Bom dia!

O tema dessa semana em Hisone to Masotan é “assumir responsabilidade”. Ele surgiu mais de uma vez durante o episódio, sempre relacionado aos protagonistas (o dragão conta como co-protagonista, certo?), e até mesmo se encadearam de forma coesa. E isso é importante!

Ou talvez não seja. No final do episódio a Hisone falou o que é que ela acha que é realmente importante.

Parece que a Hisone subiu um nível na hierarquia militar e agora está em contato direto com os demais pilotos – o que seria bom se fosse bom, mas eles são um bando de machões bastante grossos que não veem problema nenhum em assediar ou zombar de uma mulher na base só porque ela é mulher. Realmente dá o que pensar sobre essa base: como ela pode funcionar tendo homens e mulheres se eles não conseguem respeitar elas? Bom, daria o que pensar, mas a Hisone disse na cara deles tudo o que precisava ser dito, e me dou por satisfeito. O anime é uma comédia e eles não são personagens importantes, então desde que se reconheça que eles são escrotos está tudo bem.

Enfim, agora Hisone parece ser uma “pilota plena” ou algo do tipo, e passa a fazer exercícios aéreos regularmente junto com os demais pilotos. Isso é realmente necessário? Bom, deve ser. Na eventualidade dos dragões serem usados como armas de guerra (e eles são armas de guerra, afinal) é bom que os esquadrões estejam devidamente treinados. Mas há um problema: primeiro, há um evento de demonstração para o público agendado para breve, e os pilotos já vêm ensaiando para ele, e segundo, a Hisone é totalmente novata ainda, portanto a chance é grande de que ela os atrapalhe.

Durante os exercícios Hisone fica com a impressão que Masotan quer lhe dizer algo, mas não consegue entender o quê, e mais tarde descobre que ele tinha uma outra pilota até três anos atrás que simplesmente desapareceu fugida. Aparentemente, ele ainda se lembra dela, e como um cachorrinho de estimação bastante inteligente sempre a procura ao redor quando escuta seu nome. E a Hisone? Ele não memorizou o nome dela ainda. Ou memorizou e não liga. Parece ruim qualquer que seja o caso, e a Hisone fica bastante insegura por causa disso.

Talvez Hisone esteja sentindo nesse episódio um pouco da pressão que a Nao demonstrou sentir no episódio anterior? No caso dela, com relação à sua mãe. Não quero culpar a Hisone pelo que a Nao passou, ela nem sabia afinal, a Nao provavelmente nunca contou a ninguém que isso a deixa desconfortável. Ao contrário da Hisone, ela não é super honesta. Enquanto a Hisone diz em alto e bom som para quem quiser ouvir que não é emocionalmente madura o bastante para lidar com o fato de que aparentemente o Masotan está mais ligado à sua antiga pilota do que a ela, a Nao enterra suas inseguranças bem fundo. Tão diferentes, mas com tanto em comum.

Na segunda metade do episódio tem a apresentação aérea e tudo começa a ir de mal a pior quando o caça que deveria fazer a principal demonstração do dia se mostra com defeito no motor e não pode decolar – e sequer há nave que o substitua. Quero dizer, não uma nave convencional. Ora, a culpa foi da Hisone, afinal! O motor quebrou por causa da imperícia dela durante os exercícios, que colocou todas as demais naves em risco e sob estresse! Ela deve assumir a responsabilidade e voar, então, com Masotan. Aliás, era exatamente sobre esse defeito que o dragão tentou avisá-la antes.

Mas não tem jeito do dragão voar. Ele não gosta de multidões e fica paralisado de medo – de fato, ele estava chorando de estresse mesmo quando ainda estava sozinho no hangar, sem que se lhe cobrassem que voasse. Quem notou tudo isso não foi outra pessoa senão Moriyama, a ex-pilota que havia “desaparecido”. A verdade é que a Tenente-Coronel Kakiyasu a convidou para a exibição porque ela queria conhecer Hisone, a nova pilota. E ela não exatamente fugiu (bom, ela foi embora sem avisar), quero dizer, não é que ela não quisesse mais pilotar, mas sim que o próprio Masotan parou de aceitá-la. Isso tudo foi há três anos, e ela tem um filho de três anos (e o pai parece ter formado um triângulo amoroso com as duas mulheres), então eu vou chutar aqui que o Masotan deixou de aceitá-la porque percebeu que ela estava grávida – talvez antes dela mesma saber.

O reencontro entre Masotan (“Oscar”) e Moriyama

Enfim, agora é a vez da Hisone cobrar responsabilidade dos outros! Primeiro ela cobra da Moriyama: ela era a pilota antes dela, afinal, se não tivesse ido embora da base seria provavelmente a melhor pessoa para ensiná-la sobre o Masotan, e é exatamente isso que ela quer aprender. Não que ela tenha precisado de qualquer lição: Masotan a engoliu enquanto ela cobrava de sua veterana. Mesmo assim o dragão vacilou de novo quando ficou cara a cara com a multidão, e daí Hisone cobrou a responsabilidade dele: se tivesse conseguido explicar para ela que o caça estava com problemas no motor isso poderia ter sido consertado há dias e eles não estariam ali agora. Então ele tem que voar!

Bom, ele tem que voar. Mas não por esse tipo de “responsabilidade”. O que é importante de verdade não é o senso de obrigação, a Hisone sabe disso. No final de mais um de seus longos falatórios, ela diz: Voe por mim! Mais importante que a obrigação, portanto, é o vínculo pessoal. Voe, Masotan, não porque tem de voar, mas porque a Hisone precisa disso. O que há entre os dois, afinal? Qual o tipo de laço que os une? É o suficiente para que ele faça por ela coisas que ele preferiria não fazer? Ora, ele já havia respondido essa pergunta quando a Hisone pediu para a Moriyama que a “ensinasse” a fazer o Masotan engoli-la e ele engoliu sem que Moriyama precisasse ensinar nada.

Uma subtrama do episódio é como todo mundo na base tem um apelido. A Hisone é orientada a escolher um para si, já que normalmente quem escolhe os apelidos são os veteranos para seus novatos, mas a veterana da Hisone, a Moriyama, não está mais lá. No final, Hisone pede a ela que escolha seu apelido também. E ela escolhe: Hisone. Seu apelido é seu nome. Ela não precisa de um apelido para se esconder atrás dele. Hisone, sempre super sincera, é apenas Hisone. A garota e seu dragão tratarão um ao outro pelos seus nomes próprios – a Moriyama não sabia o nome verdadeiro do Masotan e o chamava de Oscar. Relação mais honesta é impossível: Hisone e Masotan.

Decolando!

  1. Este episódio 3 de Hisone To Masotan foi bom.
    Gostei bastante da introdução da piloto anterior do Masotan, a Moriyama é muito simpática e passa um sentimento maternal muito bom (espero que ela apareça, pelo menos mais uma vez). A tua teoria, do porquê do Masotan (Oscar, como a Moriyama o chamava), ter rejeitado a Moriyama é bastante plausível. Isto porque muitos animais domésticos (como o cão, gato e até mesmo cavalos), sabem ou pressentem quando a sua dona está grávida. O Masotan, como bem referiste no artigo, ele deve ter pressentido que a sua piloto estava grávida, muito antes da mesma se dar conta disso.
    Ainda na Moriyama, achei muito bonito o reencontro dela, com o Masotan, foi como magia (a Hisone ainda está longe, de tal controle exímio que a Moriyama tem sobre o Masotan).
    Aquela parte, depois da abertura, onde o Masotan, olha seriamente para o caça que está ao lado dele e percebe que algo de errado se passa, pode ser um sinal, que os dragões pressentem as situações de perigo.
    A parte do Hangar, foi muito boa, o dragão tinha que ter um pouco de desenvolvimento (que foi feito de boa maneira). Quem diria, que uma criatura lendária, como o Masotan, tivesse fobia de multidões (este anime é só surpresas).
    A parte da demonstração, das habilidades da Hisone e do seu parceiro Masotan, na parte final do episódio, foi muito boa. De um lado um dragão que tem fobia de multidões e do outro uma piloto que diz tudo o que pensa, o que poderia dar mal, naquela situação. A única dúvida que tenho, é se o traje da Hisone, suporta como deve ser, a força G, é que ela, dentro da barriga do Dragão, tem momentos que parece que vai ser chocalhada até à morte (na parte da demonstração, o boneco da Nao, desfez-se todo, com a turbulência).
    Por falar na Nao, desconfio que ela até ao final do anime, se tornará uma espécie de irmã, mais velha para a Hisone.
    A única coisa, que me fez, não dar nota 5 para este episódio, foi o facto, nos últimos dois minutos do episódio, ver a Moriyama e a senpai dela, a conversarem sobre um suposto triângulo amoroso (eu vejo este anime, por causa do tema sci-fi, militar, fantasia e não pelo romance).
    Espero que o anime se mantenha focado apenas na sua proposta, e não a acrescentar coisas desnecessárias (quantos episódios, achas que terá Hisone to Masotan, Fábio?).
    Antes de terminar, as animações dos F-15 Eagle, estão cada vez melhores neste anime.
    Como sempre, mais um excelente artigo, de Hisone to Masotan Fábio.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Já assistiu os episódios mais recentes? A coisa está ameaçando ficar sinistra. As pilotas parecem ser como mikos – e aí faz sentido que elas tenham que ser virgens, e faz sentido que o Masotan tenha passado a rejeitar a Moriyama. Não acho que o anime vai ficar realmente sinistro, mas o paralelo com as mikos não é nem um pouco sutil.

      Mas apesar de não ser mais sua parceira adequada, o dragão ainda ama sua ex-pilota. Foi muito divertido assistir as reações dele ao nome dela e o reencontro deles.

      Quanto às forças de aceleração, bom, acho que o anime não se preocupa muito com isso, mas de todo modo, ela está dentro do estômago dele, deve ser um lugar bastante “fofo” e que pode mudar de forma para protegê-la conforme necessário =D

      Da Nao ainda não sei o que esperar. Ela é um coringa, uma pilota que não pilota. A Hisone claramente já a tem em alta conta, do jeito desastrado dela, lógico. Acho que ela vai ter grande importância em algum arco posterior ainda, e isso pode ou não ter a ver com sua mãe.

      O “triângulo amoroso” não me incomodou. É só um detalhe do passado que nem afeta mais as personagens.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

      • Eu ainda só vi até ao episódio 4 (que acabei agora de comentar o teu artigo sobre ele).
        Mas faz bastante sentido, isso que disseste, do facto das piloto serem um tipo de miko e que provavelmente têm que ser virgens para pilotar os dragões. Outra das hipóteses que coloco, é que o Masotan começou a rejeitar a Moriyama, porque não queria magoar a vida dentro dela, já que a força G, na hora de pilotar um dragão é imensa.
        A Nao, com sorte, será uma boa personagem de suporte.

Discussão