Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Parece que me ouviram e entregaram mais um episódio no mesmo nível do primeiro. Já me fizeram chorar e mais uma vez elogiar o ótimo trabalho do diretor representando essa fase da pré-adolescência. Na primeira cena vemos o Azumi acordado tarde da noite escrevendo, o que descobrimos ser seu hobby e por isso, no dia seguinte está tomando café da manhã morto de sono conversando com seus pais e refletindo sobre a vida.

Ele vai descobrir que isso não é verdade ainda neste episódio

 

Depois da maravilhosa e relaxante abertura já no festival de esportes, a Mizuno está nervosa com a sua corrida e está usando o Sr. Batata para se acalmar. Quando finalmente chega sua hora de correr, ela vai extremamente bem ficando muito na frente das adversárias. Um dos colegas de time do Azumi faz uma observação sobre a bunda dela ser linda, ele repara também e fica envergonhado.

É incrível como o diretor consegue representar coisas simples da forma simples como são, chega até a ser fofo e nostálgico. Chega a vez do Azumi correr. Ele corre bem mal assim como os colegas dizem e chega até a cair, vendo o amigo do clube de atletismo da Mizuno passar na sua frente e criar uma distância enorme. Quando a corrida termina o mesmo amigo manda um sinal amigável para Mizuno, fazendo suas amigas pensarem que eles tinham um caso, mesmo ela negando (corada) de todas as possíveis formas. O Azumi vai a enfermaria cuja outra colega de escola está no controle e cuida do seu ferimento da forma mais atrapalhada possível e sendo uma fofa com ele. Espero ver mais vezes ela no anime pois a adorei, personagens risonhos e muito animados são meus favoritos, Minori era bem assim.

FOFA

A Mizuno vai comer seu lanche com os pais e o seu pai diz ter intenção de filmá-la correndo, o que deixa ela muito nervosa tendo de usar o grande Sr. Batata para se acalmar. Chamam ela para uma reunião de classe em que discutem afazeres e pedem o cronograma da Akane, quando ela o tira do bolso deixa cair o seu brinquedo numa caixa que depois é tampada. Enquanto organizava umas coisas a Mizuno percebe ter perdido o boneco e fica desesperada, esquecendo até de terminar seus afazeres. Quando o Kotarou pergunta a ela o porquê da preocupação, ela conta que perdeu seu brinquedo e ele começa a procurar por todo canto e a tarde toda sem ela saber. A Mizuno vai mal na corrida fazendo seu time perder o festival, ela até escuta pessoas no banheiro rindo do seu desempenho, mas quando está indo para casa, saindo da sala de aula o Azumi chega com o Senhor Batata. Ela fica tão feliz que mal consegue falar e fica dizendo coisas aleatórias, uma delas ele lembra mais tarde numa de suas reflexões. Eles têm uma conversinha, vão até a saída da escola juntos e se despedem.

QUE HOMÃO

Quando chegam em casa temos uma das melhores cenas que eu já vi, de verdade. A Mizuno começa uma conversa pelo celular, agradecendo pelo que ele fez, ele responde com bom trabalho e um emoji engraçado que faz ela rir. Ela o chama de espetadinho pela primeira vez o deixando confuso e criando uma conversa entre eles. Essa cena realmente me fez chorar um pouco mas isso é meu, tenho costume de não me abalar com coisas tristes mas fofura me deixa muito emocionado, e essa cena me pegou por ser bem realista,  as expressões deles a cada mensagem nova é impagável. O episódio se encerra com o Azumi relembrando as palavras da Mizuno e refletindo sobre como as pessoas influenciam sim as outras, e também entrega um de seus manuscritos ao dono da livraria para ele avaliar. Tem também, depois do encerramento, uns episódios curtinhos que eu achei ótimos, leves e divertidos.

Tive de torcer meu nariz pra aguentar isso

Mais um episódio relaxante e leve, com cenas fofas e realistas sobre coisas do fundamental, mas como é ficção, tudo vai dar certo (eu espero). Esse foi meu escolhido pra anime sagrado da semana. Toda temporada tem um ou dois animes no máximo que quando saem eu dou uns pulinhos de alegria e assisto só quando tá de noitinha com um friozinho e silêncio em casa pra aproveitar o máximo da experiência. Se continuar assim vai ser 10 no MyAnimeList e talvez até entre nos favoritos, que caso você não saiba quais são, veja meu artigo de apresentação.

  1. Ah! Esse está sendo o detox de Kuzu no Honkai….Tudo é sublime, agradavel, sem muitas encucações bravas (não aquela avalanche que foi KnH) e flui maravilhosamente. Os personagens vão se desenhando e isto está cada vez mais interessante.

    A Akane ela é uma gracinha (tudo isso sabemos) é atletica adora a atividade fisica, mas não notei um vies de pessoa competitiva, parece que ela curte mais o ato de praticar o esporte do que vencer (o contrário disso se encontra em Boku no Hero Academia que é outro departamento), mas extremamente ansiosa (sem o senhor batata ela buga no sistema) e não é dada a pitis (acho que o K-San deve ter um equivalente de além mar para “pitis”…). Aquela filha que toda mãe e pai querem…E todo Koutarou quer conhecer. Ela é simpatica, sociavel em seu grupo, gregária na medida certa…

    O Kotaurou aquele menino introspecto ,as vezes me indentifico com ele, meu autor preferido nessa epoca era Ferenc Molnár um escritor hungaro que escreveu “Os meninos da Rua Paulo” que falava da amizade de um bando de garotos das ruas de Budapeste. Eu tambem era meio instrospecto quando tinha meus 15/16 anos um cara que hoje poderia ser chamado de “nerd”(gostava de Poe e Shakespeare). Mas ele, o Koutarou. vai mais além ele gosta de Osamu Dazai que é digamos um Bukowski japones cruzado com um William S. Burroughs tambem japones, não é uma leitura lá “muito leve” para a idade dele. Dazai se enamorava de mulheres e do suicidio (até que ele conseguiu seu intento com sua terceira mulher). O que me chama atenção é a idade de seus pais acho eles meio velhos para só ter um filho unico (será que ele tem um irmão mais velho? Será que ele se matou e por isso essa fixação pelas obras do Dazai? Elucubrações).Ele é a melancolia em pessoa, mas nem sempre está ao lado dele em certos momentos…Vide a cena que ele dá uma bela “fotografada” no colo dos seios da Chinatsu. Aquela da enfermaria toda sapequinha e serelepe que para fazer curativos eu me acho melhor atracando navios no porto de Yokohama.

    Por falar me Chinatsu a personagem “levinha” da turminha da Akane temos o nosso campeão o ROMAN esse toda turma tem de ter um Roman, boca aberta, sempre alegre, nunca tem tempo ruim, desinibido de tudo e gostosamente te chateando para ler o que escreve…No filmete no final (pós creditos), a reação da professora foi hilária!!!

    Já vi que para mim vai dar sindrome de abstinência todas as sextas…

Comentários