E aqui vamos nós com o último episódio que fecha a saga de Nanashi e suas maldições. Por todo o anime, sabia que tinha uma razão por ele escolher a Mana para ser o receptáculo de seus poderes, e foi explicado rapidamente, porém clareou o que precisava saber: uma de suas ancestrais deu à luz ao próprio Nanashi.

Mas é claro que tiveram que enrolar episódios suficientes para que tudo fosse explicado da maneira mais sucinta possível. Por ser um anime episódico, dificilmente um episódio teria a ver com o outro, porém se não assistir todos, você fica boiando sem saber porquê esta parte do anime terminou assim.

E mais: importantíssimo assistir o anime para saber sobre as tretas envolvendo os youkais orientais e ocidentais, embora seja uma saga pequena, às vezes envolvendo episódios nada a ver com o contexto, mas com personagens novos e carismáticos.

Mas vamos ao episódio em si. Nanashi teve “infância, adolescência, fase adulta e velhice” muito difíceis, sem nem mesmo saber o que é amor. Por viver sob a intriga entre humanos e youkais de outrora, pensava que o ódio era o que comandava tudo e todos, mesmo que, no fundo, soubesse que não era verdade.

O que acontece é que ele queria que todos sentissem o seu sofrimento, e logicamente que Mana seria a fonte principal de tudo. Eu deveria dizer que Nanashi nasceu basicamente da mesma forma que Kitarou: através da mãe morta. Sem proteção e cuidados necessários, a criatura sem nome preferiu proferir a sua destruição, ao contrário do protagonista, que pelo menos tem um pai para lhe guiar e instruir do que é certo e do que é errado, apesar dele ser só um olho.

Nanashi nasceu através do sangue derramado pelos pais.

Logicamente que a fúria de Nanashi foi distribuída por toda a cidade, e o que ele passou antigamente voltou a acontecer “atualmente”. Mana sentiu a força da culpa e do sofrimento por duas razões: por ter matado a sua querida amiga, Nekomusume, e pela gata ter “matado” a sua mãe (porque sei que Nanashi manipulou a mente da menina para que ela liberasse todo o seu ódio e tudo o mais).

Ao saber dos verdadeiros motivos de Nanashi ser esse monstro e ter virado um recém-nascido (isso porque finalmente resgatou toda a infância que nunca tinha tido por causa das maldições acumuladas em Mana), a menina utilizou de todo o seu amor e compaixão para pará-lo.

Nanashi e sua forma odiosa.

O que ele precisava mesmo era de alguém que se importasse com ele, que o protegesse e lhe desse um nome. Mana deu um nome que não sei qual é, porque eu não sei fazer leitura labial em japonês, muito menos quando a leitura em questão é de um anime, porém todo o afeto dado fez com que Nanashi tivesse paz interior o suficiente para sucumbir e ir embora para sempre.

Acontecido isso, Mana soube de uma maneira inusitada, que Nekomusume tinha voltado… Mas como criança. Agora acredito que a humana seja mais vista como mãe que como amiga. Mas e quanto ao amor que ela sentia pelo Kitarou? Acredito que ainda não tenha mudado, mas será que daqui para frente vai continuar mesmo ou vai vê-lo como um pai, por exemplo?

Que graça!

 

O sermão de Nezumi Otoko

Eu pensei que esta hora nunca chegaria, porque esse personagem não vale nem um fio de ramen que ele come, mas Nezumi Otoko dando sermão no Kitarou deprimido foi tão surpreendente que tive que separar uma parte só para este feito.

Enquanto Kitarou tinha perdido todas as esperanças, o Homem Rato não perdeu a oportunidade de enforcar e escorraçar o protagonista. Demorou menos tempo que eu imaginava para a moeda cair, mas foi ótimo para que Kitarou voltasse a ficar de pé. Quem diria que alguém que ninguém gosta faria isso por ele, não é mesmo?

Estou me perguntando até agora o que aconteceu.

 

Muito obrigada por lerem este artigo até aqui, e nos vemos no próximo, em nova versão! o/

 

  1. Avatar

    Foi uma conclusão desta primeira etapa do anime e dá pra dizer que teve momentos bem interessantes, seja pelas origens do Nanashi; indo ao discurso do Nezumi Otoko, mostrando que no fundo, no fundo ele é do bem quando quer e a nossa querida Nekomusume virar uma menininha, na verdade, o visual original da personagem é mais infantil, bom que deram uma revigorada a personagem nesta versão 2018. E sim, ela está uma gracinha, até melhor que o original da mesma, mais vívida.
    Reafirmando uma verdade: “Gegege no Kitarou” conseguiu surpreender e ansiosa para a sua sequência, que promete. E grata pelas suas análises até o momento, ficava animada de poder conferir e ler suas postagens sobre o anime. Valeu por tudo e nos vemos por aí: até a próxima!!!

    • Tamao-chan

      Olá, Escritora! Muito obrigada pelo comentário.
      “Na verdade, o visual original da personagem é mais infantil”, sim! Nas outras versões, Nekomusume é uma garotinha, e como é uma versão mais atual, quiseram fazer com que ela fosse ainda mais madura.
      Também estou ansiosa pela sequência, e tentarei fazer os artigos em formato novo. Espero que goste e continue comentando.
      Eu me lembro que você me perguntou sobre Karakuri Circus, e devo dizer que o anime me deixou com raiva algumas vezes por estar muito corrido, e de corrido mesmo já bastava a versão nova de Soul Hunter que me chateou bastante, e resolvi parar de assistir os dois.
      Enfim, trarei artigos novos de “Gegege no Kitarou” apenas uma vez por mês agora, e será bem melhor de fazer análises, creio eu.
      Até a próxima! 🙂

Comentários