Depois de um episódio com pontos altos e baixos, só me resta lamentar! Lamentar por esta obra tão interessante contextualmente e executada de uma forma cativante ter caído nas mãos do jovem Geno Studio. O enredo de Golden Kamuy é algo muito bacana e interessante de se acompanhar, onde, o que menos importa atualmente é o ouro, pois ele começa a mostrar costumes tão bacanas de um povo não familiar que te faz se apegar aos personagens que são bons, mas sua produção apresenta uma deficiência iminente, e bem, é um ponto muito baixo para uma obra com tanto potencial.

O episódio seguiu um pouco da linha do anterior, mostrando costumes do povo ainu, mas desta vez não se limita a caça e culinária, mas nos é apresentado também uma forma de adoração aos deuses, a vila que é de fato o que eu esperava, e claro, a parte mais engraçada do episódio – claro que pode ter funcionado comigo e com você tenha sido diferente – que foi como eles dão nomes para as pessoas; bom, são nomes ridiculamente engraçados, e que sim, devem funcionar para afastar demônios, ou ao menos os deixar rindo por um tempo.

A entrega de várias cenas com teor cômico me agradou bastante, pois a maioria funcionou comigo, apesar claro, de nenhuma delas ter superado os nomes antes dos 6 anos de idade. É funcional para quebrar o clima sério que o anime precisa apresentar, e isso te dá uma sensação de leveza e cultura – afinal, você está aprendendo costumes de um povo desconhecido – em meio às partes sérias de guerra, caçada e matança.

Quando a vó da Asirpa pediu para o Sugimoto se casar com sua neta e a Asirpa disse para ele que sua vó falou sobre comer cocô foi um momento que eu esperei algo sério e bam! O diretor me deu um tapa na cara, ou devo dizer… Que o diretor fez “cócegas na minha barriga”?

A conexão do povo ainu com os animais é no mínimo “esperada”, talvez? Digo, para um povo assim, se espera que tenham bastante conexão com a natureza, certo? E é isto que nos é falado aqui também, sobre sua boa conexão com os animais e com religiosidade.

E droga! Ai meus olhos. Apareceu mais um urso em CG! Quando vi no começo do episódio eles falando que ursos não matam quem entram na sua toca, logo me passou pela cabeça um pesadelo de algumas semanas atrás, O GRANDE URSO que fez meus olhos sangrarem. E aqui é igual, o urso adulto continua muito feio, aliás, nada mudou, ele ainda se destaca de uma forma extremamente negativa, apesar claro, de a animação ser inconsistente.

Os inimigos ligeiramente apresentados no episódio anterior começaram a se mover! E após as duas cenas finais, eu só consigo ficar mais empolgado para ver o que vai suceder. A força mostrada por eles é algo empolgante por assim dizer; e com “força” eu não me refiro exclusivamente à força física não, mas sim em habilidade e poder – poder dentro do exército, que seja. Agora temos Hijikata (contabilize mais um amigo tatuado) e Tsurumi (contabilize a 7ª divisão) como possíveis inimigos no futuro, futuro esse que não deve e não vai demorar, afinal, o anime terá apenas 12 episódios, segundo minhas pesquisas.

Ai meu dedo

No mais, foi um episódio bem bacana em termos de informações e humor, mas que continua com uma parte técnica muito fraca, o que é claramente uma pena, mas ainda assim, eu tenho gostado de Golden Kamuy, claro, muito pela parte de enredo, e nada pela parte de animação.

  1. Este episódio de Golden Kamui foi muito bom (como já é costume).
    O único senão que posso apontar a este episódio, foi o maldito urso em CG. Eu costumo fazer vista grossa na questão do CG, mas o CG usado nos ursos de Golden Kamui é muito tosco e destoante do resto da animação.
    Deixando a minha reclamação de lado, este episódio mostrou mais da cultura ainu, sendo a tradição de dar nomes nojentos às crianças até aos seis anos, para afastar as doenças e o mau agoiro o melhor e mais engraçado dessa cultura (o nome de criança da Asirpa era bem peculiar e engraçado). A parte do urso bebé que o Sugimoto resgatou, foi bem engraçada e reflexiva ao mesmo tempo, de um lado as caras engraçadas da Asirpa e do outro a explicação da tradição dos ainu, criarem as crias de urso orfãs durante um ano ou dois e depois mandarem-nas para o mundo superior.
    Quanto ao Sugimoto, ele tem tudo o que um sobrevivencialista necessita, desde da sua agilidade à sua sorte. A parte em que o Sugimoto entra na toca do urso, eu pensava que ia dar azar para o Sugimoto, mas quem teve azar foi o pelotão do sétimo regimento de Hokkaido que o perseguia (a cena do soltado que perdeu a pele da face, foi bem pesada).
    Aquele membro que perseguiu a Asirpa (Genjirou Tanigaki), ele vai perseguir e matar o lobo que protege a Asirpa (de certeza). O Lobo devia ter ficado longe, agora ele vai ser perseguido e abatido por um maníaco que gosta de caçar.
    Agora a parte do episódio, que até a mim me provocou dor. Aquele tenente que tem a cara desfigurada é muito doido, ele arrancou um dedo à dentada do seu superior e ainda o mandou abater (isto seria o equivalente a traição e até mesmo deserção). Agora eu entendo o porquê do tenente Tsurumi, ser considerado um dos antagonistas do anime, ele está completamente louco (ele referiu que foi ferido por uma granada em Port Arthur, mas como raios ele sobreviveu).
    A última parte do episódio, foi para rir mesmo, o velho Hijikata nem deixou Tatsuma (comparsa dele na prisão), terminar o seu sexo relaxante. O Tatsuma até usou a mulher com quem estava a ter relações sexuais, como arma de arremesso contra o Hijikata (o mais engraçado nessa cena, foi a forma como o Hijikata se desviou e a cara de sério dele).
    Como sempre, mais um excelente artigo de Golden Kamui Carlos Sousa.

    • Sim, ainda tem o lobo. Pobre lobo! Era um bom animal, mas pelo que parece ele deve morrer logo. E sim, maldito urso!
      Obrigado pelo comentário! Até o próximo.

  2. 3 episódio e estou gostando demais do desenho animado golden kamui, estou amando a animação fluída consistente e acima da média com um excelente CG a nível de Violeta bem guardada e kyoto animação! Eu amo a Asirpa-chan e a vovó pedindo pra o Sugimoto se casar com ela já indica o que espero, o romance entre os dois. A própria heroína é apresentada pela sua avó como uma menina diferente, ensinada a caçar e viver nas montanhas e não tem hábitos comuns as mulheres da tribo, ela tem uma visão nova, que esta no seu nome: “Futuro”. Excelente episódio 5 estrelas muito divertido e gostoso de se assistir.

Discussão