Todos nós temos segredos, mas qual segredo você quer esconder dos outros? Hozuki tem uma vida difícil por causa da família, e Kurusu por causa de amigos que traíram a sua confiança. Ambas escondem as suas dificuldades no fundo de suas almas, o que às vezes as tornam totalmente complicadas.

Kudou e Kurata também têm uma vida difícil. Assim como Hozuki, Takezou tem uma família que não o aceita, e Chika tem pessoas que o aceitam, mas depois de saberem que, na verdade, ele não é uma pessoa que quer fazer mal às outras.

O que foi mostrado neste episódio é que não se deve julgar os outros antes de conhecê-los, muito menos tirar conclusões precipitadas por causa da forma que se enxerga as coisas.

O sexto episódio terminou com Kudou descobrindo onde Hozuki mora. Claro que ele ficou surpreso, já que a menina vem de uma família de elite. Apesar desse fato, Chika não a julgou. Não falou nada de onde ela mora (só depois dela ter perguntado) e não meteu o bedelho nas coisas que ela faz. A única coisa que conseguiu fazer foi pegar um DVD de uma apresentação de Koto que Hozuki participou.

E essa música esconde um peso tão grande que até fez com que Kudou chorasse. Tudo o que ela queria era se comunicar com a sua mãe, que se tornou uma tirana após críticas das pessoas que mais amava e conhecia. Após a morte de seu marido/do pai da Hozuki, sua vida nunca mais foi a mesma.

Se a mensagem chegou até Kudou, será que chegou ao pai de Hozuki também? Porque até a sua mãe não chegou.

Todo o peso que as críticas carregavam pairavam sobre os seus ombros e tudo o que ela podia fazer era descontar na sua filha, que as outras pessoas chamavam/chamam de gênio do koto. Ela podia criar trezentas músicas que a sua mãe jamais dava folga. A garota não podia parar de praticar, se não sofreria represálias.

Até que decidiu fazer as coisas por si mesma e sua mãe a excomungou da família. Como Kurusu só soube da história do ponto de vista da sua avó, pensou que Hozuki não tinha lugar para tocar koto, e por isso foi para um colégio que não é focado na arte da música.

Quando a sua mãe a pôs para fora de casa por se recusar a treinar e a ir no colégio que ela queria.

E como Kurusu nunca teve amigos de verdade, depois que todos entenderam o que aconteceu com Hozuki, e Kurata a agradeceu por ter contado, Hiro correu e chorou de raiva que estava. Como entender uma amizade tão bonita quanto aquela se ela mesma nunca experimentou nada igual? Como viver sem ser traída, já que se acostumou com as pessoas se afastando dela?

Kurusu, na verdade, não estava sendo malvada porque queria de verdade, mas porque seu passado a coagiu a isso. Ela pensou que seria mais prático que as outras pessoas sentissem o mesmo que ela sentiu, sofressem o que sofreu por ter perdido o namorado para a sua “amiga”. Estragar a amizade dos outros se tornou uma atividade cotidiana e divertida para ela, para não cair na mesmice de uma vida sem graça.

Amizade vista de longe.

Assim como Kudou sentiu uma vez, Kurusu queria sentir a adrenalina correr em seu sangue em troca de um pouco de diversão às custas dos outros. Mas ao final, ela entendeu que a situação entre ela e Hozuki era a mesma: que a diversão está em coisas que mal imaginamos. Sawaka pensava em koto como um castigo, e Hiro pensava que não conseguiria chegar lá, até que conheceu as pessoas que convivem naquele grupo e resolveu se juntar.

Kurusu não é uma pessoa má, ela só teve um passado complicado e aquilo a fez se tornar amarga. Ela melhorará daqui para frente, mas a primeira impressão, muitas vezes, é a que fica.

Apesar de fazer o que fez, ela foi aceita de volta.

Muito obrigada por ler este artigo até o final, e nos vemos no próximo! o/

  1. Avatar

    Tamao-chan que prazer em ve-la de novo por aqui!!! Tô acompanhando com bastante interesse KOT….E a Kurusu é aquela vilãzinha que todo mundo gosta! Abçus!

Comentários