Haken no Kouki Altina é uma light novel publicada desde 2012 pela editora Enterbrain e atualmente conta com 13 volumes. Mas iremos tratar da versão alternativa em formato mangá, que infelizmente foi finalizado em 23 capítulos e foi publicada entre 2015 e 2017 pela revista Famitsu Comic Clear (mesma revista de Ookami Shounen – presente na lista sobre mangás de romance que fogem do usual). É uma história que contém romance, aventura, ação, fantasia e drama.

Ler o artigo →

Você gosta de Overlord? Ou dessas obras onde o protagonista fica preso dentro de um jogo? Bom, se a resposta for sim, essa obra pode ser do seu agrado (se a resposta for não, também pode). Publicado no site AlphaPolis Web Manga (o que faz dessa obra um web mangá), a obra é uma versão alternativa da light novel de mesmo nome. Com mais de 40 capítulos em português, a obra possui elementos de fantasia, aventura e ação em sua história (talvez até poderia adicionar um romance, não do tipo harém clichê).

Ler o artigo →

O filho do mais famoso dos ladrões que quer seguir os passos do pai, mas o mesmo sempre se recusou a ensinar-lhe qualquer coisa de seu ofício. Uma druida que cresceu entre feras e recebeu sua educação básica sobre os modos da civilização de um troglodita – uma criatura reptiliana, fedorenta e normalmente pouco civilizada, exceto por esse aqui. Uma maga elfa sempre de alto-astral que esconde um passado terrível.

Ler o artigo →

Ultimamente eu venho fazendo algumas listas de mangás com determinado gênero/característica em comum (especificamente sobre isekais) e tenho gostado desse tipo de artigo. Porém eu queria fazer uma lista com outro tipo e me lembrei de um amigo meu que costuma pedir recomendações de mangás com romance e me baseando nisso, decidi fazer esse artigo. As obras em questão têm personagens bem carismáticos, não possuem anime (uma delas tem e não tem ao mesmo tempo) e os casais têm uma química bem interessante (apesar de que um deles ainda não é real oficial) e eu pretendo fazer uma resenha específica de cada uma das obras eventualmente. De qualquer forma, eu espero que você, caro(a) leitor(a), fique satisfeito(a) com essa lista e se tiver algum pedido sobre determinado gênero é só comentar abaixo.

Ler o artigo →

Bom, I Am a Hero é um mangá já finalizado (fevereiro de 2017) com 22 volumes e 264 capítulos. Foi publicado pela revista Big Comic Spirits (Oyasumi Punpun, Uzumaki, 20th Century Boys, etc), possui 4 spinoffs (sendo 3 que se passam no mesmo mundo mas em cidades diferentes: Osaka, Nagasaki e Ibaraki) e é comercializado pela Panini aqui no Brasil. Em sua obra, o autor Kengo Hanazawa trabalhou com os gêneros seinen, drama, horror, sobrenatural e psicológico. Sobre a história, inicialmente vemos algo nada inovador mundo afora: um apocalipse zumbi. Ok, vemos inúmeras histórias sobre isso em várias mídias diferentes (séries, filmes, animes e etc) e aí é que mora o questionamento principal: qual é o diferencial dessa obra? O que faz dela uma obra boa o bastante para ser recomendável?

Ler o artigo →

Como podem supor pelo título, essa não é uma história para “estômagos fracos”, arrisco-me a dizer que foi uma das coisas mais – se não a mais – desagradável que já li – ao menos no círculo dos mangás. Não falo isso pela obra ter um traço ruim ou por ter uma história não tão bem desenvolvida, mas sim por abordar temas pesados – bullying, violência doméstica, psicopatia, etc – de forma extrema, com a intenção de causar profundo nojo e incômodo. É o tipo de obra que faz você pensar que a humanidade é horrível, e me arrisco a dizer que ela poderia deixar um gosto ainda mais amargo na boca se fosse mais longa ou melhor produzida.

Ler o artigo →

Gal Gohan é um mangá que atualmente possui 25 capítulos em português (tendo 38 em inglês) e 5 volumes publicados no Japão. Escrito e ilustrado por Taiyou Marii, a obra retrata algumas situações entre uma Gal e seu professor no dia a dia do clube que participam, o clube de culinária. É um mangá tranquilo de ler por conta da temática escolhida e sinceramente eu realmente espero que venha ter uma adaptação para anime um dia.

Ler o artigo →

Olá pessoal aqui é o Kakeru17 e hoje vou explanar um pouco sobre um mangá com nome e história bem peculiares, mas que indico para qualquer pessoa por ter achado excelente, conseguindo me cativar e me fazer refletir com a mensagem que ele quis passar. Se trata de Onanie Master Kurosawa, ou “Kurosawa, o Mestre da Masturbação”, para os íntimos.

Ler o artigo →

Olá pessoal, aqui é o Kakeru17 e a bola da vez é um mangá ainda em lançamento do tipo de comédia que o Japão é craque em fazer: Aharen-san wa Hakarenai.

Primeiro, vamos a sinopse traduzida e adaptada do Myanimelist:

Aharen-san wa Hakarenai é uma comédia curta que segue a vida de Ridou e sua colega de classe, Aharen-san, que não consegue determinar bem o quanto de intimidade deve ter ao se relacionar com outras pessoas. Junte-se a pequena, quieta e incompreensível Aharen-san!

Ler o artigo →

Kekkon Yubiwa Monogatari é uma mangá com atualmente 7 volumes e 38 capítulos em português (40 em inglês pela Crunchyroll). Serializado desde 2014, é publicado pela revista Big Gangan, a mesma de Kuzu no Honkai (que possui anime), Goblin Slayer (terá a adaptação para anime nessa temporada que se iniciará em outubro) e High Score Girl (anime desta temporada de julho). É escrito por Maybe, mesmo autor de Tasogare Anminesia (duas temporadas de anime), entre outros. Possui os gêneros: fantasia, harém, romance, sobrenatural, seinen e ecchi. E o artigo contém alguns spoilers sobre a obra mas nada que atrapalhe a experiência.

Ler o artigo →