Chegamos ao último, e agora ao último mesmo, filme de Kara no Kyoukai. Primeiramente, obrigado por existir, anime belo, anime formoso, anime que é exatamente o meu estilo favorito de animes. Tudo bem, é uma adaptação de uma novel, eu sei, mas o que fizeram no decorrer desses onze filmes, é algo fantástico. Não acreditam em mim? Então leiam até o final essa resenha do filme de Kara no Kyoukai Remix: Gate of Seventh Heaven.

Ler o artigo →

Baseado em uma novel, Ikebukuro West Gate Park vem com a missão de nos convencer sobre como uma história de gangues e drogas pode ser legal, através da jornada de um cidadão que protege os seus diariamente, no meio da violência oculta da cidade grande.

Ler o artigo →

Steins;Gate: Youen no Valhalla é uma curta light novel escrita por Naotaka Hayashi, um dos escritores da visual novel original, e ilustrada por Juu Ayakura, um fã, como eu e talvez você. A obra funciona como um spin-off que cobre uma linha do tempo, a 0.334581%, dentro do campo de atração alfa. Para entender melhor o que isso significa, além de saber minhas impressões sobre a novel, indico continuar comigo no texto abaixo. Que se abra o Steins Gate!

Ler o artigo →

Que episódio interessante para fechar esse “mini arco” do quarto branco. Trazendo revelações importantes e algumas escolhas que vão ter um certo impacto no rumo da história, o anime não só resolve a questão do salvamento do Onigasaki, como também fortalece o desenvolvimento da Yuzu no jogo – que continua sendo a dona absoluta dessa série.

Ler o artigo →

Você gosta de Overlord? Ou dessas obras onde o protagonista fica preso dentro de um jogo? Bom, se a resposta for sim, essa obra pode ser do seu agrado (se a resposta for não, também pode). Publicado no site AlphaPolis Web Manga (o que faz dessa obra um web mangá), a obra é uma versão alternativa da light novel de mesmo nome. Com mais de 40 capítulos em português, a obra possui elementos de fantasia, aventura e ação em sua história (talvez até poderia adicionar um romance, não do tipo harém clichê).

Ler o artigo →

Bom dia!

Yagate Kimi ni Naru, também conhecido pelo seu nome em inglês, Bloom Into You, e pela abreviação do original japonês YagaKimi (que eu prefiro usar) é um excelente anime do gênero romance de 2018, e ouso afirmar que salvou o subgênero yuri (romance entre garotas ou mulheres) depois dos malfadados Netsuzou Trap e Citrus.

É uma história sobre como duas garotas, Yuu e Touko, se conheceram, como uma se apaixonou pela outra, e como deram os primeiros passos nessa relação, não exatamente conturbada mas longe de ser fácil.

O mais difícil, no final das contas, é não se apaixonar por elas e torcer forte a cada episódio.

Ler o artigo →

Bom dia!

Atrasei bastante esse artigo – que deveria ser dois, mas o artigo do episódio 12 atrasou tanto que até o do 13 já está atrasado. Também por isso virou um artigo só, mas não apenas por isso. Eles compõem uma unidade de fato.

Para além de outras questões burocráticas que me tomaram tempo, relacionadas e não relacionadas ao blog, a verdade é que eu tive mesmo dificuldade para chegar ao conteúdo final desse artigo. Foram episódios ao mesmo tempo com tanto e com tão pouco. E que carregam o peso de fornecer um fechamento para o anime, que adapta um mangá ainda em publicação.

É um caso curioso em que acredito que uma resenha do anime inteiro será mais fácil de escrever do que esse simples artigo de dois episódios. Bom, mas vamos lá?

Ler o artigo →

Bom dia!

Daqui para frente, tudo vai ser diferente. Isso é um verso de música ou de alguma coisa assim que eu sei desde criança e não faço ideia do que seja, mas acho que se aplica bem a esse episódio de Yagate Kimi ni Naru.

Que alguma coisa, em algum momento, iria balançar a convicção da Nanami, a gente já sabia. Sem isso a história ficaria estagnada.

E finalmente aconteceu.

Ler o artigo →

Bom dia!

Duas coisas importantes foram reveladas nesse episódio: a peça escrita pela Koyomi para o Conselho Estudantil interpretar, e a circunstância da morte da irmã mais velha da Nanami, origem de toda a sua personalidade e traumas.

Ao longo do episódio, Yuu, que preferia não interpretar papel nenhum na peça, “interpreta” o papel de não-apaixonada pela Nanami e as duas encenam um romance que não sai do lugar.

Ler o artigo →