Tohru sempre foi uma menina que não leva desaforo para casa. Prendada que só ela, não vê motivos para reclamar de sua vida, enquanto muitos sentem vontade de se aproveitar dela de alguma maneira, embora não perceba.

Desde criança, Tohru é alvo de meninos da escola. Logicamente, depois que cresceu, isso diminuiu, mas acredito que seja por causa de suas amizades que os outros pensam ser incomuns (uma “paranormal” e uma delinquente), mas também pode ter sido porque a autora não quis mostrar mais sofrimento na vida da garota.

Fruits Basket é uma brincadeira em que cada criança recebe o nome de uma fruta, e toda vez que o nome da fruta é chamada, a criança troca de lugar. É uma espécie de “dança das cadeiras”, mas ninguém fica sem lugar. Ou era para ser assim, já que Tohru foi escolhida para ser o bolinho de arroz da cesta de frutas, e todos sabem que não existe lugar para um bolinho de arroz em uma cesta de frutas.

Algum tempo depois, surgiu Kyou na vida da garota, que sofre desde criança de um problema parecido, só que ao invés de se sentir excluído por causa de uma brincadeira conhecida, ele é excluído porque não faz parte dos 12 signos do horóscopo chinês.

Claro que Tohru compadeceu com a história fictícia, porém super conhecida no Japão (e por quem acompanha muitos animes que possuem o mesmo tema), e quis mudar para o signo do gato. Como Kyou sempre foi muito rebaixado por alguns membros da família Souma e sempre se sentiu sozinho de alguma forma, se sentiu feliz quando soube sobre isso.

E apesar de Tohru ter sido bastante judiada dos meninos quando era criança, ainda continuou sorrindo e não se fazendo de vítima. Ainda mais quando a sua mãe morreu e ela teve que se sentir forte para que não sucumbisse.

Tohru é forte até mesmo quando estava doente.

E ela tentou permanecer forte até mesmo quando foi para a casa do avô, onde ainda está em fase de construção, porém dentro dela estava com os cômodos prontos. O maior problema disso tudo é que a família a viu como uma parasita, e não queria que os Honda sofressem represália ou alguma coisa parecida da sociedade.

Realmente senti nojo quando a confundiram com alguém indecente por terem descoberto que ela morava com homens, e a tratarem daquele jeito sem saber como ela estava vivendo foi algo horrível. Tanto que o avô de Tohru percebeu como o clima estava pesado e deu um tapão na cara do neto.

O futuro policial fez uma cara tão nojenta quando perguntou se os meninos estavam fazendo algo de indecente com ela que o avô teve que dar um tapão para ele parar de falar.

Tohru sempre acaba relembrando da época em que sua mãe estava viva, e lhe deu um conselho importante: “está bem se sentir desencorajada e ser egoísta de vez em quando”. A decisão mais importante de sua vida foi tomada neste episódio, quando ela resolveu ficar na casa dos Souma.

Um pouco depois de Kyou ter dito coisas parecidas que a mãe de Tohru já lhe disse.

A parte mais bonita é quando os meninos voltam com ela de mãos dadas para casa, e dessa maneira, ela finalmente se sentiu incluída nessa Cesta de Frutas que é a sua nova família, a Família Souma. Não apenas isso, mas parece que Kyou e Yuki ficaram unidos de certa forma ao segurarem as mãos menina, um de cada lado.

Quando Tohru finalmente se sentiu aceita, tanto no presente, quando no passado.

Claro que neste episódio também mostra que o triângulo amoroso tem sido cada vez mais óbvio, e Tohru se sentiu tão feliz que nem notou qualquer sentimento da parte de um dos meninos.

Muito obrigada por ler este artigo até o fim, e nos vemos no próximo! o/

  1. Avatar

    Gostei de ver que você está acompanhado Furuba e compartilhando sua opinião sobre o anime no blog.
    Sobre o anime, só posso dizer que gostei do ep 5, e que diferente da primeira versão, que mostrou um triângulo amoroso mais “tímido”, essa nova adaptação, ganha pontos não somente por ser visualmente mais bela, como também por trazer mais intensidade para Kyo e Yuki, mostrando o desenvolvimento de seus sentimentos por Tohru. Enfim, estou ansiosa pelos próximos episódios, assim como vou continuar acompanhado suas postagens.
    Até!

  2. Avatar

    Eu não gostei de episódio 5 da nova versão. Essa “timidez” é importante justamente porque ainda estamos no início. Eu ouvi muitas críticas sobre como tudo está sendo muito prematuro, porque nesta nova versão a parte amorosa está mais avançada do que na antiga, e mais avançada do que deveria. Mas o que realmente estraga este episódio é a cena do ponto de vista dos Souma da discussão na casa do avô da Tohru. Realmente havia a necessidade de mostrar duas vezes a mesma conversa? Na versão antiga a forma como foi lidado isto foi bem melhor.

Comentários