Este artigo é apenas uma introdução básica sem spoilers.

Kokkoku é a adaptação de um mangá de mesmo nome com autoria de Seita Horie, originalmente publicado entre 2008 e 2014 com um total de 67 capítulos compilados em 8 volumes na revista Morning Two, casa dos conhecidos Saint Oniisan e All Out. A adaptação tem um total de 12 episódios feitos pelo recém fundado Geno Studio.

A trama segue Juri uma jovem de uma família que tem conexão com um mundo misterioso, mundo este que tudo é inerte, exceto claro, as pessoas que possuem os espectros, que são meio que águas-vivas que permitem que o corpo possa se mexer e ter consciência naquele mundo. Logo no início do anime, o irmão Tsubasa e o sobrinho Makoto são sequestrados por uma seita religiosa com fins até então desconhecidos, e a história se desenrola em cima deste ocorrido.

Essa coisa azul jorrando é o espectro. Se fosse vermelho seria sangue LOL.

Kokkoku consegue prender sua atenção principalmente nos primeiros episódios, onde ele vai perguntando mais do que respondendo e você com certeza vai ficar ansioso para descobrir um pouco mais sobre aquilo que está acontecendo. No decorrer do anime você pode ver também que ele fala sobre pessoas, não exatamente explicando e desenvolvendo personagens – que com exceção do vilão e de uma outra personagem, são muito pouco aproveitados em termos de história –, falando sobre consequências dos atos, e nos episódios finais sobre lucidez, renovação de vida e talvez amor materno, te faz refletir um pouco.

Arautos são basicamente os administradores/observadores/talvez policiais do estase.

Aqui as pessoas perdem a lucidez, morrem, tramam contra a vida umas das outras, então, não vá esperando uma obra de aventura e resgate com sobrenatural, pois ele definitivamente não é sobre isso.

Então, é uma boa pedida para quem curte um anime cheio de perguntas e quem sabe, filosófico no sentido mais raso da palavra.

Discussão