O OVA de hoje é no mínimo controverso, pois Cencoroll Connect (2019), continuação e anexação, ou mesmo um puxadinho do OVA original de 2009, mantém o estilo experimental despreocupado em estruturar um enredo coeso, e muito mais focado em se divertir ante ao surreal e, ao mesmo tempo, prosaico, cenário da obra.

Ler o artigo →

Eis aqui um anime que segue pelo estilo show de luzes, no bom sentido! E também no bom estilo Trigger, herdado do moribundo Gainax, que Madoka o tenha. Promare aposta e cumpre o seguinte: um anime puramente para agradar os olhos, com cores vivas e pulsantes, um ritmo frenético e alucinante, que quando para, faz o anime despencar ladeira abaixo, não por ser ruim, mas apenas devido ao fato de o anime ser em essência a frenesi desenfreada. Por sorte, e quem fez ele sabe bem disso, 85% do anime mantém o espírito de ação e conflito, onde respirar não é uma sugestão.

Ler o artigo →

Nos últimos anos várias obras com a temática Isekai vem sendo lançadas. É quase como se a indústria quisesse nos fazer engolir montes desse tipo de obra, ainda que muitas vezes as diferenças sejam ínfimas. Para mim isso não é exatamente um problema pois eu gosto desse tipo de proposta e apesar de ter escrito tudo isso, Imawa no Kuni (ou Alice in Borderland ) passa perto ao mesmo tempo que longe de ser um isekai. Sim, é um pouco confuso mas eu irei explicar melhor sobre isso. Ah, e se você quiser nós temos algumas listas de obras com a temática isekai como essa bem aqui.

Ler o artigo →

Melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro original, melhor filme estrangeiro. Parasita (Gisaengchung no original), filme sul-coreano de 2019 dirigido por Bong Joon-ho, foi o grande vencedor do Oscar 2020, sendo o primeiro filme estrangeiro e não falado na língua inglesa a ganhar o prêmio principal. Preciso escrever mais para convencê-lo a assistir esse filme? Se sim, e ainda que não, peço que confira minhas impressões da obra.

Ler o artigo →

A jornada do egoísmo ao altruísmo é representada pela empatia. Na relação direta, proativa e inevitável com o outro.

Chikyuu ga Ugoita Hi, narra um evento real, dramatizado em formato de animação. O desastre ocorrido em 1995, quando um terremoto assolou diversas cidades do Japão, incluindo Kobe, a cidade retratada no anime em questão.

Ler o artigo →