Esse foi, sem dúvidas, um dos melhores episódios da franquia WIXOSS até o momento! E quem diria que uma mera coadjuvante na fase Selector iria se tornar uma das protagonistas da fase atual? Kiyoi não caiu nessa história de paraquedas, ela passou várias e várias vezes pelo ciclo do desespero, errou e se machucou tantas vezes que quase chegou a desistir de tudo, mas uma hora foi capaz de quebrar esse ciclo e aliviar um pouco seu sofrimento ao fazer a coisa certa, e por isso ela quer recuperar suas memórias, ela quer pagar pelos erros do passado, pois sabe que só assim poderá se sentir viva de novo, só assim ela poderá ser alguém digna de uma amizade – alguém que aceite que pode ser feliz.

Que a Ruuko não ia aceitar ajudar de prontidão – nem a Suzuko aceitou ainda – já era praticamente certo, agora esse encontro entre ela e a Kiyoi foi importante para que uma ponte que ligasse as duas, também ligando ela a Suzuku, fosse criada – como também pelo que aconteceu no final do episódio. Agora finalmente temos a certeza de que a Mayu foi libertada do ciclo de sofrimento que ela própria criou, que o mundo ao qual a mente dela deu vida está sendo alimentado pelos acontecimentos dolorosos das batalhas e não dizem mais respeito a ela em si. O primeiro jogo não existe mais e um dos mistérios desse novo anime será o que ou quem exatamente está por trás dessas novas batalhas.

E aí, dessa vez as garotas vão parar de sofrer “LRIG”?

A história da Kiyoi é de cortar o coração – principalmente para quem, como eu, viu a fase Selector há pouco tempo –, porque a gente viu que ela errou e tentou consertar seu erro, mas acabou foi se afundando ainda mais em um ciclo de desespero que só foi parcialmente quebrado quando a Ruuko libertou as LRIGs do primeiro jogo. Ela se sentiu culpada pelo acidente com a amiga e tentou salvá-la, mas foi enganada e esse é o tipo de coisa que justifica o apego as suas memórias. Por mais que suas memórias sejam dolorosas ela quer aceitá-las por entender que elas fazem parte de quem ela é, por saber que pior do que ter sido indiretamente a responsável pela morte da amiga, é ela não carregar consigo as lembranças que tem dela, de alguém que a estendeu mãos cheias de gentileza. Uma gentileza que ela pôde experimentar mais uma vez em um dos seus vários ciclos como LRIG, uma experiência muito similar à da Ruuko com a Yuki (Iona) e que serviu de força para que ela pudesse enganar o sistema e conseguisse realizar o desejo da sua amiga. Uma volta por cima bastante digna!

O resultado dessa batalha foi sensacional! Kiyoi ganhou meu respeito!

Repito, alçar a Kiyoi a status de protagonista foi uma das decisões mais acertadas para essa franquia justamente por ela ser a perfeita ligação entre os fatos ocorridos em ambas as fases, por ela ligar as protagonistas de ambas e trazer à tona um ponto de vista diferente sobre as batalhas, um ponto de vista de alguém que fez sim mal a várias garotas, mas por causa das circunstâncias não pode ser tida como uma vilã. Ela é uma personagem mais complexa que a Ruuko, a Suzuko ou a Akira, que são mais lineares em seus caminhos – essas mais ou sofreram ou causaram sofrimento –, não tendo a amplitude conferida por ambas as experiências pelas quais a Kiyoi passou. De selector até virar LRIG e voltar a ser humana e ser selector de novo e agora querer salvar a todos os envolvidos e a si mesma.

Um assassinato tão direto assim foi pesado demais até para WIXOSS, meu deus…

Como a Kiyoi disse, cada uma tem que ter um objetivo pessoal para lutar e esse objetivo deve casar com o objetivo de acabar com as batalhas ao menos para as seis personagens principais da obra e a própria Kiyoi. O grupo da Carnival – daquelas que desejam que o ciclo do desespero continue – deve ganhar mais adeptos, e não falo só daquela selector que era LRIG, mas também da Akira, que obteve mais um passe para batalhar agora que o que seria o Lostorage atingiu um outro nível e certamente desprenderá de novas regras e condições para que as batalhas ocorram e objetivos sejam realizados. Sendo assim, não seria estranho contar com selectors fortes capazes de obter a tal chave para abrir a porta do coração, não é mesmo? No final das contas, o que ou quem está por trás do atualizado jogo quer que mais situações extremas aconteçam e que mais sofrimento seja direcionado a essas selectors. A Ruuko, a Suzuko, a Kiyoi e as outras conseguirão dar um fim a Lostorage 2.0? Veremos!

O momento que mais me emocionou nesse episódio.

Como último adendo, só gostaria de comentar duas coisas. Primeiro, o aparecimento da Tama, algo que deve ter deixado os fãs que já viram toda a franquia bastante felizes – me incluo aí –, pois a Tama é bem carismática e sofreu bastante nos primeiros animes. Vê-la como uma humana que, de certa forma, ganhou vida por causa das ações da Ruuko reforça o quão poderosa era a mente da Mayu e o quanto incrível foi ela ter sido libertada. Tudo bem que, se não me engano, a Tama apareceu em um trailer, mas não deixa de ser impactante, né? Resta sabermos se a Tama é a Shiro e a Kuro, Tama e Yuki – o que acredito ser o caso –, e quem é a Tama que está lutando na abertura. Será a mesma? Será um alter ego dela? Cadê a Yuki se ela não tiver se fundido a Tama? Se eu entendi bem, a Piruluk que aparece para a Kiyoi é uma das LRIGs originais que não eram garotas humanas, sendo assim, as LRIGs dessas novas batalhas serão todas aquelas que foram criadas pelo sistema?

Ganhei meu dia ao ver a Tama bem e feliz ❤!

Essas são respostas interessantes a serem respondidas, o que se liga diretamente ao segundo ponto que gostaria de comentar, por que há a necessidade de mudar um pouco o sistema de batalhas? Se pensarmos bem, não houveram batalhas entre selectors desde o começo do anime, então a disputa das moedas acabou? Isso não ficou claro, mas já que o próprio administrador do jogo atual quer que aquele homem em forma de LRIG reúna as chaves para abrir a porta do coração, ao que tudo indica ele vai voltar as batalhas como LRIG com o objetivo de derrotar as novas (velhas) selectors e tomar suas chaves. As protagonistas vão deixar isso acontecer sem lutar para impedi-lo? De forma alguma!

Agora que as cartas estão sendo postas à mesa e a designação de LRIGs antigas a antigas selectors é uma realidade, o que acontecerá nessa disputa? O que ou quem será capaz de parar o ciclo sem fim do desespero que machucou tantas pessoas e já foi capaz até de tirar vidas? Essa pode ser a batalha decisiva para a franquia WIXOSS e eu como fã vou pegar a pipoca e fazer as minhas orações para que as garotas que eu aprendi a adorar consigam ajudar umas as outas a sair desse jogo de sofrimento.

Será esta a fechadura da chave que dará, de uma vez por todas, o fim a todo esse desespero?

Discussão