“Em Hokkaido, nas terras do extremo norte do Japão, Sugimoto sobreviver à guerra Russo-japonesa. Apelidado de Sugimoto Imortal durante a guerra, ele agora procura as riquezas prometida pela corrida do ouro, na esperança de salvar a esposa de seu falecido companheiro de guerra. Durante sua jornada, ele descobre sobre um estoque enorme de ouro escondido por um criminoso. Atrás de uma parceria com uma garota da tribo Ainu (garota que teve seu pai morto, e agora busca vingança), que salva sua vida, ele luta contra criminosos, militares, e a própria natureza para encontrar o tesouro.” Realmente gosto de obras com guerras e coisas do tipo, então, Golden Kamuy parece ser um prato cheio para mim.

Admito que fiquei com um pé atrás quando soube que o responsável por Golden Kamuy seria o Geno Studio, mas resolvi ver para ter certeza. Não é como se estivesse perfeito, mas com algumas ressalvas, ele está bonito e parece promissor. Já ouvi muito que o mangá é bastante famoso no Japão, mas como o anime estaria para estrear, eu escolhi esperar, e devo dizer que eu estou me segurando para não ir para o mangá neste exato momento.

A única reclamação que tenho para fazer sobre a parte técnica do episódio são os ursos! Nossa, que coisa feia. Eles fizeram um CG tão porco que os animais ficam em destaque, mas não é um destaque legal, pelo contrário, é horrível! O lobo ficou bem legal, mas os dois ursos maiores ficam horríveis! No mais, gostei da animação, que está bastante ok, e a trilha sonora me parece promissora, justamente por ajudar onde ela tem que ajudar, dando ênfase nas cenas.

Os personagens me cativaram muito, pois você consegue entender a motivação de cada um deles, e consegue se importar mesmo que minimamente, evidentemente por ser apenas um primeiro episódio. Apesar do pouco tempo, ele consegue apresentar bem seu conceito e como ele vai trabalhar.

É extremamente empolgante ver o Sugimoto (o Imortal, sempre bom reafirmar como ele mesmo faz) lutando e mostrando quem ele é e do que ele está atrás, o que convenhamos, é um objetivo muito humano e nobre.

Espero que o Geno Studio não perca a mão como aconteceu com Kokkoku do meio para o fim. Vamos torcer para que eles mantenham a qualidade geral apresentada aqui, e claro, melhorem na parte dos ursos! Sério, espero que não tenham mais ursos, pelo menos não do jeito que foram feitos neste episódio.

  1. Amei a estreia de armadura de ouro, um anime de aventura com pegada seinen, gostei demais da lolizinha fofinha Asirpa-chan e o guerreiro Sugimoto, os dois vão formar uma ótima dupla nessa caçada ao tesouro, vai ser uma aventura muito divertida e adorei a animação fluída e uso de CGI, trilha sonora e roteiro, estão todos de parabéns e desejo que tenham mais cenas com feras selvagens em todos os episódios. Vamos caçar o tesouro junto com Asirpa-chan e sugimoto:

  2. Senhoras e Senhores…Este É o anime a acompanhar tem história tem conteúdo tem tudo que um fã de uma boa história precisa…Fica o registro do povo Ainu (como explicado por um japa são os eskimós do Japão, mas na verdade são da mesma forma tratados como nós brasileiros tratamos os indios) que faz justiça a ele na guerra russo-japonesa de 1904.

    • Agora é só torcer para que o Geno Studio não estrague a boa história que o mangá tem.
      É uma comparação bem simples, e didática para nós brasileiros. Fica mais fácil entender o povo quando assemelhado com algo que nós conhecemos bem (índios).
      Obrigado pelo comentário! Até a próxima.

    • James me esclareça uma dúvida, eu sei que o povo Ainu sempre foi um pouco descriminado desde dos tempos imemoriais da história do Japão, mas eles eram mais discriminados do que os burakumin? Eu sei que desde da idade média japonesa, os burakunin eram uma casta de indigentes, que viviam em guetos e ficavam sempre com os trabalhos menos honrosos (tratar dos cadáveres, fazer covas e cremações etc).
      James o que achou da cena da batalha entre as forças russas e as japonesas?

      • Fábio "Mexicano" Godoy

        Acho que a diferença importante aqui é que os ainu são um povo de fato, uma sociedade completa, com uma estrutura de poder própria, divisão de trabalho, cultura, etc. Burakumin são apenas uma casta da sociedade japonesa (ou, para ser mais específico, já que estamos falando dos ainu, da sociedade yamato). No Japão como em diversas outras culturas no mundo, aqueles que trabalham com tarefas consideradas “sujas” (quem trabalha com cadáveres, lixo, etc) foram ostracizados – e no Japão esses são os burakumin.

        Então são coisas diferentes: burakumin são ostracizados por causa do que fazem, enquanto ainu são oprimidos por sua origem. Acho complicado comparar as coisas. Nunca alguma nação irá, sei lá, invadir o lixão para tomá-lo para si e forçar os que ali vivem a se integrarem à sua cultura – eles já estão integrados! E esse é o seu papel! A premissa é ridícula quando colocamos dessa forma. Já os ainu não, eles tiveram sua cultura saqueada, seus lares roubados e foram forçados a se integrar ao resto do Japão. Realmente não se comparam as duas coisas.

      • Obrigado pela explicação Fábio. Eu sempre tive um fascínio pelo povo ainu, desde que vi pela primeira vez um artigo sobre o mesmo numa revista da Nacional Geografic. Pelo pouco que sei, o povo ainu no Japão antigo (lá da altura dos Taira, Minamoto e Fujiwara) sempre foi famoso pelo seu trabalho na cerâmica e na forma como extraia e moldava o minério de ferro e prata. Mais tarde (no final do Xogunato Tokugawa e começo da Era Meiji), o povo ainu situado na zona de Hokkaido e até mesmo nas ilhas Curila e Scalina, começaram a ser oprimidos e roubados (principalmente o ouro, como a menina Ainu disse neste episódio de Golden Kamui) e mais tarde absorvidos pelo resto do Japão. A questão dos burakumin, sempre me fez questionar, que até mesmo um dos países mais cultos do mundo, desde da antiguidade também tem as suas falhas (aqui na Europa na Idade média, as pessoas ostracizadas eram apenas os doentes, os judeus que praticassem a usura e os mouros).
        Fábio, o que achaste da cena da batalha entre as tropas japonesas e as tropas russas? Os russos para um país que estava na banca rota em 1904, não tinha demasiadas metralhadoras pesadas Vickers coladas umas nas outras, nessa parte do episódio (eu achei que os russo estavam demasiado overpower).

      • Fábio "Mexicano" Godoy

        Não achei nada porque não assisti ainda, tô só na correria aqui =D

        De todo modo o Japão também não era exatamente o país mais poderoso do mundo no começo do século 20. Se é como descreve, pode ser que seja um retrato de como os japoneses enxergaram o confronto.

      • O Japão no começo do século XX era poderoso apenas na Ásia e o seu exército já tinha experiência vinda da guerra Sino-Japonesa de 1894-1895.
        Os russos na primeira fase da guerra contra o Japão tinham estado bem, os russos meio que tinham um estereótipo errado soldado japonês (para os russos, os japoneses eram pigmeus que usavam espadas, coisa que não era verdade). Só tenho pena que Golden Kamui, nem nos flashbacks do Sugimoto, vá mostrar um pouco das batalhas navais (onde o Japão fez picadinho das frotas russas). O episódio foi bom, se fechares os olhos para o cg fraco dos ursos e do lobo, o episódio é bom.

Discussão