Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Hoje finalmente saiu a segunda temporada de Boku no Hero Academia, algo que os fãs pedem desde o fim da primeira, que não por acaso, passou voando. É importante destacar que o episódio que saiu hoje foi realmente o primeiro. Semana passada foi lançado um resumão de tudo que aconteceu até agora, mas que acabou contando como o episódio zero dessa nova temporada.

Mesmo com esse resumo o anime começou explicando novamente tudo sobre o mundo em que os personagens vivem e como essa coisa toda de superpoderes começou. Depois disso, ainda contaram toda a trajetória de Izuku até se tornar um herói, o que espero que não aconteça em todos os episódios. Também foi revelado o mentor de All Might, que pode ser alguém importante para essa temporada. Não se sabe quase nada sobre ele até então, mas podemos esperar que ele ajude futuramente no treinamento de Izuku.

Lembrem-se desse personagem, ele será importante no futuro

Então tivemos a nova abertura da série, que mesmo não sendo no mesmo nível da primeira, ainda tem suas qualidades. Nela podemos perceber que o foco desta temporada é realmente o Festival Esportivo, que inclusive se tornou um evento tão importante quanto as Olimpíadas no Japão. Também foi possível notar que os personagens secundários receberão um maior destaque, além de apresentar novos heróis. O encerramento ficou por parte das personagens femininas do anime.

Essa temporada se inicia exatamente como a última terminou, mostrando as consequências do ataque dos vilões. É interessante como a história se preocupa com isso, ao invés de simplesmente esquecer tudo o que aconteceu, como acontece com alguns animes. Outro exemplo é o poder de All Might, que está mais fraco e restrito do que nunca, o que deve surgir na história como uma ameaça a partir do momento em que os vilões perceberem sua ausência.

Em uma reunião com os professores da escola, foi discutido algo muito interessante, que seria o fato de como surgem os vilões menores. Eles nascem a partir do momento em que pessoas que vivem à margem da sociedade não sabem o que fazer com suas habilidades e são influenciadas por pessoas más. Uma ótima crítica em relação ao que acontece na vida real.

Na escola, a relação entre os alunos se mostra ainda maior, inclusive já explorando melhor os personagens, como disse acima. Um exemplo é uma das minhas personagens preferidas, a garota invisível, que quase não foi vista na primeira temporada (desculpe pelo trocadilho). O anime trabalha muito bem a questão da união na turma, algo que é bem difícil de fazer por conta de tantos personagens, mas que está sendo tão bom quanto em animes como Danganronpa e Assassination Classroom.

Minoru sempre como um ótimo alívio cômico

Ainda neste episódio foi revelado a motivação de uma das personagens principais da história, Uraraka, que se mostrou bem mais exaltada do que os outros alunos em relação ao Festival Esportivo. A partir da reflexão que ela faz, percebemos o quanto nossas vidas seriam mais simples e fáceis se todos tivéssemos poderes. Quem sabe no futuro.

Por fim, foi revelado que All Might pretende tornar Izuku o seu substituto no combate ao crime. É incrível a forma como o anime torna cenas como essa, que poderiam ser feitas de forma simples, em algo tão grandioso. Esse é um dos principais motivos que me fazem acompanhar My Hero Academia, me fazendo voltar no tempo em que assistia shounens de raiz na televisão.

O episódio serviu para dar mais um resumão em tudo que aconteceu e entender as consequências de todos aqueles atos, além de criar uma expectativa do que será o Festival Esportivo tão comentado e tão importante para todos. Segundo a prévia, no próximo episódio a competição finalmente vai começar e veremos mais da rivalidade entre Izuku e Katsuki. Com 25 episódios nessa segunda temporada, o anime tem chance de explorar tudo o que puder e não correr para contar a história. My Hero Academia está com a faca e o queijo na mão para se tornar um dos principais animes dessa temporada.

Comentários