Garo: Vanishing Line (2017) é a terceira tentativa da famosa franquia de tokusatsu de marcar um gol de placa neste ramo de anime, e quem sabe, repetir o feito de Garo: Honoo no Kokuin (2014), que é bastante elogiado pelos fãs – e com o completo merecimento -, coisa que Garo: Guren no Tsuki (2015) infelizmente não foi capaz de fazer.

Este anime de Garo não tem uma real conexão direta com os outros dois animes anteriores, podendo ser visto independente de você ter assistido ou não os outros, pois tudo que você precisa saber é explicado. O adendo aqui é que no final, o vilão tem um monólogo que faz conexão com as outras duas temporadas, mas não é algo de fato importante, para mim, não passa de um fanservice – que é muito legal, é claro.

Conheça Sophie. Ela é jovem e parece indefesa, mas provavelmente poderia te espancar!

Então, esta temporada segue Sophie, uma garota que tem seu irmão desaparecido e, com apenas uma pista do possível paradeiro dele, tenta encontra-lo a qualquer custo. Certo dia, um evento faz com que os caminhos de Sophie se cruzem com os de Sword, um misterioso cavaleiro makai detentor da armadura dourada. O enredo consegue fazer com que cada personagem tenha ótimos momentos, fazendo você gostar deles com o passar dos episódios, ainda que inicialmente eles sejam “cascas vazias” e um tanto estereotipados.

A animação é muito boa! Apesar de inicialmente ter um estilo de luta meio peculiar, eu diria, ele acaba arrumando isso ainda nos primeiros episódios. O design de personagens é o diferencial de Vanishing Line! Eu adorei Honoo no Kokuin, mas o design me incomodou um pouco, coisa que felizmente não aconteceu desta vez. A trilha sonora é talvez o ponto mais alto que eu tenho que ressaltar aqui, pois ela consegue passar a exata entonação que a cena precisa, fazendo assim, algo memorável dentro do anime.

Se você é do tipo que adora uma boa mitologia, quero dizer que você deve ver não só Garo: Vanishing Line, mas também Garo: Honoo no Kokuin, que conseguem apresentar a mesma mitologia em épocas diferentes e uma forma extremamente eficiente dentro do seu tempo.

  1. Garo Vanishing Line, não foi um mau anime. Não chegou perto da qualidade do Garo: Honoo no Kokuin (por N razões), mas sem dúvida foi muito superior ao lixo que foi Garo: Guren no Tsuki.
    Para mim, foi uma boa experiência acompanhar todas as semanas, as aventuras da Shophie e do Sword e o restante da companhia. A história foi bem desenvolvida (dentro dos 24 episódios planeados), os personagens foram muito bons, sendo o quarteto principal (Sword, Gina, Luke e Shophie) os melhores. Os vilões deste Garo foram bem meia boca, se comparados com o Mendonza de Garo: Honoo no Kokuin. A animação deste Garo foi ok, não é das melhores que o estúdio Mappa já usou nas suas animações, mas não deixa de ser funcional e em alguns momentos ser acima da média. Quanto à trilha sonora, esta foi ok, sendo as aberturas cantadas pelos Jam Project o ponto alto da mesma.
    Obrigado pela boa introdução a este Garo, Carlos Sousa.

Discussão