Após a vitória na batalha de Astarte, Reinhard Von Lohengramm foi condecorado pelo Kaiser Friedrich IV em cerimonia no palácio imperial com o título de conde, além de ser nomeado Vice-Comandante da Frota Imperial. Em meio as comemorações, membros do exército se dividem entre a inveja e o reconhecimento, comentando o fato de que o jovem almirante ter apenas 20 anos e ser irmão da amante do imperador. Alheio a isso, Siegfried Kircheis relembra os eventos que o levaram até aquele momento quando é abordado por uma figura misteriosa. Mas antes disso tudo, pausa os comerciais, digo, pausa para uma pequena aula de história.

Centenas de anos atrás, a humanidade abandonou o sistema solar e buscou a colonização de novas planetas habitáveis. Era o começo da Era Espacial, marcado pela fundação da Federação Galáctica. Seguiu-se um período de grande prosperidade e desenvolvimento, mas essa era de ouro não durou pra sempre, um período de grandes incertezas e decadência tomou conta da história humana. Foi nesse contexto que um ex-militar e político chamado Rudolf Von Goldenbaum atraiu enorme simpatia com um discurso inflamado e propostas autoritárias. Em meio a maior crise da sua história, Rudolf se elegeu primeiro-ministro da Federação concentrado poderes que nenhum dos seus antecessores jamais conseguiu. Foi então que ele armou um golpe e decretou a abolição da Federação Galáctica e o estabelecimento do Império Galáctico tendo ele como seu monarca absoluto.

Rudolf aboliu a constituição e a democracia e instituiu um sistema de estratificação social com ele e uma pequena nobreza governando sobre o populacho. O alemão foi declarado a língua oficial e a cultura, as leis e os costumes foram moldados da Prússia do século XIX. Houve reação popular a essas medidas, mas as revoltas foram violentamente reprimidas. Era o começo da dinastia Goldenbaum. Centenas de anos após a fundação do Império, um homem chamado Harle Heinessen liderou um movimento que levou centenas de milhares de pessoas a fugirem do território imperial sem que fossem notados. Após descobrirem um planeta habitável, os sobreviventes dessa jornada e seus descendentes fundaram a Aliança dos Planetas Livres numa tentativa de restabelecer os ideais democráticos da Federação Galáctica. Após alguns séculos longe das garras do Império, as duas forças acabaram se encontrando e começaram uma guerra que dura até hoje.

De volta ao banquete de premiação, Kircheis está absorto em seus pensamentos quando é abordado por um homem de expressão sisuda. Seu nome é Paul Von Oberstein, Capitão do Exército Imperial. Oberstein elogia a forma como Reinhard trata seus subordinados, afirmando que nem todos tem a sorte de serem subordinados a superiores de boa índole, não sem antes criticar veladamente as políticas eugenistas da época de Rudolf, algo que poderia lhe valer uma punição severa. Perguntado em qual frota serve, Oberstein responde que foi enviado para atuar na fortaleza de Iserlohn (guardem bem esse nome!). Quando Reinhard se aproxima dos dois, Oberstein se despede, deixando nossos protagonistas curiosos a respeito do que pretendia com essa aproximação esse “enigma ambulante”. Reinhard diz a Kircheis que visitará sua irmã no dia seguinte, insistindo que seu amigo o acompanhe, o que desperta no jovem ruivo das lembranças de como conheceu Reinhard e de como essa amizade o levou e entrar para o exército.

Siegfried Kircheis nasceu numa família plebeia, mas de boas condições financeiras. Um dia, ao sair de casa para ir a escola, ele descobre que uma família de origem nobre se mudou para a casa vizinha a sua. Mais tarde, ele acaba conhecendo um jovem carismático e um tanto arrogante chamado Reinhard Von Musel. Reinhard apresenta a Kircheis sua irmã, Annerose, um jovem alguns anos mais velha que os dois e que provoca uma tímida, porém intensa paixão no jovem Kircheis. Reinhard é matriculado na mesma escola que Kircheis, e a amizade dos dois cresce a cada dia.

A felicidade dos dois novos amigos, porém, é breve. Um dia, ao voltar da escola, Reinhard observa um carro estacionado na porta da casa. Ao perceber que o veículo possui o brasão imperial, Reinhard corre para sua residência e descobre que o seu pai “vendeu” a própria filha para o imperador, que a quis para ser sua concubina oficial. Ao confrontar seu pai, Reinhard é consolado por sua irmã, resignada com o seu destino. Antes de partir, Annerose oferece uma torta de ameixas para Kircheis e pede que ele sempre tome conta do irmão dela. Algum tempo depois, Kircheis descobre que a casa dos Musel foi abandonada, e é surpreendido com a chegada de Reinhard de uniforme militar, que o informa de que ele entrou para uma academia militar e urge que o amigo faça o mesmo. “Vamos pegar a minha irmã de volta”, diz Reinhard.

Na escola de cadetes, Reinhard e Kircheis se empenham ao máximo enquanto observam a maneira como os nobres de famílias mais prestigiosas são tratados de forma diferenciada e como eles se divertem humilhando seus subordinados. O próprio Reinhard, porém, é o tempo todo acusado de ser favorecido pela fato da sua irmã ser a preferida do imperador, embora ninguém tenha coragem de dizer isso em voz alta.

De volta ao tempo presente, os dois amigos visitam Annerose. Aproveitando uma breve ausência de Reinhard, ela e Kircheis conversam sobre o amigo e Annerose pede que “Sieg” nunca o abandone e, sobretudo, nunca deixe que seu orgulho e vaidade o levem para a direção errada. Kircheis então lembra de quando eles conversaram em frente uma estátua de Rudolf logo após a formatura na academia militar. Reinhard se referiu ao fundador da Dinastia Goldenbaum como um “maldito arrogante” e “convencido ambicioso” que, por estar no lugar certo e na hora certa, conseguiu o que ambicionava. E arremata: se ele, Rudolf, conseguiu, será que eu também consigo? Kircheis, a princípio assustado com a inacreditável ambição do seu amigo, logo muda seu semblante e diz que se existe alguém capaz de alcançar o topo do universo, este alguém é Reinhard e mais ninguém.

Se eu tinha algum receio a respeito da qualidade desta nova adaptação, posso dizer que ele foi completamente dissipado com esse episódio. Embora não tenha sido magnífico, o terceiro capítulo de Die Neue These solidificou o ótimo trabalho executado pelo Production IG. A ideia de mostrar a origem do império e da aliança logo no começo foi excelente, oferecendo contexto e informações importantes para o telespectador. A história de Reinhard e de como a cobiça e imoralidade dos Goldenbaum e da casta nobre serviram de combustível para suas ambições foram muito bem executadas. E no meio do fogo cruzado temos Kircheis, o fiel escudeiro, amigo e confidente, um homem que se deixou levar por causa de um amor impossível e de uma amizade improvável. Tecnicamente, a animação dos personagens foi precisa, com vários momentos de bastante expressividade. Destaque também para o bom trabalho de Junichi Suwabe como dublador de Paul Von Oberstein, um substituto a altura para o falecido Kaneto Chiozawa da versão original. Legend of the Galactic Heroes já pode ser considerado um dos melhores animes da temporada, resta apenas saber até onde os próximos nove episódios irão nós levar.

  1. Eu não costumo voltar a trás nas minhas críticas, mas este terceiro episódio do remake de LOGH me fez mudar de opinião.
    Gostei do que o Produciton IG fez no flashback do Reinhard e do Kircheis, ele mostrou apenas o necessário sobre o passado dos dois, sem arrastar o flashback (o production IG, numa questão de minutos, fez o mesmo que os três episódios dedicados ao passado do Reinhard dos ova).
    Outra coisa que gostei, foi o facto do Production IG, ter alterado alguns detalhes na parte em que o Reinhard descobre que o seu pai, vendeu a sua irmã a troco de um punhado de moedas de ouro e prata, o Production IG cortou esse detalhe e fez muito bem, já era revoltante ver um pai vender a filha, se fosse mostrado o dinheiro que ele recebeu, seria ainda mais revoltante.
    Não à como simpatizar com as motivações do Reinhard, ele viu a pessoa mais importante da sua vida, ser separada dele, por causa dos caprichos nojentos de um imperador de uma dinastia mais nojenta ainda. Neste episódio já deu para ter um vislumbre do começo dos planos do Reinhard para se tornar o governante absoluto da galáxia e isso foi muito bom, a minha nostalgia falou bem alto nesse momento.
    Como bem referiste no artigo CrossSylvia, eu também gostei bastante da introdução da história do império Galáctico neste episódio. Numa questão de minutos ficámos a saber quem foi o primeiro Imperador (ditador e déspota) do Império Galáctico, como o Reinhard bem disse para o Kircheis, o Rudolf soube agir no momento certo e se tornou num tirano.
    A Dinastia dos Goldenbaum já começou podre, claro que os que viessem depois do Rudolf seria farinha do mesmo saco.
    A forma como o episódio introduziu a fundação da Aliança dos Planetas Livres foi muito boa também, o design do Ale Heinessen estava muito bom, tal como o pedaço de gelo de dimensões continentais onde o Ale e companhia fugiram do império.
    Passando outra vez ao Reinhard e ao Kircheis, a parte da escola de cadetes, foi muito bem feita e dirigida, serviu perfeitamente como o império está podre, enquanto os filhos dos nobres oligarcas têm todos os benefícios, os outros têm que ir para as frentes do campo de batalha).
    Passando à parte que mais gostei do episódio, o Paul Von Oberstein, está muito bem feito neste remake, desde do design mais sério, à voz do seu seiyuu (como bem escreveste na parte final do artigo, o Junichi Suwabe é um substituto à altura do Kaneto Chiozawa que dava a voz ao Oberstein dos ova). Foi interessante ver, como o Production IG conseguiu captar a tensão na conversa entre o Oberstein e o Kircheis (quem viu os ova, sabe que o Kircheis não suportava o Oberstein).
    A parte do encontro entre o Reinhard e a sua irmã foi bom, por momentos parecia que estava a ter um flashback da mesma cena dos ova. O novo design da Annerose está muito bom (mas ainda prefiro o antigo), e a voz que usaram nela, faz lembrar muito a voz usada na antiga. O encontro entre os três foi muito bonito, gostei bastante de ver o Kircheis menos acanhado (em comparação com a versão do ova) a falar com a Annerose, Não é surpresa nenhuma, o facto do Kircheis ver a Annerose com outros olhos, ele ficou fascinado por ela, desde da primeira vez que a viu.
    Antes de terminar, obrigado sobre o aviso em relação à fortaleza suprema de Iserlohn, ela realmente dará muito que falar.
    Como de costume, mais um excelente artigo do remake de Logh CrossSylvia.

  2. Olá gente do Anime 21! Esse é o meu primeiro comentário por aqui e não poderia ser melhor do que o meu masterpiece preferido para falar. Mas para começar, evitar as comparações com a “quase perfeição” que foi a primeira versão é importante para ter uma impressão mais racional possível. Até agora nesses primeiros 3 episódios, eu gostei muito e não é nostalgia, se bem que está longe disso. O fator rush é ainda a grande preocupação de todos os fãs, mas no momento me sinto satisfeito, a direção vem logicamente colocando sua personalidade própria pegando o que é relevante e executando de forma muito boa. A técnica não fica atrás, animação muito boa, gostei do CG, design de personagens. Já a trilha sonora é o ponto de discordia, porém, é covardia comparar com a versão anterior, vem dando conta do recado. Só resta esperar o que vem pela frente, o próximo episódio vai ser do melhor personagem para mim, o mago Yang Wen-li, para mim ele é muito mais interessante que o Reinhard, mas essa é outra história. Vou acompanhar por aqui as impressões pelo anime 21. Um bom trabalho e um ótimo dia a todos.

Discussão