O anime de Citrus é uma adaptação do mangá yuri mais popular do momento no Japão – a obra se encontra em andamento com 9 volumes até agora –, mas do que trata essa história? De uma paixão que brota após a mãe da protagonista, Yuzu, se casar com o pai da co-protagonista, Mei. E é em meio ao convívio familiar, como também do convívio na escola, e uma grande diferença de personalidade e atitudes entre as duas que o sentimento floresce e vai se desenvolvendo um romance entre essas irmãs. Da amargura a doçura, das lagrimas a afeição, o que esse complicado romance tem a dizer?

Antes de mais nada, é importante comentar que em seus quesitos técnicos o anime é satisfatório, entregando designs bonitos, mesmo que mais simples que os do mangá, animação consistente e uma ótima trilha sonora – assim como músicas de abertura e encerramento que encaixaram bem com o clima que tentaram imprimir na animação. A atuação das(os) seiyuus também não faz feio e dá conta das frequentes cenas de drama do anime. Sim, Citrus tem momentos cômicos e leves tais quais os de um slice of life, mas em sua essência é um drama através do qual a relação das protagonistas se desenvolve ao transitar entre sentimentos de amizade, irmandade e os problemas causados por uma paixão entre duas mulheres que ainda por cima se tornaram irmãs. Um amor impossível que para ser concretizado terá que resistir a desavenças e mal-entendidos que surgem para atrapalhar as garotas.

Entretanto, é justamente por se apoiar demais no drama que Citrus deixa alguns de seus defeitos mais evidentes, pois há momentos em que a história segue por caminhos questionáveis que não condizem com personagens e situações – o que a faz cair em diversos clichês comuns a dramas adolescentes ou histórias de romances conturbados. Isso coloca a coerência narrativa da história em cheque, fazendo com que o telespectador tenha que lançar mão da sua suspensão de descrença, ou do apreço que ele tiver a obra por outras mídias, para que o drama – que é a base de toda a trama da obra – consiga atingir seu objetivo – aprofundar e “alavancar” a relação entre as suas protagonistas.

Citrus é um romance que anda de mãos dadas com o drama, pois um só se desenvolve – romance – quando é feito uso do outro – drama. O primeiro depende do segundo para acontecer já que são as resoluções dos dramas pessoas que ditam o rumo das interações entre os personagens, o que faz o anime depender muito desses personagens, da história deles e do quanto o público é capaz de se apegar a eles e se sensibilizar com os problemas que eles têm. Por ser o yuri mais popular do Japão a indicação da adaptação para os amantes do gênero é mais do que natural, contudo, se você nunca teve contato com uma obra que versa sobre um romance entre duas mulheres talvez essa não seja uma das melhores indicações para uma introdução a esse universo. Alguns dos fatores que me levam a achar isso são as cenas em que a linha que separa o consentimento do abuso é bastante tênue, o usa de clichês e resoluções questionáveis para alguns conflitos e um drama que ao ser explorado pode dificultar o envolvimento pessoal com a Yuzu e a Mei – e o romance que se constrói entre elas.

  1. Eu amo Citrus! kkkk
    Mais eu já sou fã de Yuri a tempos!
    Anime que eu recomendaria, seria provavelmente um shoujo-ai, tipo Konohana Kitan, ou Akuma no Riddler.
    Depois que a pessoa se provou gostar disso, ela pode ver animes como Sasameki Koto ou Aoi Hana.
    E depois animes como Sakura Trick, Strawberry Panic, Citrus e etc.
    Eu só deixaria as pessoas verem animes Yuri mais loucos se elas forem do meu nível! kkk

Discussão