Alguma vez você já pensou em uma abordagem diferente sobre vampiros? Digo, na maioria das mídias, vampiros são retratados como “vilões” que tomam sangue, mas Devils Line aborda essas criaturas de forma extremamente diferente. Neste anime, os vampiros são mais associados com usuários de drogas, quando o viciado sente falta ele vai atrás de droga, e alguns não medem esforços para isso; e da mesma forma são os vampiros aqui! A retratação deles é algo tão interessante que te faz olha-los com outros olhos, mais como vítimas e menos como vilões.

“Uma colegial é salva por um meio-vampiro que trabalha para a polícia. Agora ele deve protege-la enquanto sofre para manter sua regra pessoal de nunca beber sangue humano.” – Pela sinopse não é exatamente algo diferente nem nada do tipo, mas é uma abordagem sutil, violenta e talvez mais “humana” do que muita coisa que há por aí, então, creio que valha a pena dar uma chance para este anime.

Os personagens apresentados neste primeiro episódio são “ok”, visto que o episódio em si se preocupou mais em apresentar sua abordagem sobre o tema do que exatamente apresentar mais eles, no entanto, ainda assim podemos ter um vislumbre de como a protagonista feminina é e mais ou menos como o protagonista masculino pode vir a ser, afinal, por mais que ele seja um “mocinho” ainda é metade vampiro, e com isso, ainda tem seus anseios por sangue.

Apenas agindo por instinto.

A animação não está tão boa, mas não é como se fosse a pior coisa do mundo, apenas acho que há partes bem animadas e partes que deixa muito a desejar. Por outro lado, a trilha sonora me agradou, tanto na abertura, encerramento e momentos tensos do episódio, ela consegue passar uma atmosfera bacana. O design de personagens não é nada novo, ele apenas é genérico e simples, mas é um ponto cinza do anime.

A atmosfera que este episódio conseguiu passar é extremamente efetiva para o tipo de história que ele se propõe a contar, e isso é um ponto bastante alto e eficiente para nós, espectadores. Esta atmosfera que ele passa é exatamente a mesma que senti no mangá – acabei lendo alguns capítulos para decidir se queria ou não ver o anime, e a resposta foi positiva. Espero que não me decepcione.

Aquele final do episódio ainda é completado no fim do primeiro capítulo do mangá, mas creio que no anime ficou melhor por ter a quebra. Agora você pode ficar uma semana inteira esperando para ver o que vai acontecer. Bom, é meio difícil eu falar sobre isso pois li o primeiro capítulo do mangá e sei o que acontece a seguir, mas acho que deve ter funcionado para quem não conhece o mangá.

Então, o que você acha da abordagem que o anime promete trazer para esta criatura já tão explorada em diversas mídias? Acha que pode ser interessante acompanhar? Nos vemos em breve.

  1. Gosto da temática com vampiros, mais pro romance e comédia como kore wa zombie desu ka onde tinha duas vampiras apaixonadas pelo protagonista que era um zumbi mahou shoujo, tudo a ver né? agora nesse, parece ser um harém reverso e não curto haréns reverso, só o tradicional mesmo como em DxD herói! mais pra quem vai assistir o anime, vai fundo!

  2. Eu pessoalmente gostei muito do anime, terminei ele hoje e estava buscando algo na internet que disesse “vai ter uma segunda temporada”, pois no final nada aconteceu com o Kikuhara e o esquadrão F se deu mal. Pensei que haveria um encontro do Yuki com o Tamaki, que haveria mais uma treta e conseguissem desmascarar o Kikuhara e colocar ele atrás das grades, ou a sete palmos de terra. O final me decepcionou um pouco, mas para quem viu o pós crédito sabe que ao menos tudo acabou bem na medida do possível no final.

Comentários