Bom dia!

Andar no fio da navalha, sem medo de ser violento e grosseiro mas sem descuidar do apuro artístico e sem jogar seus temas importantes pela janela não é fácil. O primeiro episódio foi um choque, e eu ainda não sei dizer se ele conseguiu ou não manter-se acima da linha da água ou se afogou-se na exploração do sofrimento. Os outros dois episódios, tema desse artigo, parece que se mantiveram dentro da linha abaixando um pouco o tom.

Mas será que Mahou Shoujo Site vai poder manter essa temperatura morna por muito tempo? Cedo ou tarde não vai ferver? Bom, se e quando chegar a hora me ocuparei disso. Por enquanto, episódios 2 e 3, que começaram a dar uma noção de como é esse mundo de garotas mágicas malditas!

O segundo episódio retoma de onde o primeiro parou, e logo em sua primeira cena já começa a abaixar a temperatura: Tsuyuno não matou Sarina, apenas a feriu profundamente no pescoço. Aya continua ainda traumatizada com tudo o que aconteceu e a nova garota acalma a protagonista e conquista sua confiança passando uma noite na casa dela – para desespero do irmão psicopata da Aya. Elas conversam sobre uma tal Magical Hunter, que é uma garota mágica que está matando outras garotas mágicas, e Aya ainda meio relutante decide cooperar – a vida delas está em risco, afinal. Eventualmente elas são atacadas, e depois de muito hesitar, Aya usa sua varinha mágica para teleportar a assassina. Fora da barreira que havia criado ela é paralisada pelo poder da Tsuyuno. As duas venceram. E a Magical Hunter era a amiga desaparecida da Tsyuynu, Rina. Presa, a garota conta que tudo o que fez foi para sobreviver à Tempestade, que ocorrerá dia 11 de agosto, mas ela entra em coma cuspindo sangue quando ia contar o mais importante: o que é a Tempestade? Coincidência? Eu não contaria com isso.

No terceiro episódio Aya e Tsuyuno estão no hospital, para onde levaram Rina, mas o médico lhes informa que embora ela esteja viva, a chance de despertar é pequena, dado que seu organismo está debilitado como se fosse o de uma pessoa idosa. De acordo com o que havia sido explicado no episódio anterior, usar as varinhas drena a força vital das garotas mágicas até que elas morrem. O estado de saúde da Rina é apenas consequência disso. Mas ela ainda possui informação vital, e Aya e Tsuyuno ainda querem descobrir o que ela tinha para dizer. Para isso, planejam encontrar uma garota mágica cujo poder possa despertá-la. Fazendo isso, entram em contato com Nijimi, uma idol cuja magia, elas descobrem, é poderosíssima: o que ela mandar qualquer pessoa fazer, ela fará. Tsuyuno vislumbra a possibilidade de conseguir retirar a informação da Rina com esse poder mesmo sem despertá-la, mas elas descobrem que Rina matou uma amiga da Nijimi e tentou matar a idol, que agora a odeia do fundo do coração. Elas desistem, não sem antes trocarem dados de contato com a idol – por ordem mágica dela. Para completar, Sarina escuta as duas conversando no hospital e descobre tudo. Ufa!

A Aya sabemos que era vítima de bullying na escola e em casa. No terceiro episódio descobrimos que a Tsuyuno teve os pais assassinados quando ainda era criança. A Sarina, por vilã que seja, acaba de passar por duas experiências traumáticas: uma amiga sua morreu de forma horrível e depois ela própria quase morreu em circunstâncias que sequer consegue entender. A Rina no mínimo odiava sua aparência (que ela mudou usando magia) e a personalidade insana da Nijimi indica que ela certamente passou por maus bocados também. Mesmo se a Tsuyuno não tivesse dito, mesmo se o próprio site amaldiçoado que dá nome ao anime não dissesse, está claro que passar por traumas ou apenas ter uma vida horrível é requisito para se tornar uma garota mágica. E Mahou Shoujo Site retrata isso de forma crua, chocante.

Ter visto a morte da amiga garota mágica certamente é só a mais recente de uma vida de tragédias

O anime não quer te convencer, ele não quer que você fique com pena de ninguém (exceto da Aya, possivelmente), ele só quer chocar. O mundo é um lixo e a vida daquelas garotas é um lixo e quem quer que esteja por trás dessas varinhas as deu para essas garotas não para que elas possam ter vidas melhores, mas para que elas possam se vingar, jogar o lixo de volta em quem jogou nelas em primeiro lugar. Quanto mais elas se sujam, mais difícil é o retorno. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. A Aya tem medo de sequer usar seu poder, mesmo entendendo como ele funciona e sabendo que ele não é um poder fatal. Já a Tsuyuno usa seu poder à torto e à direito. Ela provavelmente já passou da linha de não retorno, mas mantém sua sanidade se convencendo de que suas vítimas mereciam mesmo. A Rina certamente ultrapassou todos os limites aceitáveis e por mais que, depois de dominada, sua personalidade tenha parecido divertida, quem é que conseguiria defendê-la? A Nijimi quer fazer picadinho dela, e quem pode culpá-la por isso?

Apesar de toda a violência gráfica, feita para chocar, o anime não está abusando do gore pelo gore, da violência pela violência. O poder da Nijimi é aterrorizante e a unidade idol da qual faz parte é uma piada de mal gosto. Mas esses elementos não são jogados, não estão ali de graça. Com efeito, uma das características da indústria idol do Japão é a relação tóxica entre as artistas e certa casta de fãs, há muito tempo reconhecida e para a qual as empresas envolvidas apelam diretamente, com consequências daninhas para as idols, profissionais de um ramo que já seria abusivo mesmo sem esses requerimentos insanos e a noção cruel de que as artistas “pertencem” aos fãs. Não há quem não entenda isso, e mesmo assim Mahou Shoujo Site faz questão de criar um grupo idol em que as garotas se fantasiam de cães e chamam seus fãs de donos. Em outra metáfora nada sutil, é com sua calcinha que Nijimi controla os fãs, ela é sua “varinha”.

Chocante sim, mas nada está ali sem razão. Assim como o próprio anime se equilibra na fina linha entre o aceitável e o grotesco, as heroínas estão agora andando por um caminho muito estreito, e, sem margem de manobra, tendem a se tornar alvos fáceis enquanto colecionam inimigas. Um final feliz parece impossível, e em assim sendo, a única pergunta que faço a essa altura é: Aya irá cruzar a linha, ou tombará por seus princípios?

Deu ruim

  1. Parece q tá beeeeeeeem,interessante esse título né,Fábio?

    Pra Mim Achei ótimo o começo…..Mas claro q Mahou Shoujo Ikusei Keikaku ainda é o melhor Mahou “Gore” Shoujo q tem ai…..

    Agora Esse Mundo do Anime Mahou Shoujo Site tá sendo bem questionável….mas mesmo assim acho que vou dar uma chance pra ele,já que eu li o mangá.

    Me diga,o que tá achando dele? Eu ainda naum vi,mas Diferente do Outros Anime Mahou Shoujo que Amei e Gostei,esse tá sendo bem curioso…

    Aya e Yatsumura tá sendo grandes amigas juntas,mas claro que o q elas vão passar será algo bem pesado pra elas…

    O que acha da minha opinião sincera e justa?

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Por enquanto não consigo julgar Mahou Shoujo Site, mas ele tem uma construção de mundo interessante, tem uma boa direção, boa animação, e embora não tenha medo de chocar, não parece fazer isso de graça. É continuar assistindo e ver o que é que ele vai fazer.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

Discussão