Bom dia!

Fantasia é um gênero muito popular. Horror é menos popular, mas ainda assim é apreciado e respeitado. Quando os dois vêm juntos, o que se tem é a fantasia sombria, ou dark fantasy.

Não fica muito mais complicado do que isso. Não é necessariamente melhor ou pior do que qualquer dos gêneros isoladamente, mas oferece tipos novos de histórias e novas abordagens para histórias já bastante contadas.

Entre os animes, há alguns tantos que se encaixam no gênero dark fantasy, alguns muito bons, ou muito populares, outros nem tanto. Você já assistiu algum?

Essa lista é para quem está interessado em assistir mais animes do gênero, ou talvez assistir algum pela primeira vez. A maioria das opções é recente, o que significa que se pode encontrá-la nos streamers legais com facilidade, mas apresento também alguns mais antigos que não poderiam ficar de fora.

Antes de começar a lista, porém, darei uma definição mais precisa do que seja dark fantasy. Se não estiver interessado, pode pular direto para a lista.

Dark fantasy é alta fantasia, ou seja, uma história que se passa em um mundo diferente do nosso mundo, e com elementos de horror adicionados.

Dark fantasy não é uma história que se passe no nosso mundo, ainda que ele tenha elementos fantásticos adicionados. Similarmente, dark fantasy não é uma história mais “pesada” que se passe em um mundo fantástico. Apenas ter mortes ou violência ou coisa do tipo não é suficiente. É preciso ser alguma forma de horror. Horror sobrenatural é o mais comum, mas horror psicológico ou até horror existencial também valem. Enfim, é preciso ser horror.

Não vou mais a fundo na definição porque não é o objetivo desse artigo, uma mera lista. Passei apenas o básico para ficarem mais claras as escolhas feitas aqui.

E agora a lista, mas com uma indicação prévia: To the Abandoned Sacred Beasts, anime que estreou nessa temporada de Julho de 2019, parece ser dark fantasy também, então você talvez possa começar por aí. Se quiser animes completos, veja a lista:

 

Dororo

Dororo

Dororo, que acaba de encerrar, é uma nova adaptação e uma reinterpretação do mangá de Osamu Tezuka, publicado originalmente em 1967. A primeira adaptação para anime foi em 1969, exatos 50 anos antes dessa. E eu ainda não assisti o anime antigo inteiro (estou assistindo), mas quanta diferença.

Para começar, eu não colocaria o Dororo de 1969 em uma lista de dark fantasy, e não é que a trama básica não permita. Senão, veja: quando nasceu, em pleno Período Sengoku, uma época de guerras e instabilidade que durou mais de um século no Japão, Hyakkimaru teve quase todo o seu corpo devorado por demônios, como pagamento por um pacto que seu pai, o lorde samurai Daigo Kagemitsu, fez para que seu domínio prosperasse e ele pudesse crescer em poder. Agora, 16 anos depois, Hyakkimaru caça os demônios em busca de recuperar seu corpo.

Demônios, sacrifício humano, uma era de guerras e um pai que só escapou do Conselho Tutelar por ser poderoso – é ou não é horrível o bastante? É sim! E o anime de 2019 explorou isso ao máximo. Merece ser assistido.

Primeiras impressões de Dororo.

 

Claymore

Claymore

Nesse mundo, há monstros chamados yomas que se disfarçam de seres humanos e vivem entre eles para devorá-los. As únicas guerreiras capazes de enfrentá-los são as claymore, chamadas dessa forma por causa das enormes espadas que empunham.

Todas as claymore foram originalmente mulheres e garotas normais que foram operadas pela Organização para inserir tecidos de yoma nelas, transformando-as em híbridos meio-humano meio-yoma, aumentando sua força física e dando a elas a habilidade de pressentir a aura característica de um yoma. As mais poderosas podem até mesmo desenvolver técnicas e habilidades especiais.

A humanidade depende das claymore e ao mesmo tempo as teme. E quando usam demais seus poderes, correm o risco de se tornarem monstros devoradores de gente elas próprias.

Clare é a mais fraca de todas as claymore, mas sua missão e suas obrigações são exatamente as mesmas das demais. Temida pela humanidade, detestada pelos yomas, ela, como toda claymore, luta dia após dia sem perspectiva de recompensa e sabendo que um dia irá morrer em batalha ou se tornará um monstro.

 

Ataque dos Titãs

Ataque dos Titãs

O que resta da humanidade vive dentro de enormes muros, construídos para manter do lado de fora os titãs, monstros humanoides gigantes que devoram seres humanos.

Há aqueles que querem conquistar terreno e derrotar os titãs, abandonando o claustro em que vivem para se proteger. E há outros que por medo ou por motivos indizíveis preferem que se abandone qualquer tentativa de ir além dos muros. A paz reina há um século, afinal, ali dentro eles estão seguros.

A história começa quando essa segurança acaba. Um Titã Colossal, maior que as muralhas, abre uma brecha, e outros titãs invadem. Ninguém estava preparado para isso. Eren sempre admirou as tropas de exploração que caçavam os titãs fora do muro, e agora que sua casa foi perdida e sua mãe devorada ele tem ainda mais motivos para buscar o contra-ataque.

Primeiras impressões da segunda temporada de Ataque dos Titãs.
Primeiras impressões da terceira temporada de Ataque dos Titãs.
Análise de Shinzou wo Sasageyo, música de abertura da segunda temporada.
Análise de uma cena de Ataque dos Titãs.

 

Kabaneri of the Iron Fortress

Kabaneri of the Iron Fortress

E se o apocalipse zumbi ocorresse no Japão Meiji? E se esses zumbis só pudessem ser derrotados com a destruição do coração, mas esse fosse protegido por uma armadura metálica? Isso é Kabaneri of the Iron Fortress, e os zumbis se chamam kabanes.

É, em muitos aspectos, similar à Ataque dos Titãs, e o fato de ser um original produzido pelo mesmo estúdio que adaptou o mangá dos gigantes devoradores de gente para anime, apenas aumenta as suspeitas e especulações. Em todo caso, é uma história original, com personagens originais e que se sustenta com as próprias pernas.

Os kabanes são mantidos fora das cidades humanas com muros bem guardados, e elas se comunicam umas com as outras através de uma rede ferroviária na qual rodam trens à vapor blindados. Por conta dessas características, as cidades são chamadas de “estações”.

Quando a Estação Aragane caiu, parte da população conseguiu sobreviver graças à presença de Mumei, uma garota com poderes misteriosos capaz de lutar contra os kabanes. Ikoma, o protagonista, é atacado e infectado por um kabane, mas ao quase se estrangular conseguiu evitar que o sangue kabane chegasse ao seu cérebro e assim manteve sua consciência humana, apesar de ter adquirido a força de um kabane. Ele é o que se chama de kabaneri. Mumei também é uma kabaneri.

Como é comum em histórias desse tipo, os kabaneris são necessários ao mesmo tempo em que são temidos, e vivem na fronteira entre o monstro e o humano.

 

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii Desu ka? Sukutte Moratte Ii Desu ka?

Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii Desu ka? Sukutte Moratte Ii Desu ka?

Esse nome enorme aí se traduz para “O que você faz no fim do mundo? Está ocupado? Pode me salvar?”, e a tradução oficial do Crunchyroll é “WorldEnd: What do you do at the end of the world? Are you busy? Will you save us?”, mas tudo isso é enorme e eu prefiro a abreviação SukaSuka.

Há muito tempo, a humanidade convivia com outras espécies fantásticas no mundo. Algo aconteceu, porém, e monstros chamados apenas de bestas começaram a atacar. A humanidade aguentou enquanto pôde, mas foi eventualmente dizimada. As demais espécies foram viver em ilhas que flutuam nos céus, enquanto as bestas dominaram a superfície.

Willem é um humano que em seu tempo foi um guerreiro, mas acabou congelado ao final de uma batalha e assim permaneceu por eras, até ser encontrado. Agora ele é o último humano vivo, e eventualmente arranja o trabalho de cuidar de uma guarnição de “armas mágicas” que são usadas para contra-atacar as bestas quando elas tentam atacar as ilhas flutuantes.

Chegando lá, ele descobre que essas armas na verdade são garotinhas chamadas de leprechaus. Elas empunham armas místicas criadas pela humanidade há eras e são criadas para lutar. Eventualmente seus corpos ficam sobrecarregados pela magia e simplesmente explodem.

Elas são educadas desde cedo a não pensar muito nisso e não se importarem com o próprio bem estar, pois elas são armas, afinal. Com a chegada de Willem, abismado com o que descobre, as coisas começam a mudar.

Primeiras impressões de Shuumatsu Nani Shitemasu ka? Isogashii Desu ka? Sukutte Moratte Ii Desu ka?.

 

Made in Abyss

Made in Abyss

Nada é mais assustador do que o desconhecido. Nada é mais fascinante do que o desconhecido. Em Made in Abyss, o desconhecido é o Abismo no meio da cidade, tão fundo que jamais foi inteiramente catalogado, e tão perigoso quanto desconhecido e fascinante.

Monstros fantásticos o habitam, e uma vez que se comece a descer, a própria subida causa mal estar ou danos ao corpo da pessoa. E não precisa ser uma subida muito grande não: poucas dezenas de metros já podem ser fatais, dependendo da velocidade e da profundidade.

Riko é uma órfã que sonha em se tornar exploradora do Abismo porque sua mãe desapareceu em suas profundezas. Reg é um garoto-robô misterioso que não se lembra de nada sobre si e que veio do Abismo. Eles se encontraram quando Riko estava sendo perseguida por uma criatura assassina gigante ainda no primeiro nível do Abismo e Reg a salvou.

A garota decide que não pode mais aguardar a sua vez quando descobre o que parece ser uma mensagem de sua mãe dizendo que a está esperando. Junto com Reg, os dois se aventuram Abismo adentro e abaixo.

Primeiras impressões de Made in Abyss.
Mangá versus Anime: Made in Abyss.

 

Goblin Slayer

Goblin Slayer

Goblin Slayer é o título dado a um aventureiro que caça apenas goblins. Nunca baixando sua guarda, ele lida com a experiência traumática de ter visto a irmã ser morta por goblins quando era criança e se especializou em caçar esse tipo de criatura.

Um certo dia, ele salva uma sacerdotisa de ser morta por um goblin e aos poucos, contando também com a ajuda de uma elfa despeitada, um anão cheio de truques e um simpático homem lagarto, seu coração vai se curando, ou se não tanto, ele vai vivendo aventuras (e gostando), que vão um pouco além de apenas exterminar goblins.

Goblin Slayer é a história de um personagem que lida com um trauma se fechando para o mundo, mas justamente por causa desse trauma acaba aos poucos se abrindo de novo. Uma aventura divertida e não muito pretensiosa, mas que contém uma boa dose de violência gráfica e algumas cenas pesadas de estupro, então esteja avisado, prepare seu estômago antes de embarcar nessa peculiar aventura.

Resenha de Goblin Slayer.

 

Hellsing

Hellsing

Hellsing é uma história de vampiro. Atenção: Hellsing não é dark fantasy! Entretanto, não é difícil encontrá-lo em listas do tipo ou em indicações na internet, e essa é a primeira razão pela qual o coloquei aqui. A segunda é justamente para dizer que ele não é dark fantasy porque não se passa em um mundo fictício. Como muitas outras histórias de vampiro, Hellsing é horror gótico.

Mas já que está aqui, o indico mesmo assim. É uma história em que o vampiro primordial Arucard (que sim, é Drácula ao contrário) enfrenta outros vampiros e criaturas místicas e quem mais for necessário a mando da organização Hellsing.

Bastante violência gráfica e um dos protagonistas mais absurdamente poderosos da história dos animes, lutas alucinantes e até um pouco de humor é o que você pode esperar de Hellsing, esse horror gótico que não é dark fantasy.

O papel dos vampiros ao longo do tempo – Uma curta análise envolvendo filmes e animes.

 

Hai to Gensou no Grimgar

Hai to Gensou no Grimgar

Grimgar é uma história muito interessante porque não há no anime maldições, criaturas sobrenaturais, monstros devoradores de gente oprimindo a humanidade nem nada do tipo. É um mundo de fantasia normal, com aventureiros se aventurando e essas coisas.

É um isekai, e esse é o seu segredo: Grimgar expõe como a própria noção de uma pessoa normal, do nosso mundo, ir para um mundo de fantasia e ter que lutar para sobreviver é em si algo aterrorizante.

As pessoas que lá chegam não têm mais suas memórias, sabem apenas seus nomes, e logo são informadas que devem formar grupos e se aventurar para conseguir dinheiro e sobreviver. A maioria se adapta rápido, mas um grupo em particular se forma apenas com as pessoas mais fracas, rejeitadas por todos os demais. Absolutamente despreparados para o que está por vir.

Simples goblins fracotes quase matam os membros do grupo de Haruhiro, Manato e companhia. Eles choram de tensão na primeira vez que conseguem matar um desses monstros. Aos poucos, muito mais devagar que os demais aventureiros, eles pegam o jeito. Porém, é quando começam a ficar convencidos de que são competentes que seus problemas realmente começam.

 

Re: Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu

Re: Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu

O outro isekai da lista é protagonizado por Subaru, e ele não fica nem um pouco assustado ou perturbado por ter sido jogado de repente em outro mundo completamente desconhecido. Ele não gostava de sua vida mesmo, e enxerga nisso uma oportunidade de recomeçar.

Ele vai se arrepender de um dia ter achado que recomeçar era uma boa ideia, porém. Subaru eventualmente descobre que sofre de uma maldição: quando morre, retorna a um ponto anterior no tempo. É como se fosse um jogo e ele voltasse para o começo da fase, só que ele não sabe o que tem que fazer para passar de fase nem qual o começo da fase atual.

Subaru morre por ser fraco e descuidado. Subaru morre por levantar suspeitas. Subaru morre ao não conseguir evitar tragédias. Subaru morre quando ele mesmo se mata porque não suporta mais o rumo que a atual iteração de sua “fase” está tomando.

 

Berserk

Berserk

Nenhuma lista de animes dark fantasy estaria completa sem Berserk! Se eu escrever uma segunda edição, acho que vou colocar Berserk de novo! (Brincadeira! Provavelmente…)

Originalmente um mangá que está em andamento desde 1988, teve uma adaptação para série anime entre 1997 e 1998, outra para série de filmes anime entre 2012 e 2013, e finalmente uma nova série anime em 2016 com segunda temporada em 2017.

O melhor anime, o da imagem acima, é o de 1997. Ele adapta basicamente a fase do mangá chamada de Era de Ouro. A série de filmes, com 3 filmes, adapta também a Era de Ouro, mas é bastante resumido por ter menos tempo de duração e a animação deixa a desejar. A série anime mais recente finalmente adapta o que vem depois da Era de Ouro, mas tem uma animação simplesmente desastrosa.

Eu recomendo que a assista, mesmo assim, a não ser que prefira ir para o mangá. Se não escolher o mangá, assista as duas séries para TV. A série de filmes é redundante com a primeira série anime, então é desnecessário assisti-los.

Berserk acompanha a história de Guts, um guerreiro com uma espada colossal e uma força sobre-humana adquirida nos campos de batalha desde que era criança, graças a uma vontade de viver tão grande que ele nasceu vivo mesmo sua mãe tendo morrido enforcada ainda grávida dele.

Eventualmente ele entra para o Bando do Falcão, de Griffith, e é convivendo com essas pessoas que ele aprende pela primeira vez o que é ter um sonho. Apenas para ser esmagado e ter tudo arrancado dele quando forças que não são desse mundo se manifestam no Eclipse. Ele ainda vive, mas agora carrega uma chaga que atrai demônios e espíritos malignos menores para devorar seu corpo onde quer que ele vá.

Primeiras impressões de Berserk (2016).

 

E por hoje é isso! Qual outro anime você recomendaria do gênero? Que outros tipos de listas gostaria de ler no Anime21? Responda nos comentários!

 

  1. Avatar

    Excelente lista de animes dark Fantasy e as imagens de capa escolhidas para cada um deles são excelentes.

    Sou suspeito para escolher um que goste, já que vi todos os animes da lista. Ainda assim se tivesse que escolher, escolheria Claymore (é impossível esquecer a Claire e a Theresa do Sorriso Aparente), Dororo, Made In Abyss, Hai to Gensou no Grimgar, Hellsing (neste caso o Hellsing Ultimate) e claro Berserk (a primeira versão anime de 1997, as outras não contam para nada).

    Como sempre, mais uma excelente lista.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá Kondou, tudo certinho?

      Eu não faria uma lista de dark fantasy sem Claymore!

      Quando pensei no tema, achei que ia ser difícil montar a lista, mas na verdade foi bem mais fácil do que eu esperava. Graças a ajuda dos colegas de blog, claro, os animes simplesmente se revelaram.

      Obrigado pela visita e pelo comentário!

Comentários