Com o fim do animê e do acompanhamento episódio a episódio, chega o momento de fazer o post sobre a obra inteira, a famosa resenhona. Como não gosto de seguir padrões e só faço o que tenho vontade, resolvi fazer um top 10 dos melhores momentos de Okaa-san Online.

 

10º – Dormindo com a mamãe

Por mais que todos estivessem empolgados com Mama-san e o vilão, na cama, ela quebrou a expectativa (apesar de que já sabíamos que não iria rolar uma brincadeira ali) e ninou o felizardo. Teve o cobertor para proteger do frio e os tapinhas carinhosos para afagar.

Ótimo fanservice para o público do animê que adora essas ações maternas que Mamako realiza.

 

9º – Medhi yandere

Foi uma boa sacada deixar Medhi com seu modo cruel, afinal, ninguém fica anos sofrendo na mão da mãe e, repentinamente, fica curada e sem nenhuma sequela. Apesar de ser um recurso utilizado para o humor, mostra como as ações possuem consequências e isso é uma espécie de trauma que perpetuou.

Além disso, é algo muito divertido. É muito bacana ver a mudança completa dela, incluindo o olhar, destilando seu veneno por aí. Amante foi uma vítima maravilhosa.

 

8º – Peixe milf lover

Esse peixão é um de nós. Mamako nem estava na batalha, estava super longe da cena. Mas quem se importa? Quando ele viu, foi em cima dela sem pensar duas vezes. E, sempre bom lembrar: graças a ele que tivemos uma das melhores cenas do animê, com nossa milf toda enrolada em tentáculos.

 

7º – Toco no NPC

Apaixonado por Mama-san (quem não está?), o Npc toma coragem, leva flores, e revela seus sentimentos para ela. E, bom, obviamente que ele ia levar um “não”. Admito que fiquei com pena do coitado, já que ele representa todos nós, mas, ao mesmo tempo, fiquei aliviado de minha milf continuar solteira.

A desculpinha de Mamako foi no nível de alguns “nãos” que já levei por aí: disse que não podia ficar com ele porque tem um filho. Sim, eu sei, isso é um absurdo! O fato dela ser mãe só a torna mais interessante. Vamos nos libertar aí, Mamako.

 

6º – Limpando a orelha do filhote

Depois de incansáveis lutas e caminhadas, o que é melhor que deitar no colo da mãe para uma higienização das orelhas?

Como todo amor do mundo, Mamako limpa calmamente o Masato, enquanto ele tem um relaxante descanso em suas pernas.

 

5º – Espadas são utensílios domésticos

No meio da dungeon, uma super normal disputa de afazeres domésticos. Quem é a melhor lavadoura de louça? E quem é a melhor lavadoura de roupas?

É claro que Amante não tinha a menor chance contra os vastos anos de experiência de Mama-san. Ela coloca detergente em uma espada para fazer a lavagem e, depois, utiliza a outra para fazer a secagem.

Na segunda prova, usa a espada para improvisar uma máquina de lavar e deixa a roupa brilhando.

Foram usos bem diferentes e criativos para as espadas super poderosas. Tenho certeza que ela achou muito mais útil a função “dona de casa” que a função “matar inimigos”.

 

4º – Fuuuu-fuuu

A comida está quente. O que a mãe faz? Assopra para não queimar a boca do filhinho.

Nem o ar-condicionado tem maior poder refrigerador que o sopro da mamãe. Tanto é que o sopro da Mama-san entregou novos poderes a party.

 

3º – Mamãe fica melhor de lingerie – bônus: Shirase

Depois de perderem a roupa em armadilhas, só resta lutar de lingerie. Mas quem precisa de equipamentos? Sem eles é possível lutar com muito mais mobilidade.

Com diversos ângulos gloriosos, nossa milf-que-não-é-milf esbanja toda sua força e inteligência em um conjunto belíssimo.

Como bônus, temos a Shirase, que foi uma gratíssima surpresa, com uma lingerie ousada. Infelizmente, o diretor não mostrou a Shirase como deveria, ela merecia muito mais tempo de tela.

 

2º – Milf + maiô = crescimento

Medhimama foi personagem central no arco mais desgraçado do animê, o endless school. No entanto, agraciou nossos olhos com seu maiô exuberante. Foi o melhor figurino de todo o animê, o qual me recordo com saudade até hoje. A cor, a modelagem, o caimento, ele é completamente perfeito.

Assim como a Shirase, minha única crítica é que deveria ter tido muito mais tempo de tela. Aquela formosura todo merecia uns 20 minutos durante o episódio.

 

1º – Melada com o filho

Logo no início do animê, o que jogou minhas expectativas lá em cima, e que, infelizmente, não foram correspondidas. Mas, que cena, meus amigos, que cena!

O super slime jogou um ácido gosmento seletivo que só derrete roupas de milfs. É o poder mais incrível já visto em um animê. Mama-san e filhotinho ficam envoltos em gosma e, na tentativa de se livrar, só ficam mais e mais engosmados. Aí rola de tudo, fazendo a alegria da galera.

Como gosto de ver meus amigos otakus-aranhas felizes, vou colocar as imagens do Blu-ray que foi lançado recentemente, sem os malditos raios divinos.

Okaa-san Online foi um animê divertido, uma pena que o arco da escola, somado a seriedade de alguns momentos, estragaram muito. No tocante a mãe, o fanservice foi de boa qualidade, mas faltou mais de service-service explícito. O roteiro da Mamako foi muito bom e pode-se dizer que ela carregou o animê nos peitos.

Meu caro amigo otaku-aranha, o que achou de Okaa-san Online?

 

Sayonara. Bye, bye o/

 

(〜 ̄▽ ̄)〜 Por mais animês de mãe e filho!

 

 

  1. Avatar

    Não curto muito isekai com tanto fanservice assim, mas se a personagem da mãe fosse menos infantil eu não teria dropado mesmo rolando toda a putaria.

    • Avatar

      Você diz que a mãe é infantil em que sentido?

      Eu meti o pau no character designer desde antes do lançamento, criticando que a aparência dela é jovem demais. Mas o roteiro dela, as atitudes dela, a forma dela interagir com os outros personagens, é tudo muito condizente com a idade e o posto dela de mãe.
      Outra coisa que também achei muito jovem foi a voz dela, mas, a partir do terceiro episódio, a seiyu pegou a mão e ficou bem bacana, diferente da forçação que foi nos primeiros episódios.

  2. Avatar

    Não esperava menos do mestre Muragami, o top 10 melhores momentos de Okaa-san ficou deveras interessante.

    Respondendo à pergunta feita pelo mestre, Okaa-san foi um anime que deu para passar o tempo, teve momentos divertidos e alguns momentos que se alongaram mais do que deviam, deixando alguns episódios estagnados na mesma coisa. De resto, a animação foi melhor do que o esperado (algo raro, vindo do estúdio J.C Staff) e o grande destaque para mim foi a voz madura e em certos momentos erótica da seiyuu Kayano Ai.

    • Avatar

      Grande Kondou-san.

      Tenho a mesma opinião que a sua, se ele não tivesse enrolado tanto em alguns arcos, principalmente no da escola, teria sido muito melhor.
      Eu não entendi a decisão de enrolar tanto, já que a light novel têm vários volumes a disposição para adaptação.

      Nos 2 primeiros episódios achei a voz da seiyu forçada e foi algo que me incomodou. Mas, a partir do 3º, ela pegou o jeito, e a modulação que ela fez não transpareceu, ficou bem natural. Também gostei bastante da voz da Mamako, a partir do 3º episódio.

Comentários