazawa Yukino, uma menina que parece super compreensiva, além de muito bonita e inteligente, mas na verdade ela só se arruma e estuda para ganhar a atenção de todos à sua volta, e Arima Soichirou, um menino que é realmente bom no que faz, principalmente nos estudos, mas quando descobre um segredo de Yukino começa a chantageá-la de várias formas.

No meio de eventos engraçados e muita conversa e chantagem, os dois acabam se tornando muito mais do que amigos, mantendo um relacionamento que às vezes acaba por se tornar deveras complicado.

O anime diverge do mangá, o que deixou a autora bastante incomodada, então se não gostar de um, sempre pode experimentar o outro.

 

Peach Girl

Peach Girl

Adachi Momo, uma garota de pele bronzeada e cabelos claros, é constantemente chamada por nomes pejorativos por ser confundida com uma Gal (ou Gyaru), mas na verdade tem esse tom de tez por conta do Clube de Natação. Ela tem uma “amiga” chamada Kashiwagi Sae que adora furar o olho da protagonista de várias formas, seja conseguindo bolsas, por exemplo, ou até mesmo tentando namorar o menino que Momo ama.

O garoto que Momo gosta, Toujigamori Kazuya, prefere garotas que não têm a pele bronzeada, e isso faz com que a protagonista pense o tempo todo em mudar e até mesmo se questionar quem é de verdade. Este anime se encontra na lista por sua obra original ter sido publicada pela Panini em 2003, e também por se tratar de um dos animes que trouxe à tona o “complexo de Gal“.

 

Bokura ga Ita

Bokura ga Ita

Este é um anime onde o passado nunca é deixado para trás. Takahashi Nanami é uma garota que tenta começar uma nova vida no ensino médio, conquistando novas amizades e sendo feliz da maneira que der. Porém nem tudo é possível quando ela se encontra com o popular Motoharu Yano, que além de ser muito conhecido por pegar várias garotas, é um misto de menino inteligente com sem noção.

No início, Nanami não gostava nem um pouco dele, mas o romance entre eles foi crescendo de uma forma que resolveram finalmente se tornar namorados. Apesar do fato de estarem sempre juntos, Yano não consegue se abrir para a garota, principalmente por conta do primeiro relacionamento que teve, que envolvia Nana, irmã de Yamamoto Yuri, amiga de Nanami.

Os romances entre adolescentes são difíceis, porém enfrentar algo que é novo pode ser uma provação para Nanami.

 

Lovely Complex

Lovely Complex

Koizumi Risa, com 1,72m de altura, e Ootani Atsushi, com 1,56m, iniciaram o primeiro ano do ensino médio. Com a adolescência à flor da pele, nada mais normal que estar à procura de um(a) namoradinho(a). Mas por conta da proximidade que têm um com o outro, já são confundidos com um casal desde muito tempo e vai ficando cada vez mais difícil de desmentir.

No início, um incentivava o outro na conquista de seus amados, porém nem tudo se desenrolou como queriam e perderam a chance de suas vidas de aparecerem com alguém diferente. Mas será que o que realmente querem é provar para todos que não é possível que ambos sejam um casal?

 

Itazura na Kiss

Itazura na Kiss

Aihara Kotoko é apaixonada por Irie Naoki! Depois de muito tempo sem conseguir se declarar, principalmente por estarem em classes diferentes, ela decide entregar uma cartinha de amor, a qual é logo despachada pelo menino.

O problema é que não apenas as notas de Kotoko sempre caíram, como também sua casa desabou depois de um pequeno terremoto. Por conta disso, ela e seu pai tiveram se mudar para outro lugar, mas mal sabia ela que moraria debaixo do mesmo teto que seu amado Irie.

Mesmo não tendo chance alguma com o garoto, Kotoko permanece otimista de que, um dia, conseguirá conquistar o coração dele, mesmo que ele diga não gostar de garotas “burras” feito ela. Será que Aihara terá sorte no amor, ou foi apenas algo que o destino não quis que se concretizasse?

 

Kimi ni Todoke

Kimi ni Todoke

Kuronuma Sawako é uma menina inteligente, positiva e bonita, porém mal compreendida por seus colegas de classe. Por conta de seu cabelo comprido e seu sorriso um pouco estranho, recebeu o apelido de “Sadako”, a Samara do filme “O Chamado” (que é originalmente japonês e “Sadako” é o nome da garota-assombração). Por causa disso Sawako nunca teve amigos, mas vive tranquila apesar de sozinha.

Um dia, ela encontrou em seu caminho Kazehaya Shouta, um dos garotos mais comunicativos e amigáveis de sua classe, que pretendia ser seu amigo depois de tê-la conhecido. Porém, um grande e bonito sorriso foi mostrado por Sawako, e ele se sentiu enfeitiçado pela garota.

Esta é uma história de muitos mal entendidos, mas também de amizade e de romances, sendo eles correspondidos ou não.

 

Kaichou wa Maid-sama

Kaichou wa Maid-sama

Tal qual a inabalável Makino de Hana Yori Dango, Ayuzawa Misaki é igualmente pobre e tão poderosa quanto a primeira – inclusive fisicamente -, sendo um verdadeiro modelo de aluna e mulher para os que a cercam.

Vivendo em uma família abandonada pelo pai e numa escola predominantemente masculina, ela se torna inflexível e defensora dos direitos femininos, criando no processo uma imagem difícil e que esconde seu caráter gentil, dedicado e acima de tudo amoroso.

Essa face delicada no entanto não fica oculta aos olhos das garotas do colégio Seika e nem de Usui, um cara bonito e inteligente, que se encanta cada vez mais com suas virtudes e jeito singular. Um dia porém, após ter seu emprego em um maid café acidentalmente descoberto, a protagonista se imagina ameaçada e com isso vai se aproximando involuntariamente do rapaz.

Juntos, eles dão origem a uma das comédias românticas mais tumultuadas e fofas da história, com toda sorte de momentos épicos para quem curte esse gênero.

 

Kamisama Hajimemashita

Kamisama Hajimemashita

Nanami vive apenas com seu pai, que por motivos de incompetência tem uma dívida massiva. Ou melhor, Nanami vivia com seu pai, porque a história começa quando ele foge de casa e das dívidas, deixando a adolescente sozinha. Ela logo é despejada pelos agiotas.

Na rua da amargura, e bem, literalmente na rua, ela vê um homem sendo atacado por um cão e o ajuda. Após escutar a história da garota, ele oferece a ela sua própria casa como agradecimento! Ocorre que tal “casa” é um templo abandonado. E que ela foi enviada para lá para ser a nova deusa do templo.

Sem alternativas, ela decide tentar a sorte nessa nova vida dupla, dividida entre estudante colegial e divindade de um templo habitado por Tomoe, um espírito de raposa que fugiu quando Nanami chegou. Ao perceber que não iria conseguir executar suas tarefas divinas a contento sem a ajuda da raposa mau-humorada, Nanami tenta encontrá-lo, mas só o que encontra é problema. Tomoe a salva e, sem querer, os dois selam um contrato.

Agora deusa e raposa viverão dias turbulentos conforme novos espíritos e novos sentimentos entre os dois começam a aparecer ao longo dos episódios.

 

Sukitte Ii na yo

Sukitte Ii na yo

Mei é uma garota que evita fazer amizades devido a um acontecimento de seu passado, mas isso muda quando conhece Yamato, um garoto popular da escola que se aproxima dela e o qual ela acaba beijando para sair de uma situação perigosa.

Depois do beijo os dois se aproximam e percebendo que o sentimento é mútuo começam um namoro apesar da resistência da garota. É com Yamato que Mei se abre para a amizade e o amor, vive novas experiências e supera os percalços de um relacionamento para ser capaz de dizer “eu te amo”.

Sukitte li na yo é uma bela história de amor que se aproveita do estereótipo do garoto popular e da garota tímida para tratar de temas importantes como o bullying, os ciúmes e a amizade, proporcionando momentos fofos e tocantes.

 

Ao Haru Ride

Ao Haru Ride

No ginasial Futaba tinha aversão a garotos, mas nutria um carinho especial por um certo menino, Kou, com o qual um dia se escondeu junto da chuva. Quando estavam prestes a ter seu primeiro encontro Kou desaparece sem dar notícias, fazendo Futaba guardar seus sentimentos até o colegial, quando o garoto reaparece, agora com um novo sobrenome e uma personalidade bem diferente, e vira a vida dela do avesso.

Ao Haru Ride é um romance adolescente que entre idas e vindas mostra o desenvolvimento de um amor que precisa superar muitas adversidades para se concretizar. Futaba corta um dobrado para abrir o coração de Kou e o garoto precisa curar as feridas de seu passado, pois só assim os dois poderão aproveitar juntos a primavera de suas vidas.

 

Ore Monogatari!!

Ore Monogatari!!

Takeo é um colegial forte e atlético cujo corpanzil só não é maior que sua coragem e gentileza, e é exatamente por causa dessas qualidades que ele atrai o interesse de Yamato, garota salva por ele de um molestador no trem.

Takeo confunde a aproximação de Yamato com interesse amoroso por seu melhor amigo bonitão, Makoto, e tenta ajudar a garota a ficar com ele, mas logo que o mal-entendido é desfeito os dois começam a namorar apesar de fazerem um casal inusitado. Ele é tão grande quanto um gorila, ela muito pequena e fofa. Os dois vão aos poucos construindo uma bela história de amor.

Ore Monogatari!! nos lembra a importância de não julgar as pessoas pela aparência, assim como a necessidade do diálogo e o respeito mútuo para o sucesso de qualquer relacionamento. Uma verdadeira amostra de que quando se há amor sempre se pode encontrar um jeito para ser feliz em meio às diferenças.

 

Orange

Orange

Naho é uma colegial que recebe uma carta de seu eu do futuro descrevendo seu primeiro dia de aula em que sua sala recebe um aluno transferido, Kakeru, e contida na carta há um pedido: salve Kakeru.

Logo o garoto passa a fazer parte da turma de Naho, composta por ela, Suwa, Azu, Hagita e Takako. Os dois se apaixonam, mas para viver esse amor primeiro Kakeru precisa ser salvo dos arrependimentos que o levaram a tirar sua vida na linha do tempo da qual veio a carta.

Orange é um drama pungente que trata de um tema sério, e um problema recorrente para a sociedade japonesa, o suicídio. A obra mostra como é importante estender a mão a quem precisa, prestar atenção nos mínimos detalhes e cuidar da saúde emocional, assim como viver uma vida plena a fim de evitar arrependimentos futuros.

 

Fruits Basket (2019)

Fruits Basket (2019)

Este anime conta uma história de amor a passos largos, principalmente em sua primeira versão, que foi lançada em 2001. Honda Tohru é uma menina que perdeu o pai quando pequena e havia acabado de perder a mãe em um acidente de carro. Para poder sobreviver, passou a morar sozinha dentro de uma tenda para não precisar dar preocupação à sua família e amigos.

Mas ela não imaginava que o local em que estava morando fazia parte da residência secundária da família Souma, a qual tem um segredo que não pode ser revelado a ninguém: há doze membros que sofrem a maldição de se transformarem em um dos animais dos doze signos chineses (e mais o gato, por causa da lenda da criação dos doze) quando abraçados por alguém do sexo oposto ou quando estão em situação adversa.

Este anime, além da parte do romance, também conta com algo muito importante, que é a aceitação de si próprio, atravessando preconceitos e outras fases traiçoeiras da vida.

 

  1. Avatar

    Ora quem diria: vi quase todos os animes citados, meus favoritos em disparado são “Hana Yori Dango”, “KareKano” e “Itazura na Kiss”, o primeiro com seu clima noventista e abertura marcante, o segundo por ter um dos melhores casais românticos em animes que já vi e o terceiro por ter trazido toda a trama original, final fechado; saindo para os que tentei e não consegui ver, por achar nada de mais, “Lovely Complex” e “Ore Monogatari”, o segundo me decepcionou após o casal principal se formar no início e ficar sem “percalços”, o outro tem seus méritos, vai que reveja, mas, tenho a regra de não rever algo que não tenha gostado. De quem pode entrar na lista de favoritos, a nova versão de “Fruits Basket” tá arrasando e aumentos minhas poucas esperanças de ver uma nova versão de “KareKano” nestes moldes; já os que vi e achei legal dos citados, “Kaichou wa Maid-sama” e “Kamisama Hajimemashita”, com seus personagens e histórias com a cara de cada um pode oferecer.
    O restante sei de nome e quem sabe, vá ver algum deles, não custa sonhar. Amei a lista e até mais!!!

Comentários