O arco de treinamento de Kimetsu no Yaiba nos mostra um Tanjiro esforçado e que passa por muitas adversidades antes de conseguir fazer algo. O protagonista em formação, que no início era um garoto, dá os primeiros passos para se tornar um homem ao ser capaz de cortar os obstáculos postos em seu caminho. Clichês bem trabalhados também movem corações, não é? É hora de Kimetsu no Anime21!

O Esquadrão de Executores.

Apesar de seu início mais didático, logo o episódio engrena ao retratar o difícil treinamento pelo qual Tanjiro tem que passar para se tornar um Espadachim Executor. Algumas das informações dadas não são mais novidade para o público, e outras só contextualizaram a natureza do ofício de exterminador de onis.

Mas o que marcou a primeira metade do episódio certamente foi seu tom cômico, ainda que tenha sido um pouco balanceado pelo que rola com a Nezuko e preocupa Tanjiro, o que me agradou em um primeiro momento e depois não tanto porque se repetiu demais.

Em todo caso, eu não posso negar que foi uma boa ideia, já que mostrou que Kimetsu é capaz de transitar bem pela comédia sem descaracterizar o drama. O treinamento foi bem divertido, mas não interferiu na seriedade da trama!

Tanjiro já era!?

Contudo, nem tudo são flores em Kimetsu e a Nezuko adormecer profundamente por um período de tempo tão longo e que compreendeu o treinamento do irmão foi uma conveniência incômoda sim, o que poderia ter sido facilmente evitado se tivessem sacado de algum método para fazer a garota oni cair no sono e não causar problemas nesse período de tempo.

Se era para ser conveniente que fosse feito de uma forma menos gratuita, com alguma explicação. Podem tentar justificar posteriormente, verdade, mas não acho que isso invalide a crítica negativa que faço a tal opção. Que ela não causaria problemas para facilitar e agilizar esse trecho era até de se esperar, só incomoda tanta conveniência.

Nezuko Adormecida.

Por outro lado, o treinamento evolui de maneira divertida, seja pelas dificuldades do Tanjiro ou pelas observações dele acerca do que está fazendo, em parte postas em palavras no diário que ele escreve para a irmã. Vemos a passagem do tempo e uma esperada melhora, ainda que nada tão diferente do comum possa ser percebido na condição física e mental do garoto.

A explicação para a respiração ser importante para extrair o máximo do potencial de um corpo humano não explora o misticismo que o público já deveria estar esperando, mas não acho que isso seja exatamente ruim, pelo menos porque a respiração em concentração total não descarta outros tipos de forças sobrenaturais, apenas é uma base que tenta se aproximar do que seria uma justificativa plausível na realidade.

Não o é ainda com certo sentido, mas também não é uma falha miserável enquanto justificativa. O importante é que as outras habilidades que surjam na história sejam mais compatíveis com os poderes do inimigo que se deve combater com elas. Aí sim o misticismo, o sobrenatural, até a espiritualidade, deve ter espaço!

O desafio mor do Arco de Treinamento.

A segunda metade do episódio já foi um pouco melhor ao apresentar dois novos personagens. Sabito e Makomo, dupla que apadrinhou o garoto por ele estar na mesma posição em que eles já estiveram. É bacana ver esse companheirismo entre Espadachins Executores, até porque sem essa ajudinha não vejo como ele teria conseguido polir sua técnica de espada, e nem como teria dado a devida atenção à técnica de respiração.

Ser desafiado a amadurecer da meninice e alcançar a vida adulta era o que o nosso herói precisava. O treinamento com Urokodaki serviu para polir os fundamentos, mas de resto ele precisaria se esforçar sozinho. Deu sorte de ter senpais prestativos que o observavam de perto na esperança de conseguir moldá-lo em homem.

Mas o sucesso, como sempre, depende do esforço que o indivíduo deposita no que faz e, claro, de circunstâncias favoráveis. Às vezes depende mais de um e às vezes depende mais do outro. Nesse caso acho que ficou equilibrado e, apesar de breves, as cenas de ação foram muito bem animadas e recompensantes dentro daquilo que o episódio se propôs.

Não vou elogiar a parte técnica do anime sempre, se fizer isso acabarei sendo repetitivo demais, mas sem esse apelo de forma, momentos mais simples, ainda que coerentes, não teriam o mesmo apelo, não é mesmo?

Por fim, Tanjiro consegue cortar a rocha, não porque desvendou um poder sobrenatural dos mais poderosos ou porque treinou até desenvolver força sobre-humana, mas porque amadureceu ao ponto de ser capaz de compreender a importância da jornada, do que precisava fazer para ser capaz!

Eu sei que ele só cortou a rocha porque superou o limite humano, mas o trecho final foi mais poético que literal, foi mais uma resposta a todo o seu empenho no período daqueles dois anos que qualquer representação literal de um poder especial.

Os cabelos crescidos não foram apenas para mostrar que ele estava mais velho, mas para simbolizar que a concentração em seu objetivo era tanta que ele não dedicava mais tempo a sua aparência.

O jovem ficou absorto em treinar e treinar e treinar e apanhar, mas se reerguer sempre que caía, pois só assim é que conseguiria desenvolver suas forças, só com os fracassos que seria capaz de alcançar o sucesso. O que é a vida senão isso? Claro, tendo as condições favoráveis que ele possuía.

Gostei dos dois, mas principalmente dela que é uma fofa! ❤

E não posso deixar de frisar algo que me agrada muito em Kimetsu, que é a forma que o Tanjiro encara a vida mesmo depois da desgraça que dizimou a família dele. Ele não dá a entender que quer lutar contra onis por ódio, por vingança, mas sim por querer fazer a irmã voltar a ser humana, principalmente e primeiramente por isso.

Ele com certeza nutre sentimentos negativos pelo oni que exterminou sua família e transformou a irmã, e deve enfrentá-lo alguma hora, mas eu duvido que a vingança é que esteja o movendo enquanto o envenena.

Não foi o que deixou transparecer até agora e isso é legal, porque se fosse diferente até os momentos cômicos pareceriam menos críveis. O anime é coerente ao explorar esse aspecto, porque não é uma obra dark erguida a sentimentos ruins que não dão espaço para a felicidade.

Você gostou do novo visual do Tanjiro? Seria uma pena se…

O Tanjiro quer ser feliz sim, quer dar tudo do bom e do melhor à irmã, única família que lhe restou, então a jornada dele será moldada pelas lágrimas, mas também pelos sorrisos; como o que dei após ter visto um episódio bom, apesar de ter tido lá os seus defeitos.

Kimetsu no Yaiba continua sendo uma ótima pedida de battle shonen da temporada. Coerente, bem produzido e bem escrito. Não perfeito, longe disso, mas com falhas bem aceitáveis. O que o próximo episódio nos reserva? Um teste ainda mais complicado que cortar uma rocha pelo caminho? Até lá!

E no meio do caminho não tinha mais…

  1. Avatar

    Kimetsu no Yaiba nos entrega mais um bom episódio, que mostra como a direção está conseguindo melhorar tanto o manga na adaptação, nesse arco do treinamento tivemos cenas originais que só vieram a melhorar as explicações, Tivermos boas informações da organização, e seus membros que lutam contra os demônio, ótima escolha fizeram do Tanjirou escrevendo realmente no diário todos os detalhes e explicações do treinamento assim soubemos exatamente o tempo que passou..e entendemos mais das técnicas de respiração ensinadas pelo Urokodaki

    O timing dá comédia esta certinho ta me fazendo rir mais, ta dando diferencial ao todo o treinamento, e o que falar das cenas adicionais nessa luta entre Tanjirou x Sabito. Que luta linda, com efeitos e impactos nos golpes, coreografia ficou linda e melhor que no mangá. Parabéns ao Masayuki Kunihiro por esses cortes. E a trilha sonora continua impecável..as jogadas de câmera e os movimentos ótimos.

    O próximo episódio começa a seleção final do exame, espero que tenha mais cenas originais e que deem um tratamento, melhor a história de Makoto e Sabito que e muito bonita..

Comentários