Essa semana Nanatsu no Taizai: Imashime no Fukkatsu nos trouxe um episódio fantástico e muito aguardado por todos os fãs da obra. Um grande bolo recheado de surpresas, emoções e pontos a serem discutidos. Dito isso, vamos à análise.

A primeira parte começou com Jericho brilhando novamente. Honradamente, ela mostrou o poder de um aprendiz de cavaleiro sagrado ao segurar um ataque de Galand de frente sem cair. Jericho, nos últimos episódios, vem realmente tendo um grande destaque e com certeza conquistando o público. O prosseguir do episódio levou nossos três guerreiros e os mandamentos para um lugar um tanto peculiar: um bar escondido em uma montanha. Depois de algumas formalidades, Ban reconheceu aquele homem magro e fraco que estava a sua frente. Era nada mais nada menos que… Escanor. Ele vivera refugiado naquele lugar desde que os sete pecados passaram a ser perseguidos pelo reino, mal sabia ele que as denúncias haviam sido retiradas e o grupo comandado por Meliodas havia sido nomeado como os grandes heróis da cidade. A apresentação do pecado do orgulho inicialmente foi uma grande comédia, pois aquele estava bem longe de ser o homem esperado pelos fãs.

Continuando… Galand e Merascylla chegaram até aquele bar em busca de eliminar Ban, Jericho e Elaine, Porém se deixaram levar pelos desejos de explorar o mundo, o que há muito tempo não faziam e começaram a beber e festejar, enquanto isso, Escanor com as pernas bambas. Galand propôs um jogo com Escanor, que era simplesmente um duelo até a morte e quem fugisse seria petrificado. O membro dos dez mandamentos deu um tapa que desmaiou aquele ser aparentemente fraquinho, assim ele e Merascylla passaram o resto da noite bebendo.

Merascylla ficou bem saidinha depois de tomar umas.

No brilhar do Sol, surge… Escanor, o pecado do Orgulho!

Naquele momento em que a lenda surgiu à sua frente, Galand só poderia lamentar ter mexido com quem estava quieto, porém não teve tempo para isso já que foi prontamente cortado ao meio, sem nenhuma dificuldade, por Escanor.

O pecado capital mais forte.

Agora, vou explorar alguns pontos que se apresentaram acerca de Escanor e seu poder:

O poder de Escanor passa dos 50.000: a partir da análise feita por Merlin, descobrimos que no momento em que Escanor estava lutando com Galand seu poder passava dos 50.000. Ainda foi possível saber que o poder dele é escalável. À medida que o sol vai ficando mais forte, o poder de Escanor também aumenta. Nem Galand usando toda sua força foi páreo para aquele monstro que saiu da jaula, ou melhor dizendo, aquele Leão que saiu da jaula. Nosso herói orgulhoso foi capaz de fazer um dos dez mandamentos sair correndo de medo. Com isso, Galand acabou petrificado pela sua própria habilidade.

Nível de poder de Escanor, posteriormente ela fala que o poder dele está aumentando.

A sua maior fonte de poder também é a de sua maior fraqueza: algo que ficou muito claro nesse episódio foi  o quão monstruoso é o poder de Escanor perante o Sol. Porém, na ausência dele, se torna apenas um homem fraco e indefeso. Possui uma habilidade genial e ao mesmo tempo com uma falha tão bruta, mas que se for bem administrada por ele e os pecados capitais, é possível que não sinta tanto essa dificuldade nas batalhas que virão.

Existe um forte sentimento entre Escanor e Merlin: outro ponto que ficou muito aparente é que Escanor e Merlin têm algum sentimento muito forte, já que logo após a chegada de Ban, Escanor não titubeou e foi logo perguntando sobre a maga dos setes pecados. Contudo, não ficou claro qual o sentimento entre eles, se é uma amizade muito forte ou um romance. Com certeza essa relação entre os dois será mais bem explorada nos próximos episódios.

Na parte final do episódio surge uma dúvida: o que Escanor fez no meio tempo em que deixou Ban, Jericho e Elaine para trás? Ele poderia ter ido atrás de Meliodas e companhia, porém, ao retornar perguntou a localização deles. Poderia ter ido atrás dos mandamentos? Sinceramente não acho que isso possa ter acontecido, mas é uma possibilidade. Apesar de Escanor ter mostrado ser gigantescamente forte, ainda não se sabe a medida de poder de todos os Mandamentos. O motivo dessa saída repentina de Escanor deverá ser apresentado futuramente.

Vimos também a explicação que Jericho deu acerca da vida de Elaine, que ainda teria muitos arrependimentos guardados com Ban, o que manteria a chama de sua vida acesa. Para aqueles que esperavam um desfecho um pouco mais construtivo entre Ban e Jericho… não aconteceu. Ele tem olhos apenas para Elaine.

Para finalizar com chave de ouro esse episódio brilhante de Nanatsu no Taizai, foi entregue uma dose de carga emotiva por ver o reencontro dos dois irmãos do reino das fadas, King e Elaine. Essa cena deverá ter continuidade no próximo episódio.

A chegada de King para reencontrar sua irmã.

A preview trouxe poucas informações. Basicamente, uma cena entre Drayfus jovem lutando contra alguém ainda não especificado, mas com um título bastante interessante: “Uma confissão para se temer”. Podemos esperar alguns flashbacks sobre a vida de Drayfus e o desenrolar de sua captura pelo grupo céu azul.

Enfim, essa foi a análise do episódio 14 de Nanatsu no Taizai: Imashime no Fukkatsu, que foi sensacional. Como fã da obra, fiquei muito feliz em ver esse episódio. Algumas ressalvas com respeito ao relacionamento de Ban e Jericho (algo pessoal), mas de resto tudo foi muito bom, com a aparição brilhante do nosso querido pecado do Orgulho, Escanor.

Discussão