Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Os laços familiares são fundamentais e indispensáveis no desenvolvimento de uma pessoa, desde a infância até a fase adulta, pois dentro da família encontra-se toda uma rede de suporte estrutural (lar, comida,etc) e emocional (amor, carinho, etc). No caso da nossa protagonista, ela está numa jornada em busca de sua mãe a fim de restabelecer o laço familiar que foi perdido quando era uma criança.

É assim que Chiya imagina sua mãe.

É assim que Chiya imagina sua mãe

Chiya não estava sozinha, ela foi entregue aos cuidados de uma amiga da sua mãe chamada Setsu (aparentemente ela também não tem pai), que fez a função maternal, dando todo o apoio e carinho para que Chiya crescesse saudável.

A protagonista que saiu das montanhas para procurar sua mãe numa cidade de adivinhos, não tem nenhuma pista sobre sua genitora, só a lendária urara deí/rank 1 (o maior) pode encontrá-la, e para achar essa urara tem que ir ao distrito de número um. Entretanto, existe uma regra em que uma urara não pode frequentar um distrito maior que seu emblema, ou seja, para Chiya encontrar sua mãe ela tem que subir até o mais alto nível para ter o direito de consultar a urara lendária.

Uma cena destaque do episódio foi a tentativa de Chiya invadir o distrito um, onde ela diz para a policial, de forma emocionada, que ela vai procurar a mãe dela independente das regras da cidade ou dos deuses, e logo em seguida a Saku (policial) a convence que ela tem que se esforçar para poder ser uma urara de nível/rank 1. Outras cenas que eu achei interessantes foram: a da aula pratica que as meninas tiveram, e a cena em que a personagem Nono diz que, assim como Chiya, ela também não se lembra da mãe, pois ela morreu após o seu nascimento. A boneca assustadora que Nono carrega foi um presente da sua mãe.

Embora a jornada de Chiya esteja apenas começando, o destino já deu uma nova família para ela, que é composta pelas suas amigas e pela sua instrutora.

Nota: Os artigos sobre o anime Urara Meirochou serão em tamanho reduzido sendo assim mais simples e objetivo possível.

Espero que todos tenha gostado deste artigo e até a próxima!

  1. Este anime está a ser bem melhor do que eu esperava. Este anime é muito água com açúcar, eu a meio deste episódio, a minha escala de açúcar no sangue já estava quase a explodir. Só neste episódio é que descobri que este anime, é feito pelo J.C Staff, que é um estúdio que eu admiro muito, principalmente pelos slice of life bonitinhos que eles fazem.
    Este episódio foi quase todo dedicado à Chiya, coisa que gostei muito, é a minha personagem favorita no anime até agora, ela quer conhecer a mãe que a deixou aos cuidados de uma amiga (isto aqui tem outro nome, abandono, mas dá para relevar) e passados 15, altura em que a Chiya já podia começar os seus estudos como urara. Até aqui tudo bem, mas já sinto o cheiro de clichezão a pairar sobre o ar, para mim a Chiya é filha de uma Urara importante de alto escalão, esta se calhar não podia cuidar do seu rebento, delegou esta tarefa a outra Urara de um rank mais baixo, para mim esta hipóteses é das mais verossímeis. A parte que mais gostei neste episódio, foi aquela onde a Chiya a meio da noite, tenta escalar o muro, onde fica o distrito das Urararas de ranking mais alto, aquela conversa dela com a Saku, foi muito bonita e aquele chega, chega no final que ela deu na Saku, nem digo nada. A parte das adivinhações foi boa, a Shiya, em principio deve ser capaz de ouvir os deuses, durante o ritual de adivinhação, ela ouviu vozes a chamar o nome dela e as outras não, isto já deve querer dizer alguma coisa. Só eu acho que aquela Urara rank 1 é a mãe da Chiya, a cor do cabelo e a aparência são parecidas. A parte final do episódio também foi muito boa, ver a Saku ser abraçada pela Chiya é sempre engraçado, isso e as subalternas dela, que se roem de ciúmes do descaramento da Chiya com a Saku. Aquela cena no final, onde a Chiya expõe a sua vontade de ser uma Urara rank 1 com a Kon, foi muito bonita, a Kon já começou a desconfiar que a Chiya tenha um poder oculto, neste caso poder ouvir e sentir os deuses, mas ela também vai fazer tudo para ser uma urara de elite. Aquela cena das duas a dormirem uma ao lado da outra foi muito Kawai.
    Como sempre mais um excelente artigo Flávio.

    • Flávio

      Eu também admiro o estúdio J.C Staff porque já assisti muitos animes deles, e eles fazem um bom trabalho no que diz respeito a animes do gênero slice of life. Eu ainda não tinha parado para pensar que a Chiya poderia ser filha da tal urara lendária ou de uma urara de alto escalão. Fico curioso para saber que tipo de divindade a Chiya consegue ouvir. A conversa da protagonista com a Saku foi muito bonita mas o fanservice que veio em seguida quebrou o clima.
      Obrigado pela participação!

      • Já se sabe que este anime vai usar um fanservice de vez em quando, nessa cena da Saku, foi uma má hora para colocar um fanservice básico, mas fazer o quê. Este anime é dos poucos casos em que eu sou capaz de tolerar o fanservice, desde já porque simpatizei com os personagens e por o anime ser do Estúdio J.C Staff. Até hoje o meu anime favorito deste estúdio é o Nodame Cantabile, que já é bem velhinho, mas vale a pena cada segundo que se gaste a assisti-lo.

      • Flávio

        Eu ainda não assisti Nodame Cantabile, mas como você gostou, eu vou levar a sua opinião em conta e colocar na minha lista de espera. Mudando de assunto, eu dei uma olhada no Gundam Thunderbolt, assisti o ep 1 e achei bastante movimentado, do jeito que eu queria, mas não entendi direito a história.

      • A história do Gundam Thunderbolt é a mesma coisa que os outros não sei quantos gundams antes dele, é a guerra entre a Federação e Zion, mas neste caso, estes 4 ovas de Thunderbolt, essa história entre essas duas facções é quase irrelevante, o destaque mesmo é o confronto entre o Fleming que representa a Federação e o Daryl que representa um dos melhores snipers de Zion. Aviso que o segundo ou terceiro episódio tem uma cena, capaz de chocar os mais sensíveis, fica o aviso. A História do Gundam thunderbolt, gira em torno daquela zona de meteoritos e lixo espacial, que é uma zona vital para ambos os lados presentes na guerra.
        Se eu tivesse que por este anime em situações que já se passaram no mundo real, a Federação representa os Aliados da Segunda Guerra Mundial e Zion as potências do Eixo, neste caso os alemães é basicamente isto.
        Quanto a Nodame recomendo, ele é de música, mas na sua maioria é passada a desenvolver os personagens.

      • Vê os 4 ovas de Thunderbolt, só pela animação e trilha sonora, já vale a pena o tempo gasto. Destes 4 ovas fizeram um filme compilatório com algumas cenas extras do mangá, mas sinceramente não é tão bom, quanto os ovas.

Comentários